Ducati mostra disposição, mas diz que ajuda a Zarco “depende do resultado dele”

Chefe da Ducati Corse, Gigi Dall’Igna afirmou que os resultados na Avintia vão determinar se Johann Zarco receberá alguma ajuda da fábrica de Bolonha. Dirigente se mostrou mais do que disposto a ajudar o francês

LEIA TAMBÉM


Chefe da Ducati, Gigi Dall’Igna admitiu ajudar Johann Zarco na Avintia. Ainda assim, o dirigente ressaltou que o apoio da fábrica de Borgo Panigale vai depender dos resultados obtidos pelo #5 na MotoGP.
 
Depois de sonhar com uma vaga na Honda, Zarco acabou fechando com a Aprilia para a temporada 2020 da MotoGP. Inicialmente, Johann tinha descartado a equipe francesa por não considerá-la uma “equipe de ponta”, mas Dall’Igna entrou em cena e acabou convencendo o piloto.
 
No ano passado, a Avintia ficou com a última posição no Mundial de Equipes, com Tito Rabat e Karel Abraham somando apenas 32 pontos ao longo de 2019.
Gigi Dall'Igna, chefe da Ducati, acompanha os treinos livres para o GP de Aragão (Foto: Ducati)
Paddockast
O MELHOR CONTEÚDO DO ESPORTE A MOTOR PARA OUVIR QUANDO QUISER

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Zarco, no entanto, não terá a moto do ano. O francês vai encarar 2020 com a GP19, mas, contratado diretamente pela Ducati, vai contar com dois engenheiros de pista e dois engenheiros de eletrônica vindos direto da casa de Bolonha.
 
Para este ano, a Ducati já aumentou consideravelmente seu esforço na MotoGP, já que, além da dupla de fábrica, o duo da Pramac também contará com a GP20, a versão mais nova da Desmosedici, apresentada no último dia 23 em Bolonha
 
Ainda assim, Dall’Igna se mostrou disposto a ajudar Zarco, desde que os resultados justifiquem esse apoio. 
 
“Depende do resultado dele”, disse Dall’Igna. “Para mim, o que importa são os resultados. Se Johann mostrar que pode conseguir bons resultados, com certeza terei de ajudá-lo”, seguiu.
 
“Fiz isso a minha vida toda e também farei isso no futuro. Se não puder fazer algo assim, mudo de trabalho”, assegurou. “Não podemos mudar o motor, porque está congelado desde o início da temporada. Mas estou aberto a fazer o melhor por ele. Estou falando sério, não estou brincando”, garantiu.
 
Ainda, Dall’Igna avaliou que a Ducati “tem a possibilidade de fazer algo melhor” por Zarco “do que trabalhar com aerodinâmica”. O dirigente, no entanto, reforçou que, primeiro, é preciso entender as necessidades do francês, que já passou por Tech3, KTM e LCR.
 
“Antes de mais nada, temos de entender o que ele precisa. Depois disso, posso tomar a decisão sobre o que posso fazer por ele”, explicou Gigi. “Nós temos um chefe de equipe [Marco Rigamonti] que trabalhou para a Ducati por muito tempo. Agora ele está de volta apenas para acompanhar Johann”, comentou.
 
“Nós estamos prontos para apoiar Johann do ponto de vista técnico e também do ponto de vista pessoal”, assegurou.
 
O #5 vai ter sua primeira prova com a Desmosedici na primeira bateria de testes da pré-temporada 2020, que acontece entre os dias 7 e 9 de fevereiro.
 

LEIA TAMBÉM

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube