Sem chuva, Rosberg é mais rápido no último dia de testes coletivos na Áustria. Nasr termina em nono

Sem a Alemanha para andar, Nico Rosberg vai deixar Spielberg como o Sr. Áustria. O domínio total no domingo continuou em termos gerais de tempo nesta quarta-feira, dia final de testes coletivos no Red Bull Ring. Ele também passou da marca das 110 voltas

Quase todos os nove pilotos que andaram durante a tarde sem chuva de atividades desta quarta-feira (24), segundo dia de testes coletivos pós-GP da Áustria, em Spielberg, melhoraram seus melhores tempos pessoais, mas apenas dois foram mais rápidos que Valtteri Bottas havia sido pela manhã. Nico Rosberg, naturalmente, foi um deles. Rodou constantemente veloz, mas mais do que isso, atingiu 117 voltas e andou 0s818 na frente do segundo colocado.

 
Segundo colocado, esse, que terminou por ser Esteban Gutiérrez a bordo da Ferrari. Mais do que baixar da barreira de 1min10s, algo que só ele e Rosberg fizeram, o mexicano conseguiu tranformar as 27 voltas da manhã em 110 no geral.
Com Nico Rosberg, a Mercedes sobrou na tarde desta quarta-feira na Áustria (Foto: F1/Twitter)
Marco Wittmann, estreando com a Toro Rosso, aproveitou o dia. Deu 158 voltas na pista, marca impressionante não apenas por conta da constância, mas também pelo fato de o motor Renault não ter sido pego por algum tipo de dano. Daniel Ricciardo foi quem pilotou a Red Bull, também dando saudáveis 116 voltas pelo circuito da equipe. 
 
O motor Honda não decepcionou. Fernando Alonso cruzou a marca centenária e deu 104 giros, mais do que a Williams, por exemplo. Bottas ficou nas 79. E Felipe Nasr? Não parece ter focado muito no desempenho, já que ficou na nona colocação, mas somando 138 giros. 

A F1 volta em dez dias, em 5 de julho, na Inglaterra.

Confira como foi o dia de testes:

A tarde do segundo dia de testes coletivos começou com um calor marcante, 34°C. Enquanto ontem a maior parte dos times mandou à pista pilotos reservas, hoje optaram em sua maioria por titulares. Pela manhã, Valtteri Bottas colocou a Williams na frente da tabela de tempos.
 
O primeiro a andar foi exatamente um dos experientes. Fernando Alonso logo tratou de colocar a McLaren na pista. E em quatro voltas rápidas, conseguiu bater o giro mais rápido que deu pela manhã, com 1min10s975. Ao contrário do que vem acontecendo o ano inteiro, a McLaren não parece muito distante nos testes. Já estava a menos de 1s de Bottas.
 
O próximo a ir à pista foi o homem que não parecia disposto a sair dela. Marco Wittmann ganhou a chance  de testar com a Toro Rosso e queria aproveitar o dia. Após alguns giros, o atual campeão do DTM empatou – e seguiu na pista para passar – com Daniel Ricciardo com 75 voltas dadas no dia, mais que todos os outros. Dois motores Renault funcionando com confiabilidade impressionante.
 
Meia-hora de treino quando Nico Rosberg deu o ar da graça na pista. Logo depois de Esteban Gutiérrez com a Ferrari, aliás. Pascal Wehrlein, hoje com a Force India, também havia entrado na pista, mas sem o bico diferentão que o time indiano mostrou na terça-feira. 
 
Apenas Ricciardo e Jolyon Palmer, com a Lotus, não tinham andado na pista à tarde após a primeira hora de testes coletivos. Enquanto isso, diferentemente, Wittmann passava das 90 voltas e melhorava as voltas rápidas. Alonso, agora de supermacios, também voltou à pista e melhorou sua volta.
 
Então, já que a brincadeira era melhorar as marcas pessoais, Rosberg desceu para o playground e fez 1min09s419, despedaçando o tempo que garantiu a primeira posição para Bottas na manhã. Na tentativa exatamente seguinte foi para 1min09s113.
 
Solão na Áustria com 1h30 de sessão. Rosberg vinha na frente, com Bottas, Wehrlein, Alonso, Felipe Nasr, Palmer, Gutiérrez, Ricciardo, Wittmann.
 
Não que alguém estivesse exatamente tentando capturar o tempo da Mercedes, mas Nasr, Alonso, Wittmann e Wehrlein pareciam extremamente interessados em continuar acumulando voltas. Pascal, aliás, o único piloto a guiar nos dois dias de teste. Ontem pela Mercedes, hoje pela Force India.
Perto das três horas de treino, Nasr se juntou a Wittmann ao passar da marca das 100 voltas. No quesito do desempenho, melhores voltas pessoais para Ricciardo e Wehrlein. Minutos depois, quase juntos, ambos também cruzaram a marca centenária.
 
Uma hora e meia para o final do dia de testes e quem tinha mais voltas dadas era Wittmann (141), seguido por Wehrlein e Ricciardo (107), Nasr (106), Rosberg (100), Gutiérrez (91), Palmer (81), Alonso (73) e Bottas (63).

Quando passava das 12h em Brasília, Ricciardo teve um problema mecânico na entrada do pit-lane, forçando uma bandeira vermelha por alguns minutos.
 
Apesar do final da tarde, a temperatura na Áustria ainda passava dos 30°C de céu aberto, um cenário incompatível com o visto ontem no meio das indas e vindas da chuva. E o pessoal se animou para participar dos 30 minutos finais. 
 
Dali até o fim, todo mundo, à excessão de Bottas, foi ao traçado e passou das 100 voltas. Inclusive a McLaren de Alonso, caso tenha levantado alguma dúvida. Mas em termos de desempenho, nada de muito novo. 

Dois minutos antes da bandeira quadriculada, bandeira vermelha. O problema era com Palmer e a Lotus, que ficou parada na pista. A paralisição encerrou o dia e os testes coletivos em Spielberg. Rosberg foi o mais rápido, seguido por Gutiérrez, Bottas, Wittmann, Wehrlein, Palmer, Alonso, Ricciardo e Nasr. 

F1, Áustria, Red Bull Ring, testes coletivos, dia 2, final:

1 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES 1:09.113   117
2 21 ESTEBAN GUTIÉRREZ MEX FERRARI 1:09.931 +0.818 110
3 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES 1:10.029 +0.916 79
4 38 MARCO WITTMANN ALE TORO ROSSO RENAULT 1:10.163 +1.050 158
5 34 PASCAL WEHRLEIN ALE FORCE INDIA MERCEDES 1:10.253 +1.140 132
6 30 JOLYON PALMER ING LOTUS MERCEDES 1:10.373 +1.260 110
7 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA 1:10.718 +1.605 104
8 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL RENAULT 1:10.757 +1.644 116
9 12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI 1:10.922 +1.809 138

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube