Vettel nega excesso de otimismo em manobra em Baku: “Estou feliz por ter tentado. Não estou por não ter funcionado”

Sebastian Vettel descartou que tenha se arrependido de tentar tomar a ponta do GP do Azerbaijão na curva um. Germânico explicou que não conseguia ver seus pontos de referência, mas, ainda assim, fez um balanço positivo da corrida



google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Sebastian Vettel sai do GP do Azerbaijão sem a liderança da F1, mas também sem arrependimentos. O germânico terminou a prova deste domingo (29) no quarto posto e caiu para a vice liderança do Mundial, quatro pontos atrás de Lewis Hamilton, o novo líder. 
 
O #5 caminhava para uma vitória tranquila no Azerbaijão, mas um acidente entre Daniel Ricciardo e Max Verstappen mudou a história em Baku. Valtteri Bottas pegou a liderança e, na relargada, viu Vettel errar na curva um depois de uma tentativa de ultrapassagem e se despedir de qualquer chance de top-3.
 
O finlandês, porém, teve um furo de pneu e abandonou, entrando o topo do pódio para Hamilton, que cruzou a linha de chegada à frente de Kimi Räikkönen e Sergio Pérez.
Sebastian Vettel perdeu a liderança da F1 em Baku (Foto: AFP)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Questionado pela emissora britânica Sky Sport F1 se tinha algum arrependimento da manobra na curva um, Vettel respondeu: “Não. Estou feliz por ter tentado. Não estou feliz por não ter funcionado. Mas tenho de tentar”.
 
“Não acho que tenha sido excessivamente otimista ao pular por dentro. Eu estava um pouco preso, porque não podia ver onde estava em relação a curva um”, explicou. “Obviamente, eu vi a curva um, mas temos as nossas referências na direita, tem a zebra no chão, os sinais no muro. Na esquerda, não tem quase referência nenhuma, só o muro e a grade, mas é a mesma coisa na curva um”, explicou.
 
“Uma vez que pulei para dentro, travei. Não estava muito atrasado, pois, do contrário, não teria feito a curva, mas eu fiz. Acho que perdi, porque a travada desacelerou o carro o máximo que podia”, comentou. “Fora isso, acho que foi uma corrida forte e às vezes é assim que acontece”, concluiu.
 

O Mundial de F1 volta em duas semanas, no dia 13 de maio, com o GP da Espanha. Lewis Hamilton foi quem venceu a corrida no Circuito da Catalunha no ano passado. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades AO VIVO e EM TEMPO REAL.

#GALERIA(8374)

MELHOR DA HISTÓRIA?

FORMA INCRÍVEL DE MÁRQUEZ LEVANTA DEBATE NO PADDOCK GP

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube