Bola da vez na MotoGP, Mir cresce e vira elemento surpresa na briga pelo título

Na vice-liderança da classificação, o espanhol da Suzuki mostrou grande evolução em seu segundo ano na MotoGP. Com ritmo e regularidade ao seu lado, desponta como um dos grandes nomes na briga pelo caneco

Joan Mir é a grande surpresa da temporada 2020. Tendo um ritmo competitivo e regularidade como grandes marcas, o espanhol se tornou habitué do pódio e já é visto como um dos principais nomes na briga pelo título da MotoGP. E em seu segundo ano na categoria.

A estreia do jovem de Palma de Maiorca na classe rainha do Mundial aconteceu em 2019. Com a Suzuki, teve resultados discretos e conseguiu apenas um top-5 ao longo de todo o ano. Ainda, precisou lidar com uma contusão pulmonar e ficou afastado por duas etapas, o que jogou ainda mais contra sua campanha. Com isso, terminou apenas na 12ª colocação, oito atrás do companheiro Álex Rins.

Mas 2020 chegou e desde a primeira etapa foi notável a grande evolução de Joan. Nas oito provas já disputadas, o piloto é quem mais subiu ao pódio – quatro vezes -, além de ter ficando dentro do top-5 em todas as corridas que cruzou a linha de chegada – abandonou duas.

Joan Mir, MotoGP 2020, GP da Catalunha, Classificação
Joan Mir é um dos principais pilotos na briga pelo título (Foto: Suzuki)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

E quando se compara com os adversários, as chances de abocanhar o caneco ficam ainda mais perceptíveis. Tem no bolso 89 pontos desde o GP da Áustria, contra 53 de Andrea Dovizioso, 48 de Maverick Viñales e 45 de Fabio Quartararo, atual líder. E no momento, está na vice-liderança – apenas oito tentos o separam da primeira colocação da tabela.

Quando se olha para trás, o talento sempre esteve presente. A carreira de Mir ainda é relativamente curta. Sua estreia aconteceu em 2007, quando se envolveu com a Lorenzo Competición – mas diferente do que se imagina, a relação vem de Chico, pai de Jorge, e não do tricampeão. Portanto, compete nas pistas há apenas 12 anos, mas já com resultados expressivos que o colocam como piloto talentoso.

Até chegar ao Mundial de Motovelocidade, Joan passou por categorias como o Red Bull Rookies Cup, em que ficou por dois anos e conquistou um nono lugar e um vice-campeonato, além do Mundial Júnior de Moto3, em que começou em alta ao vencer quatro das primeiras seis corridas, mas perdeu rendimento e encerrou apenas na quarta colocação.

Joan Mir conseguiu o título da Moto3 em seu segundo ano (Foto: Red Bull Content Pool)

Os passos foram essenciais para chegar à Moto3 em 2016. No ano de debute, três pódios, sendo um deles com vitória, mostrou que o potencial estava ali, e se provou no ano seguinte. Apenas em seu segundo ano no Mundial alinhou prudência e agressividade para conseguir não só o título da menor das classes, mas também o salto para a Moto2 com a Marc VDS.

Na classe intermediária, foram quatro pódios e sete top-5 em 18 corridas para encerrar o campeonato como o sexto melhor piloto. E apenas esses resultados foram necessários para a Suzuki fazer a aposta e fazer o jovem de 23 anos dar o último pulo de sua carreira para a MotoGP.

Portanto, sim, Mir tem todos os ingredientes para uma disputa sólido do título da temporada 2020. Basta apenas olhar para trás e ver o desempenho que teve em momentos chave da carreira e a rápida adaptação em diferentes categorias, sem se deixar dominar pela pressão. E em seis corridas restantes e 150 pontos em jogo, não é nenhum absurdo pensar na capacidade do jovem de 23 anos em conseguir sagrar-se campeão para escrever de uma vez por todas seu nome na história.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube