Magnussen admite interesse em seguir passos do pai e correr na Indy: “Adoraria ir para lá”

Após ficar sem vaga na Haas para 2021, Kevin Magnussen revelou que tem o interesse de correr na Indy no futuro. Seu pai, Jan Magnussen, disputou algumas corridas na categoria durante os anos 90, sem muito sucesso

Nesta quinta-feira (22), a Haas anunciou mudanças na dupla de pilotos para a temporada 2021 e vai trocar os dois pilotos. Kevin Magnussen, na equipe desde 2017, já procura um novo lugar para correr no próximo ano e não descarta uma mudança para a Indy.

Kevin Magnussen não descartou a possibilidade de ir para os Estados Unidos e correr na Indy. Na categoria americana, o dinamarquês pode seguir os passos do pai Jan Magnussen, que correu quatro etapas em 1996 – por Penske e Hogan – e voltou em 1999 para mais oito corridas na Patrick. Mesmo assim, admitiu a dificuldade achar um bom acerto no cenário atual.

“A Indy é algo que sempre estive interessado. Meu pai foi um piloto da Indy nos anos 90. E fui a algumas corridas com ele quando era uma criança pequena, sempre achei que foi muito legal, e adoraria ir para lá algum dia”, disse Magnussen em entrevista coletiva antes do GP de Portugal.

Siga o GRANDE PRÊMIO nas redes sociais:
YouTube | Facebook | Twitter Instagram | Pinterest | Twitch | DailyMotion

Jan Magnussen (direita) foi uma promessa da F1 que não vingou nos anos 1990. Ele é pai de Kevin, que hoje corre pela Haas na categoria (Foto: Reprodução)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!
Do Canadá/2007 a Eifel/2020: como Hamilton alcançou Schumacher em número de vitórias

“No momento, acho que mesmo fora da Fórmula 1, todo o esporte a motor está abalado por esses tempos que vivemos neste ano. E não é fácil para conseguir um bom acordo. Então vamos ver. Não estou recusando nada, nem dizendo que é impossível, mas parece um pouco difícil”, acrescentou.

Pela Haas, Magnussen já conquistou 96 pontos até o momento, sendo 56 apenas em 2018, ano em que o piloto terminou o campeonato em nono lugar, alcançando a melhor posição na carreira. Agora, após quase quatro temporadas completas, começa a busca por um novo lugar no esporte.

“Eu diria que estou aberto, no momento, para qualquer coisa. Tenho apenas 28 anos e sinto que posso dar muito mais para a Fórmula 1, então veremos. Não existem muitas vagas disponíveis. Além disso, eu sinto falta de vitórias. Já penso em algumas opções por um tempo”, finalizou o piloto.

Ouça os programas do GRANDE PRÊMIO no formato de podcast:
Anchor | Apple | Spotify | Google | Pocket Cast | Radio Public | Breaker

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube