Indy acredita em recorde de potência desde reunificação com novos motores híbridos

Categoria superaria os 850 cv pela primeira vez desde os campeonatos organizado pela Champ Car, no início dos anos 2000

A promessa da Indy é que os novos motores híbridos chegarão à competição durante a temporada 2024, com estreia marcada para o GP de Detroit, no dia 2 de junho — uma semana após as 500 Milhas de Indianápolis. O ingresso dos componentes elétricos e do sistema de recuperação de energia [ERS] dá a possibilidade do conjunto ultrapassar os 850 cv de potência, superando pela primeira vez a marca de 800 cv desde o início dos anos 2000, nos campeonatos ainda realizados pela CART e, posteriormente, Champ Car. Caso confirmado, será o recorde desde a reunificação da categoria, ocorrida em 2008.

Atualmente, o motor da Indy — 2,2l Twin-turbo V6 — alcança entre 725 e 750 cv nos circuitos de rua e ovais curtos. Com a adição do ERS aos propulsores da Honda e Chevrolet, estima-se que os pilotos poderão incrementar outros 60 cv de potência ao acionar o dispositivo. O que fará superar a casa de 850 cv é o push-to-pass, mecanismo já existente na Indy, que injeta 50 cv durante o uso e que poderá ser utilizado concomitantemente ao sistema elétrico.

“Você precisa estar na potência de classificação e ativar o modo de energia e o push-to-pass”, ponderou Kyle Kirkwood, vencedor de duas corridas em 2023 pela Andretti à Racer. “O sistema híbrido não vai ser usado por uma reta inteira, pois vai gastar muita bateria, mas para momentos mais curtos, como uma saída de curva. Você vai olhar cerca de 850 cv de potência”, continuou.

Com a experiência de quem guiou os potentes carros da época de Champ Car, Will Power destacou que utilizar os dois sistemas ao mesmo tempo dá sensação de ganho de desempenho.

Will Power aprovou o novo motor híbrido com ERS (Foto: IndyCar)

“Incrível, eles vão ajudar muito nas saídas de curva. São suplementos muito bons adicionados aos motores que temos, sendo de baixa cilindrada e baixo torque. A combinação do push-to-pass aos turbos dará bastante potência quando ativados”, revelou o bicampeão da categoria.

Sem o push-to-pass, a potência vinda dos componentes elétricos deve ser despejada de maneira gradual ao motor, o que será um atrativo para acionar na saída das mais lentas. Um artifício que os pilotos usarão para, evidentemente, voltas mais rápidas.

“Mesmo usando apenas o motor, é muito bom, pois oferece muito torque na faixa de baixa rotação. Os 60 cv a mais é muita potência nessa condição, porque é potência instantânea. Vai ser uma boa diferença”, finalizou Power.

A temporada 2024 da Indy terá início no dia 10 de março, quando será dada a largada para o GP de São Petersburgo, na Flórida.

Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

BOMBA! F1 REJEITA ANDRETTI para 2026! | Paddock Sprint
🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Indy direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra, Escanteio SP e Teleguiado.