Newgarden puxa quadra da Chevrolet e vence Gateway 2. Kanaan é 19º em despedida

Depois de uma corrida bastante morna, as voltas finais do GP de Gateway 2 foram bem animadas. Josef Newgarden segurou Pato O'Ward e triunfou, com Scott Dixon chegando em quinto e mantendo grande margem no campeonato. Tony Kanaan foi 19º na possível despedida da Indy

Josef Newgarden voltou a vencer na Indy neste domingo (30). O americano levou a melhor nos boxes contra Pato O’Ward e segurou o mexicano nos últimos giros de um GP de Gateway morno, mas com final empolgante. A chegada foi em bandeira amarela, por um beijo de Takuma Sato no muro. A prova viu uma quadra da Chevrolet, ainda que a montadora não tenha sido exatamente dominante.

Will Power ficou na terceira colocação e, assim como Pato, foi superado por Newgarden na última parada nos boxes. O domínio da Chevrolet foi concluído pelo novato Rinus VeeKay, de bela atuação com a Carpenter, em quarto.

O melhor da Honda foi, para variar, Scott Dixon. Mesmo sem um ritmo incrível, o neozelandês salvou um quinto lugar e segue muito na frente na classificação do campeonato. Colton Herta voltou a ser a melhor Andretti, em sexto, com Felix Rosenqvist, Conor Daly, Sato e Santino Ferrucci fechando o top-10.

Tony Kanaan foi a grande atração do dia. O brasileiro, em despedida da temporada e, talvez, da categoria, chegou em 19º em uma prova complicada da Foyt.

A Indy tem ainda três etapas programadas em outubro, mas deve voltar ainda em setembro para rodada dupla em Mid-Ohio.

Josef Newgarden venceu a segunda corrida em Gateway (Foto: Indycar)

Saiba como foi o GP de Gateway 2

A segunda corrida em Gateway começou às 17h09 (em Brasília), um pouco atrasada por conta de óleo na pista que havia sido derramado por um veículo oficial do traçado. A primeira volta foi em amarela, com a largada em verde na segunda. Takuma Sato e Josef Newgarden escaparam bem na frente, seguidos por Will Power, Pato O’Ward e Scott Dixon, que já ganhava uma posição.

Colton Herta partiu muito bem e logo colou em Dixon, enquanto Santino Ferrucci escalou de 16º para a décima colocação, manobrando muito bem pela linha de cima. Rinus VeeKay foi outro que ganhou muitos lugares, enquanto Simon Pagenaud despencou após ficar no meio em um sanduíche com Marcus Ericsson e Herta.

As primeiras voltas foram muito mornas, basicamente de uma procissão em que ninguém atacava ninguém. E foi isso até o 28º giro, quando o líder Sato encostou em Ed Carpenter, o último colocado. Aquilo prendeu e tirou o ritmo do japonês, criando uma fila atrás.

No meio da fila, finalmente uma manobra no pelotão dianteiro: Newgarden não conseguiu segurar e Power assumiu a segunda colocação, deixando o companheiro para os ataques de O’Ward. Eram 15 pilotos muito próximos e os demais presos atrás de Marco Andretti.

A volta 41 marcou a abertura da primeira janela de paradas, com VeeKay trocando os pneus. A sequência teve Ryan Hunter-Reay, Tony Kanaan, até que os líderes foram aos boxes na volta 46, primeiro com O’Ward, depois com Newgarden, Dixon, Power, Herta e, finalmente, Sato, alongando bem o stint até o 59º giro, muito bem no consumo.

Quando Takuma voltou, apareceu apenas em oitavo, mas com um cenário promissor de quem indicava uma parada a menos do que a maioria. O’Ward puxava a turma, 0s4 na frente de Power e 0s8 de VeeKay, que tinha pneus um pouco mais gastos. Newgarden, Dixon, Herta, Rosenqvist, Sato, Ericsson e Conor Daly fechavam o top-10, com Tony em 19º, se segurando na volta do líder.

O segundo stint foi bastante parecido com o primeiro, ao pior estilo procissão, uma corrida bem morna. VeeKay, mesmo com pneus mais gastos, se segurava bem e só parava na volta 96, uma antes do então líder Pato e já depois de vários carros da segunda metade do pelotão.

Newgarden alongou um pouco mais que os dois e que Power e voltou entre o mexicano e o holandês. O australiano, porém, foi ainda mais veloz nos boxes e assumiu a liderança do pelotão.

Sato parou na volta 109, bem antes do previsto para a estratégia que parecia desenhada e antes até de Herta e Andretti. Colton foi aos boxes na 113, o último no segundo stint e se deu bem, ganhando a posição do japonês e ainda de Dixon.

Will Power era favorito a vencer até a última parada (Foto: Indycar)

Com 115 giros na conta, a ordem do pelotão tinha Power com 0s4 para O’Ward, 1s9 para Newgarden, 3s3 para VeeKay, 4s6 para Herta, 8s7 para Sato, 9s2 para Dixon, com Daly, Rosenqvist e Ericsson no top-10. Kanaan, em sua última prova do ano, vinha em 19º, uma volta abaixo.

No 130º giro, Ericsson deixou não apenas o grupo dos dez primeiros, mas basicamente a corrida toda, com problemas sérios na asa traseira, que precisou ser retirada nos boxes. Mais um episódio de azar do sueco em 2020.

A volta 145 deu início ao que era, em tese, a última janela de paradas, com Jack Harvey e Álex Palou abrindo os trabalhos. Dos ponteiros, os primeiros nos boxes foram Dixon e Sato, tentando aproveitar a pista livre para escalar pelotão.

E aí a corrida começou a ser decidida. É que a McLaren voltou a não ter um pit-stop ideal, enquanto Power se enroscou com Ferrucci e perdeu muito tempo. Com tudo aquilo, Newgarden partia para a liderança, por um detalhe na frente de O’Ward. Power, Herta, VeeKay, Dixon, Sato, Daly, Rosenqvist e Ferrucci fechavam o top-10 e, em tese, sem amarelas, ninguém mais pararia.

E a amarela quase veio a partir de Herta. VeeKay mergulhou por fora e passou o americano, que tentou jogar duro, acabou espalhando e quase foi ao muro. Colton precisou salvar a batida, mas perdeu o quinto posto para Dixon.

Ainda que não fosse uma prova de muitas ultrapassagens, a manobra de VeeKay em Herta indicava um caminho e, assim, O’Ward pressionava Newgarden, quando os dois iam encostando nos inesperados retardatários Pagenaud e Rossi. Seriam 20 voltas finais de duelo pelo triunfo.

Pato apertou um pouco mais e até parecia que iria arriscar, mas as coisas foram ficando tumultuadas nos dez giros derradeiros, após Pagenaud perder muito ritmo e ficar engolido pelo pelotão.

Aquilo gerou uma certa confusão em quase todo o grid e, no meio daquilo, Sato encontrou o muro, ainda que sem violência. Era o suficiente para uma amarela que encerrava a corrida. Vitória de Newgarden.

Indy 2020, GP de Gateway 2, Final:

1J NEWGARDENPenske Chevrolet1:32:15.243200 voltas
2P O’WARDMcLaren Chevrolet+1.436 
3W POWERPenske Chevrolet+3.358 
4R VEEKAYCarpenter Chevrolet+4.437 
5S DIXONGanassi Honda+6.217 
6C HERTAAndretti Honda+7.002 
7F ROSENQVISTGanassi Honda+9.689 
8C DALYCarpenter Chevrolet+9.920 
9T SATORLL Honda+10.813 
10S FERRUCCIDale Coyne Honda+15.674 
11R HUNTER-REAYAndretti Honda+16.657 
12A PALOUDale Coyne Honda+18.858 
13J HARVEYMeyer Shank Honda+20.078 
14A ROSSIAndretti Honda+20.989 
15M ANDRETTIAndretti Honda+1 volta 
16S PAGENAUDPenske Chevrolet+1 volta 
17O ASKEWMcLaren Chevrolet+1 volta 
18C KIMBALLFoyt Chevrolet+1 volta 
19T KANAANFoyt Chevrolet+1 volta 
20G RAHALRLL Honda+2 voltas 
21E CARPENTERCarpenter Chevrolet+3 voltas 
22Z VEACHAndretti Honda+4 voltas 
23M ERICSSONGanassi Honda+10 voltas 
Paddockast #76 | QUAIS CHEFES DE EQUIPE DA F1 CORREM MAIS RISCO PARA 2021?
Ouça também: PODCASTS APPLE | ANDROID | PLAYERFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube