Hinchcliffe admite pessimismo após batida e revela que avisou SPM que “não ia dar para voltar” no domingo

James Hinchcliffe conseguiu a vaga para as 500 Milhas de Indianápolis na bacia das almas. Nem ele próprio acho que fosse possível entrar no grid após o acidente sério que sofreu durante as voltas lançadas do sábado no IMS

James Hinchcliffe conseguiu. O piloto canadense, pole-position da edição #100 das 500 Milhas de Indianápolis, em 2016, vai voltar ao grid da Indy 500 após a ausência causada pela eliminação do Bump Day em 2018. Mas foi com muito drama que Hinchcliffe conquistou a vaga: uma batida no sábado fez o piloto avisar para a SPM que as chances haviam escapado pelo ralo novamente.

 
Piloto de uma equipe importante como a Schmidt Peterson, Hinchcliffe não era cotado para sofrer no Bump Day de 2019 como aconteceu em 2018 – eliminado de forma totalmente surpreendente enquanto o companheiro e novato Robert Wickens entrou com tranquilidade. O pesadelo, entretanto, ofereceu-se de novo quando ele foi à pista para a primeira série de voltas lançadas. Um erro na curva dois jogou o carro para o muro e interrompeu a sessão.
James Hinchcliffe (Foto: IndyCar)
"Quando eu saí do centro médico, avisei a todos que não tinha jeito da gente voltar à pista no dia seguinte. Mostra o quanto eu entendo", brincou. "Todo mundo na Schmidt Peterson arregaçou as mangas e foi para o trabalho. Colocamos o carro reserva na pista duas horas e meia depois, o que é incrível", falou.
 
Com o companheiro Marcus Ericsson seguro no grid, a SPM voltou as atenções para seu piloto mais antigo. Hinchcliffe ainda deu algumas voltas com o carro T, o reserva, no sábado, mas ficou com o 32º tempo e precisou voltar no domingo para o Bump Day. Desta vez, abriu o pelotão andando forte e garantiu a entrada na corrida. Vai largar na mesma 32ª colocação.
 

"Poder ir à pista com tempo o bastante disponível para fazer três tentativas deu muita informação que pudemos analisar durante a noite e passar longas horas mexendo no carro para tentar nos certificar de que tivéssemos a velocidade necessária" seguiu.

 
"E, cara, é uma sensação que destrói os nervos saber que você só tem uma chance de conseguir, o clima está mudando a cada momento e eu sou o primeiro na pista. Foi a mesma coisa que aconteceu ano passado, algo que certamente não foi esquecido por ninguém na garagem", finalizou.

Enquanto Hinchcliffe sai lá atrás, Simon Pagenaud é o pole e vai ter Ed Carpenter e Spencer Pigot ao lado na primeira fila. O companheiro Ericsson é o 13º colocado. A corrida está marcada para as 13h40 (de Brasília) do próximo domingo.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar