Sem entender críticas dos fãs a economia de combustível nas corridas, Hamilton diz que dar volta voadora “é mais fácil”

Depois de um GP do Canadá em que os pilotos foram alertados diversas vezes sobre o consumo de combustível, Lewis Hamilton afirmou que, na verdade, isso exige muito mais técnica do que uma volta lançada

Lewis Hamilton acredita que se critica a necessidade de economizar combustível nas corridas por falta de noção do que se passa dentro do carro.

O bicampeão mundial destacou como a técnica exigida dos pilotos para tal prática complica demais o trabalho. E ele não fica frustrado por não poder andar no limite, mas, sim, preocupa-se é em ser o melhor na condição que é imposta atualmente.

Lewis Hamilton foi administrando a condição de seu carro e a vantagem para Rosberg do início ao fim do GP do Canadá, disputado em 7 de junho (Foto: AP)

"Não me incomoda de forma alguma", disse Hamilton à BBC sobre o assunto, que chamou a atenção no GP do Canadá. Com as muitas retas do circuito de Montreal, os carros chegaram à bandeirada quase sem combustível. Desde o ano passado, os carros são limitados a 100 kg de gasolina por corrida. Nas voltas finais no Canadá, um gráfico exibido pela transmissão da FOM mostrou que o britânico tinha apenas 3 kg restando no tanque.

"É o nome do jogo. Quando eu ouço, eu tento fazer melhor do que todos atrás de mim. Simples assim", continuou Hamilton.

"Eu não entendo [a frustração dos fãs]. Imagino que as pessoas não entendam. Ainda estamos atacando, mas temos que usar essa técnica de levantar o pé para otimizar isso. É apenas um estilo diferente de pilotagem. Se você erra, pode perder muito tempo e travar as rodas", destacou.


"Para falar a verdade, é mais fácil para mim dar voltas voadoras", encerrou o dono de 44 pole-postions no Mundial de F1. Neste fim de semana, na Áustria, ele pode empatar a marca de Sebastian Vettel, terceiro no ranking de poles na história da categoria.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube