Por redução de gastos, Indy diminui quantidade de treinos permitidos para temporada de 2013

Segundo Brian Barnhart, presidente de operações da categoria, o bom desempenho dos novos carros da categoria mostrou que os testes realizados durante a temporada não são tão necessários assim. É melhor “ter mais dinheiro sendo gasto onde o público está”

A Indy reduziu significativamente a quantidade de testes para a temporada de 2013. Passada uma temporada de adaptação a novos carros e novos motores, a categoria norte-americana anunciou, nesta segunda-feira (8), as determinações que serão adotadas para o campeonato do ano que vem. A postura da organização visa reduzir os custos envolvidos com o esporte.

“Os testes podem ser a parte mais cara do orçamento de um time”, afirmou Will Phillips, vice-presidente de tecnologia da Indy. “Passamos boa parte de 2012 negociando para reduzir as despesas associadas ao esporte, especialmente após a introdução do novo chassi”, acrescentou Brian Barnhart, presidente de operações do certame.

Sonoma foi uma das pistas que mais recebeu treinos em 2012 (Foto: IndyCar/LAT USA)

Barnhart ainda ironizou a preocupação excessiva de testes e defendeu que mais dinheiro possa ser gasto para se chegar até o público. “O custo de operação do carro por milha é o mesmo com as arquibancadas cheias ou vazias. Preferimos ter mais dinheiro sendo gasto onde o público está ou com as TVs que transmitem o evento”.

“Com o carro apresentando um bom desempenho, como foi [em 2012], e a competição em alto nível, simplesmente não há a necessidade de tantos testes assim. Os times vão se beneficiar de uma redução nos gastos”, finalizou o dirigente.

As mudanças começam pelas fabricantes de motores, que, em 2012, puderam testar à vontade seus equipamentos. Em 2013, poderão fazê-lo apenas quatro vezes na pré-temporada, além de mais quatro dias durante a temporada. Já o número de testes privados permitidos para os times foi limitado a dois na pré-temporada e dois durante o desenrolar do campeonato.

Cada equipe que disputa a temporada inteira da Indy poderá utilizar 16 jogos de pneus para todos os testes privados que realizarão durante o ano – uma redução pela metade em relação ao que existiu em 2012.

Três treinos coletivos foram anunciados, todos para circuitos mistos. Os circuitos que receberão os carros para estes treinos serão os de Barber, no Alabama, em abril, Mid-Ohio e Sonoma, ambos em agosto.

Os novatos, por sua vez, continuarão recebendo privilégios. Cada piloto ‘rookie’ terá dois dias e seis jogos de pneus extras para treinamentos. Já as equipes estreantes terão a mesma quantidade de dias e pneus adicionais, mas apenas para a pré-temporada. Junto destas determinações, a Indy também anunciou uma limitação no uso do túnel de vento, e os testes que requerirem a utilização de um chassi aprovado deverão ser solicitados com uma semana de antecedência.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube