MotoGP

Dovizioso vê Ducati “melhor que nos anos anteriores”, mas Mundial diferente com Rins e Rossi também na briga

Andrea Dovizioso avaliou que a briga pelo título será diferente em 2019, já que Valentino Rossi e Álex Rins também estão no páreo. O italiano considerou, no entanto, que a Ducati também está melhor do que nos anos anteriores

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
🏍️ 10+: Moto, regras, Rins... As dez razões do fim do jejum de vitórias da Suzuki

Andrea Dovizioso completou a primeira trinca de provas da temporada 2019 na liderança da MotoGP. Mas nem por isso espera um campeonato fácil, já que entende que Valentino Rossi e Álex Rins serão uma dificuldade extra em sua já tradicional batalha com Marc Márquez.
 
O #93 tomou a liderança do campeonato após a dominante vitória na Argentina, mas caiu para o quarto posto da tabela com um tombo em Austin. Assim, Andrea retomou o comando, com apenas três pontos de frente para Rossi, o segundo colocado. Rins vem em terceiro, mais dois tentos atrás.

🏍️ Enquete: que nota você dá para o GP das Américas de MotoGP
🏍️ Confira a classificação da MotoGP após GP das Américas
Andrea Dovizioso avaliou que a Ducati está mais forte do que nos anos anteriores (Foto: Divulgação/MotoGP)
Resultado de imagem para emoji microfonePaddockast #14: O melhor piloto de MotoGP de todos os tempos



 Ouça no Spotify
 Ouça no iTunes
 Ouça no Android
 Ouça no playerFM

“A queda de Márquez demonstra que nem sempre ele tem tudo sob controle, e isso é positivo para nós”, disse Dovizioso. “Ele foi espetacular nas primeiras corridas, foi muito rápido, mas nós confirmamos que estamos melhores do que no ano passado. Se tivesse tanta vantagem como na Argentina, ele não teria caído”, ponderou.
 
Em uma posição bastante mais confortável do que nos anos anteriores, Dovizioso previu um campeonato diferente, mas sublinhou que a Ducati é hoje mais forte.
 
“Na Europa, eu creio que podemos ser mais competitivos, mas esse Mundial será diferente dos anteriores: tanto Rins quanto Valentino estão na briga pelo título e Marc, evidentemente, também”, considerou. “Vai ser muito duro, mas nós também estamos melhores do que nos anos anteriores”, concluiu.