Hamilton homenageia “herói” Hubert e diz: “Considerar esporte seguro é um grande erro”

Lewis Hamilton foi, é claro, um dos pilotos que homenagearam Anthoine Hubert neste sábado (31), data da morte do piloto francês após trágico acidente na F2 em Spa-Francorchamps. E o britânico aproveitou para pedir aos fãs e a todos que entendam que todo piloto corre riscos no esporte que pratica

HUBERT, 1996 – 2019

Hubert não resiste a acidente da F2 na Bélgica e morre aos 22 anos

Veloz, arrojado e técnico: Anthoine Hubert era oásis de qualidade na F2

“Pessoa magnífica” e “grande piloto”: mundo reage à morte de Hubert

A trágica morte de Anthoine Hubert, piloto da Arden na F2, neste sábado (31) em Spa-Francorchamps, no início da corrida 1 da categoria, fez com que Lewis Hamilton comentasse não só o falecimento de um companheiro de esporte, mas também sobre como todos devem valorizar os pilotos e tudo pelo que passam em um esporte de risco.

Em seu Instagram, Hamilton homenageou Hubert, chamando o francês de herói, e em seguida aproveitou para abordar fãs e todos que trabalham no esporte a motor sobre pelo que seus companheiros de profissão passam todos os dias em que vão às pistas pelo mundo.

Anthoine Hubert (Foto: FIA F2)
Paddockast #31
QUEM NA F1 PASSA DE ANO?

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

"Se todos vocês que assistem e gostam do nosso esporte pensam por um segundo que seja que é um esporte seguro, é um grande erro", disse o pentacampeão do mundo.

"Todos esses pilotos colocam suas vidas em risco assim que entram na pista e as pessoas precisam apreciar tal fato de maneira séria, porque não é algo apreciado de forma verdadeira. Não pelos fãs, nem pelas pessoas que trabalham neste esporte. Anthoine é um herói, até onde sei, por correr esse risco na busca por seus sonhos", continuou.

"Estou muito triste que isso aconteceu. Lembremos disso. Descanse em paz, irmão", concluiu Hamilton.

Hubert tinha 22 anos – completaria 23 em setembro próximo – e foi atingido pelo carro de Juan Manuel Correa em 'T' no início da prova, que foi cancelada em seguida. De acordo com a FIA, ele não resistiu aos ferimentos sofridos no local. Corre está em quadro estável e em tratamento. 

Anthoine Hubert (Foto: FIA F2)

Ele foi o piloto escolhido pela Renault para ser lapidado visando um lugar na F1 no futuro. O piloto, que emergiu ao grid da F2 neste ano depois de ter conquistado o título da antiga GP3 (hoje F3) no ano passado, passou a ser membro do programa de jovens pilotos da montadora gaulesa.

A carreira de Hubert foi coroada de êxito desde que o piloto passou a correr de monopostos. No seu primeiro ano em carros de fórmula, em 2013, o jovem nascido em Lyon tornou-se campeão da F4 do seu país.

Na temporada seguinte, passou por um processo de adaptação à F-Renault para andar bem em 2015, quando terminou em quinto lugar no campeonato com direito a duas vitórias em um total de sete pódios e duas poles.


 

Em 2016, o francês deu mais um salto na sua carreira ao correr na F3 Europeia. Mesmo em um grid bastante competitivo, com a presença de pilotos como George Russell, Lance Stroll — que ficou com o título — e Callum Ilott, Hubert venceu uma corrida e foi bem, ficando em oitavo lugar no campeonato.

Foi quando o francês optou em deixar a antiga F3 Europeia para migrar para a GP3. Decisão acertada, uma vez que os resultados foram notáveis. Correndo pela tradicional equipe francesa ART Grand Prix, Hubert terminou em quarto lugar, com quatro pódios. A consagração veio no seu segundo ano na categoria. Anthoine foi o campeão da GP3 em um ano contundente, com duas vitórias e um total de 11 pódios.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube