F1

Vitória de Verstappen na Áustria encerra jejum de quase 13 anos da Honda na F1

O triunfo de Max Verstappen na Áustria, além de ter sido conquistado em uma reação impressionante, também representou a quebra de um longo jejum da Honda sem vitórias na F1

Grande Prêmio / GABRIEL CURTY, de São Paulo
Demorou bastante, mas finalmente a Honda conquistou sua primeira vitória no retorno à F1. Logo no primeiro ano de parceria com a Red Bull, os japoneses retornaram ao lugar mais alto do pódio com Max Verstappen neste domingo (30), na Áustria.
 
O fato de ter sido no Red Bull Ring deixa a vitória ainda mais simbólica, melhor ainda pelo fato do traçado ter sido completamente invadido por uma maré laranja de compatriotas de Verstappen. O holandês venceu após sair em segundo, ficar parado no grid e cair para sétimo.
Max Verstappen tirou a Honda da fila (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Com direito a várias manobras no fim, inclusive uma em cima de Charles Leclerc para tomar a ponta, Verstappen fez os japoneses saírem de um jejum de quase 13 anos sem vitórias, afinal, a última tinha sido com Jenson Button na Hungria em 2006. A Honda saiu da categoria em 2008 e retornou em 2015 tentando retomar o sucesso com a McLaren.
 
O que se viu, porém, foram três anos de uma das parcerias mais tumultuadas dos últimos tempos na F1, muito também pelas críticas abertas que a equipe e, especialmente, Fernando Alonso faziam. A insatisfação de Alonso com a falta de performance e confiabilidade da unidade motriz japonesa levou o espanhol a proferir a célebre queixa 'Motor de GP2' em pleno GP do Japão de 2015, na casa da Honda. O rendimento também foi pífio, com três quinto lugares do espanhol como melhores resultados.
 
A partir de 2018, a Honda fechou com a Toro Rosso e deu mostras de que estaria ao lado da Red Bull, algo que aconteceu em 2019. No primeiro ano, um quarto lugar de Pierre Gasly. Na atual temporada, dois pódios de Verstappen antes do triunfo no circuito austríaco. 

O simbolismo dessa boa união entre a Red Bull e a Honda se mostrou no pódio hoje, com a presença de Toyoharu Tanabe, chefe do projeto da montadora para a F1, erguendo o troféu designado ao construtor vencedor.

“Graças a todos os esforços de todos do staff da Honda no Japão e na Inglaterra, que trabalharam incansavelmente no desenvolvimento da nossa unidade motriz, finalmente conseguimos, é nossa primeira vitória na era híbrida, a primeira desde 2006 na Hungria. Claro, obrigado a Max pela grande pilotagem e à Red Bull por entregar um carro fantástico. Nós nunca vamos esquecer a ótima contribuição feita pela Toro Rosso, que nos ajudou a colocarmos as coisas no devido lugar no ano passado. A Honda não fez isso sozinha, então queremos reconhecer a contribuição dos nossos parceiros", falou o dirigente japonês.
 


Paddockast #23
Lágimas em Le Mans




Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.