Power tira doce da boca de Harvey e crava pole do GP de Indianápolis 1

Em um duelo muito interessante e inesperado entre Penske e Meyer Shank, melhor para a gigante, que viu Will Power derrotar Jack Harvey e fazer a pole do GP de Indianápolis 1

Will Power e o GP de Indianápolis realmente se entendem bem. Nesta sexta-feira (3), o australiano foi cirúrgico e tirou o doce da boca de Jack Harvey, cravando a 58ª pole da carreira.

Para quem estava com medo de repetir os inícios ruins de temporadas recentes, Will deu ótima resposta e se colocou na frente em uma classificação cheia de surpresas. Além de um brilhante Harvey, Colton Herta, Graham Rahal e Oliver Askew também surpreenderam, ficando todos na frente de Josef Newgarden, campeão da Indy em 2019, que parte de sexto.

Scott Dixon ficou bem próximo do que Power e Newgarden fizeram na segunda fase, mas acabou eliminado e, assim, parte de sétimo. Conor Daly, mantendo a ótima fase depois de um grande GP do Texas, colocou a Carpenter em oitavo.

Pole em 2019, Felix Rosenqvist foi mais um a ficar pelo caminho, largando em nono neste sábado. Max Chilton viveu um de seus melhores momentos dos últimos anos e será o décimo.

As maiores decepções da classificação foram, certamente, Alexander Rossi e Simon Pagenaud. O americano da Andretti ficou apenas em 11º, enquanto o francês, que venceu a corrida do ano passado, sai de 20º.

A largada do GP de Indianápolis 1 acontece neste sábado, prevista para 13h (em Brasília).

Will Power é o pole em Indianápolis (Foto: AFP)

Saiba como foi a definição do grid em Indianápolis

Como era de se esperar e como já havia sido no treino livre, muito calor esperou os pilotos na pista para a definição do grid do GP de Indianápolis 1. Os 26 carros foram divididos em dois grupos de 13 para a primeira fase, que garantiria os seis primeiros de cada para o estágio seguinte.

O primeiro grupo foi ao traçado pontualmente às 17h30 (em Brasília), com os seguintes pilotos: Santino Ferrucci, Pato O’Ward, Ryan Hunter-Reay, Felix Rosenqvist, Oliver Askew, Josef Newgarden, Marco Andretti, Takuma Sato, Max Chilton, Conor Daly, Álex Palou, James Hinchcliffe e Sage Karam.

Todo mundo entrou junto de cara e, no primeiro giro, Sato foi o mais rápido, mas ainda acima de 1min12s, um tempo que claramente ainda não era relevante. Veio a segunda volta e O’Ward foi para a ponta com 1min11s520, com Rosenqvist, Sato, Ferrucci, Chilton e Palou ali na sequência.

Oliver Askew se destacou no primeiro grupo (Foto: Indycar)

Foram três voltas até que todos fossem aos boxes e apostassem nos pneus macios. Então, eram cerca de 3min para que todo mundo tentasse estabelecer voltas próximas de 1min10s por uma vaga na segunda fase.

Já no minuto final, os tempos começaram a despencar. Primeiro, Newgarden rompeu a barreira de 1min11s, mas sua volta foi rapidamente superada por Daly, Rosenqvist, Hunter-Reay, Chilton e, finalmente, Askew, que liderou com 1min10s531.

Na última volta, pendurado na bolha, Josef tentou melhorar, mas ficou acima de seu 1min10s619. Para a sorte do campeão, ninguém de fora do G6 melhorou suas marcas, com O’Ward, Ferrucci, Sato, Hinch, Palou, Karam e Andretti eliminados. Desse grupo, destaque para Ferrucci, que tinha andado muito bem no TL1, e para Marco, que escapou na volta rápida e recolheu, ficando 1s5 acima do líder Askew.

Santino Ferrucci caiu na primeira fase (Foto: AFP)

Dixon passa fácil, Rossi vai no sufoco e Pagenaud desaba

Nem 5 minutos depois do fim do primeiro grupo e o segundo já estava na pista com Will Power, Marcus Ericsson, Scott Dixon, Simon Pagenaud, Spencer Pigot, Colton Herta, Jack Harvey, Alexander Rossi, Rinus VeeKay, Graham Rahal, Zach Veach, Charlie Kimball e Dalton Kellett.

Com a pista já bem mais emborrachada que no primeiro grupo, Harvey, Herta e Pigot conseguiram virar abaixo de 1min11s5 ainda com os pneus duros, mas, obviamente, seria mais uma disputa dos pneus macios nos minutos finais.

E, como é comum nos mistos e nos circuitos de rua, foi na penúltima volta de todo mundo que os tempos caíram bem. Power, que sempre anda bem no misto do IMS, virou 1min10s255, seguido por Herta, Dixon, um surpreendente Harvey, Rahal e Rossi, que, assim como Newgarden, avançou no sufoco.

Ericsson e Pigot, que andaram bem no treino livre, ficaram no quase, eliminados ao lado de VeeKay, Veach, Kimball, Kellett e de Pagenaud que, de forma inacreditável, terminou apenas em décimo. Vencedor da prova de 2019, o francês larga de 20º no sábado.

Simon Pagenaud larga apenas em 20º (Foto: AFP)

Newgarden volta a avançar no sufoco, Dixon cai

Com três Andretti, duas Ganassi, duas Penske, uma McLaren, uma RLL, uma Carlin, uma Carpenter e uma Meyer Shank, a segunda fase da classificação começou às 18h05. E já com polêmica de cara, com Hunter-Reay estragando uma volta rápida de Askew e o incidente indo para investigação. No fim, nada aplicado ao veterano, mas uma volta a menos com pneus duros para o novato.

Com os pneus mais duros, os primeiros minutos pareciam, de novo, só protocolares, mas deu para ver a força de Power, com o perdão do trocadilho. O australiano virou 1min11s084, colocando quase 0s2 em Harvey. Rosenqvist, Askew, Herta e Hunter-Reay também apareciam na zona de classificação. Mas tudo seria decidido nos dois minutos finais, de pneus macios, e até Power correria riscos se errasse.

E Power passou longe de brilhar com os pneus vermelhos, virando praticamente o mesmo tempo que Newgarden: 1min10s13 x 1min10s14. E ambos assistiram a um festival de surpresas, com Askew na frente com uma grande volta em 1min09s878, Harvey, Rahal e Herta no top-4.

A dupla da Penske passou no sufoco, com Newgarden repetindo o sexto lugar da primeira fase. Dixon, por apenas 0s05, acabou eliminado e ficando em sétimo no grid, com Daly, Rosenqvist, Chilton, Rossi e Hunter-Reay também pelo caminho.

Jack Harvey deu um show na classificação (Foto: Indycar)

Power bate Harvey e faz pole

O Fast Six, que definiu a pole em Indianápolis, teve início às 18h26, com todo mundo o tempo inteiro de pneus macios. Newgarden esperou para sair para a pista, mas os demais tentaram a sorte e foi Harvey quem começou melhor, cravando 1min10s3. Power, Herta, Rahal e Askew apareciam na sequência, mas ainda trocariam os compostos para a segunda tentativa.

Newgarden fritou pneu na única volta rápida e nem se deu ao trabalho de completar o giro, ficando em sexto no grid. Askew, que atropelou todo mundo nas duas primeiras fases, também não foi bem e ficou em quinto.

A briga pela pole estava entre Harvey e Power e, por mais que o britânico tenha feito um enorme trabalho, melhor para o veterano da gigante Penske, que cravou 1min10s178. Harvey, Herta, Rahal, Askew e Newgarden vieram na sequência.

Indy 2020, GP de Indianápolis 1, Grid de largada:

1W POWERPenske Chevrolet1:10.178 
2J HARVEYMeyer Shank Honda1:10.365+0.187
3C HERTAAndretti Honda1:10.520+0.342
4G RAHALRLL Honda1:10.584+0.406
5O ASKEWMcLaren Chevrolet1:10.840+0.662
6J NEWGARDENPenske Chevrolet
7S DIXONGanassi Honda1:10.199+0.021
8C DALYCarpenter Chevrolet1:10.217+0.039
9F ROSENQVISTGanassi Honda1:10.231+0.053
10M CHILTONCarlin Chevrolet1:10.306+0.128
11A ROSSIAndretti Honda1:10.343+0.165
12R HUNTER-REAYAndretti Honda1:10.576+0.398
13P O’WARDMcLaren Chevrolet1:10.733+0.555
14M ERICSSONGanassi Honda1:10.629+0.451
15S FERRUCCIDale Coyne Honda1:10.790+0.612
16S PIGOTRLL Honda1:10.635+0.457
17T SATORLL Honda1:10.885+0.707
18R VEEKAYCarpenter Chevrolet1:10.707+0.529
19J HINCHCLIFFEAndretti Honda1:11.148+0.970
20S PAGENAUDPenske Chevrolet1:10.744+0.566
21A PALOUDale Coyne Honda1:11.182+1.004
22Z VEACHAndretti Honda1:11.276+1.098
23S KARAMDRR Chevrolet1:11.777+1.599
24C KIMBALLFoyt Chevrolet1:11.403+1.225
25M ANDRETTIAndretti Honda1:12.051+1.873
26D KELLETTFoyt Chevrolet1:11.588+1.410
Paddockast #68 | O QUE ESPERAR DA FÓRMULA 1 2020?
Ouça também: PODCASTS APPLE | ANDROID | PLAYERFM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube