Wehrlein define desclassificação que custou pole-position do eP de Paris como “frustrante e injusta”

O estreante da temporada 2018/19 entende que os desnível na calibragem do pneu é tão pequeno que poderia ser causado até pela perda de pressão à espera da inspeção. Pascal Wehrlein e Jérôme D'Ambrosio seriam pole e sexto colocado, mas acabaram largando do fundo do pelotão e não pontuaram

Pascal Wehrlein está frustrado. O piloto alemão, estreante na Fórmula E, cravara a pole do eP de Paris com certa vantagem para o segundo colocado e teve de lidar com uma desclassificação de todo o treino algumas horas depois. O motivo foi um erro de calibragem de pneu, admitido pela Mahindra ainda antes da prova. Mesmo assim Wehrlein foi contra a natureza da sanção.

 
O que aconteceu foi que a inspeção da FIA encontrou os pneus das Mahindra, tanto de Wehrlein quanto do então líder do campeonato Jérôme D'Ambrosio, 0,05 bar abaixo do limite permitido. Embora leve, uma infração objetiva. A Mahindra admitiu que o instrumento de medição que levou para a França estava desregulado.
 
Wehrlein, entretanto, argumentou que 0,05 psi é algo tão pequeno que poderia ter sido causado pela perda de pressão no período que ficou no Parque Fechado esperando pela avaliação – como os dois pilotos passaram para a Superpole foram alguns dos últimos inspecionados. 
Pascal Wehrlein (Foto: Mahindra)

"É frustrante, porque as circunstâncias da sanção e como chegamos até ela não são justas. Largar em último depois de ser o primeiro é uma enorme diferença, não concordo com a infração", apontou ao site norte-americano 'Motorsport.com'.

 
"A pressão dos pneus era de 0,05 psi mais baixa. Quer dizer, nada. Foi 0,05, não foi 0,5. Isso é nada. Como fui um dos últimos carros a sair para dar minha volta, a revisão no Parque Fechado foi feita apenas mais tarde que nos outros carros – até confirmaram que levou dez minutos a mais que o esperado", falou.
 
"Dez minutos nessas condições provocam que os pneus estejam frios e a pressão fique baixa demais. A pressão do calor era baixa [no Parque Fechado], mas fora do box estava boa. Explicamos isso e que não foi nossa culpa, mas ainda tomaram essa decisão", lamentou.
 
O mais político D'Ambrosio, que havia marcado a sexta colocação e estava em plenas condições de manter a liderança do campeonato, deu uma declaração bem mais conformada. O belga ainda se envolveu num acidente com Sam Bird durante a chuva e carregou uma punição de três posições do grid de largada para o eP de Mônaco.
 
"Nunca é possível quantificar essas coisas. Não acredito que fosse muita, mas as regras são as regras. Cometemos um erro e temos que lidar com isso e seguir em frente", finalizou. 

Segundo o site, a FIA confirmou que a inspeção foi realizada com normalidade. O campeonato segue em dois sábados, no dia 11 de abril.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar