Tribunal Internacional da FIA repreende Pirelli e Mercedes. Equipe alemã é suspensa do teste de novatos

O Tribunal Internacional da FIA repreendeu a conduta de Pirelli e Mercedes no teste secreto realizado por ambas, em Barcelona. A equipe alemã também foi banida dos testes de novatos


O caso do polêmico teste secreto da Pirelli em conjunto com a Mercedes resultou em reprimendas para ambas, além da suspensão da equipe alemã dos testes de novatos da F1. O veredito foi revelado na manhã desta sexta-feira (21), por meio de nota da FIA, a Federação Internacional de Automobilismo.

O episódio foi julgado pelo Tribunal Internacional da FIA nesta quinta-feira. Os quatro juízes designados para o caso, Edwin Glasgow, Christy Harris, Patrick Raedersdorf e Anthony Scott Andrews ouviram as partes ― FIA, Pirelli e Mercedes ― durante sete horas, mas a decisão foi deixada apenas para hoje. 

Mercedes está fora dos testes de novatos (Foto: Mercedes)

O Tribunal entendeu que a esquadra chefiada por Ross Brawn foi culpada no caso, por ter participado do teste utilizando o carro de 2013, o que comprova uma violação do Regulamento Esportivo da F1 e uma "vantagem injusta".

Durante a parte final de seu discurso no Tribunal, o representante legal da Mercedes, Paul Harris, afirmou que, se a Mercedes fosse realmente considerada culpada, então o melhor caminho seria excluí-la dos testes de jovens pilotos, além de uma reprimenda.

"O teste de novatos é um treino de três dias é um teste em que as equipes têm total controle do carro e dos pneus. Se estamos neste território, então deixamos o Tribunal Internacional livre para impor exclusões desse tipo de evento da FIA, e o teste de pilotos é exatamente isso", sugeriu ao advogado. 

E foi exatamente o que aconteceu. O Tribunal da entidade máxima do esporte repreendeu a equipe e a vetou no teste de jovens pilotos, que acontece neste ano na pista de Silverstone, entre os dias 17 e 19 de julho. Sam Bird e Daniel Daniel Juncadella são atualmente os reservas da Mercedes.

A bateria de treinos extras realizada pela Mercedes e pela Pirelli ganhou notoriedade durante o GP de Mônaco. A escuderia prateada levou à pista de Barcelona, na semana seguinte ao GP da Espanha, seus dois pilotos titulares, Lewis Hamilton e Nico Rosberg, para três dias de testes de pneus, entre 15 e 17 de maio, usando o carro atual.

Tão logo o teste se tornou público, as rivais Ferrari e Red Bull protestaram, e a entidade máxima do automobilismo mundial levou o caso ao Tribunal.

Em sua defesa no Tribunal, o time dirigido por Ross Brawn alegou que não tirou qualquer vantagem técnica com a atividade e que os trabalhos foram totalmente conduzidos pela Pirelli. O britânico disse ainda que a Mercedes agiu de boa fé.

Já a fabricante italiana justificou, dizendo que tem direito a treinos com as equipes e chegou a questionar o poder legal de punição da entidade máxima do esporte.

Todos os custos do julgamento serão divididos entre FIA, Pirelli e Mercedes. 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube