Quartararo aproveita queda de Rins, escapa e vence em Portugal. Marc Márquez é 7º

Fabio Quartararo não largou bem, mas se recuperou e aproveitou-se da queda de Álex Rins para garantir uma bela vitória no GP de Portugal. Francesco Bagnaia e Joan Mir completaram o pódio em Portimão. Marc Márquez, voltando de lesão, foi discreto e fechou na 7ª colocação

Jorge Martín caiu no fim do terceiro treino livre para o GP de Portugal (Vídeo: MotoGP)

Fabio Quartararo provou no GP de Portugal que a Yamaha é mesmo a moto a ser batida na MotoGP. Depois de largar na pole e perder posições ainda nos primeiros metros, o francês de Nice se recuperou, contou com a queda de rivais e venceu em Portimão com autoridade.

A disputa de Quartararo foi, durante boa parte da corrida em Portugal, com Álex Rins. O espanhol da Suzuki, no entanto, caiu já na parte final da corrida e perdeu a chance de ir ao pódio pela primeira vez em 2021. Johann Zarco, então líder do campeonato, foi outro que viu o chão bem de perto em Portimão.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Fabio Quartararo mostrou o melhor ritmo da MotoGP em Portugal (Foto: Yamaha)

LEIA TAMBÉM
⇝ Alonso escapa e vence corrida 1 em Portugal. Moreira é 2º na estreia na Rookies Cup

Francesco Bagnaia se recuperou depois da punição sofrida na classificação e saiu de 11º para terminar na segunda posição. Joan Mir, atual campeão da categoria, fechou o pódio. Franco Morbidelli, Brad Binder, Aleix Espargaró, Marc e Álex Márquez, Enea Bastianini e Takaaki Nakagami completaram o top-10.

Com o resultado do GP de Portugal, Quartararo assumiu a liderança na MotoGP com 61 pontos, 15 a mais que Bagnaia, o novo segundo colocado. Viñales caiu para terceiro, à frente de Zarco, Mir, Aleix Espargaró, Rins, Binder, Bastianini e Jorge Martín.

Com duas vitórias de Quartararo e uma de Viñales, a Yamaha sai de Portimão na liderança do Mundial de Construtores da MotoGP, com 15 pontos de vantagem para a Ducati. No Mundial de Equipes, a fábrica dos três diapasões lidera com 41 tentos de frente para a Suzuki.

Vindo de um pódio no GP de Doha, Jorge Martín desfalcou a MotoGP neste domingo. O espanhol sofreu uma forte queda no sábado, fraturou um metacarpo da mão direita e o maléolo medial no tornozelo direito e terá de passar por cirurgia nos próximos dias em Barcelona, na Espanha.

A MotoGP volta às pistas em 2 de maio, para o GP da Espanha, em Jerez de la FronteraAcompanhe a cobertura do GRANDE PRÊMIO sobre o Mundial de Motovelocidade.

Saiba como foi o GP de Portugal de MotoGP:

Em mais um dia de sol na cidade portuária da região do Algarve, a MotoGP encarou boas condições na corrida deste domingo. Quando os pilotos alinharam no grid, os termômetros mediam 24°C, com o asfalto chegando em 39°C. O vento soprava a uma velocidade de 8 km/h.

Nesta terceira etapa da temporada, a Michelin, fornecedora dos pneus da categoria, levou os calçados macios, médios e duros para Portimão, com o dianteiro mais resistente e todos os traseiros construídos na configuração assimétrica.

A maioria foi para o grid com dianteiro médio, com Danilo Petrucci e Iker Lecuona apostando no duro. Na traseira, os médios também foram a opção da maioria, mas as duplas de Tech3 e KTM, além de Fabio Quartararo decidiram pelo duro.

Já no grid, Lecuona mudou para o dianteiro médio, com Valentino Rossi, Maverick Viñales e Franco Morbidelli se juntando a lista de pilotos com um traseiro duro.

Antes da largada, um momento atípico e bonito: MotoGP e Fórmula 1 se uniram para homenagear Fausto Gresini. A família do ex-piloto esteve no paddock de Ímola para lembrar o bicampeão das 125cc, que morreu aos 60 anos vítima da Covid-19.

Quando as luzes se apagaram na reta de Portimão, o pole Quartararo, com o batimento cardíaco na casa dos 130 BPM, foi engolido por Zarco, Rins, Marc Márquez, Miller e Mir, apesar de ter feito uma boa saída.

A largada do GP de Portugal da MotoGP (Vídeo: MotoGP)

Zarco tomou a ponta, com Rins se instalando em segundo e Márquez passando Miller para ser terceiro. Mir logo passou o australiano e também deixou Marc para trás, inclusive com contato. No outro extremo da tabela, Viñales andou para trás e caiu para 20º, à frente apenas de Lorenzo Savadori.

Quartararo aproveitou que Marc tocou a roda traseira de Mir na curva 3 para passar, com Miller deixando o hexacampeão para trás pouco depois. Na sequência, foi Aleix Espargaró que ganhou a posição do titular da Honda.

Ainda na liderança, Zarco vinha agora pressionado por Rins em Portimão, com Quartararo assumindo o terceiro posto ao passar Mir na curva 1. Miller era o quinto, à frente de Aleix, que tinha acabado de cravar a melhor volta da corrida.

Fabio Quartararo ultrapassa Joan Mir na terceira volta em Portimão (Vídeo: MotoGP)

Na volta 4, Rins conseguiu passar Zarco na saída da 13, que tentou o troco, mas não conseguiu segurar o espanhol. Na reta, porém, a Ducati da Pramac engoliu Álex com tranquilidade.

Ainda na quinta volta, Pol Espargaró recolheu aos boxes da Honda, aparentando um problema técnico. O catalão sofreu uma forte queda no sábado.

Na ponta, Rins conseguiu retomar o comando, com Quartararo aproveitando uma bobeada de Zarco para tomar o segundo posto. Na curva 3, Miller escreveu um novo capítulo do pesadelo que está vivendo neste início de temporada e caiu, abandonando a disputa. O titular da Ducati ainda de recupera de uma cirurgia no braço.

Campeão vigente, Mir atacou e tomou o terceiro lugar de Zarco, com Morbidelli passando Aleix para ser quinto.

Na volta 7, foi Oliveira quem caiu, na curva 14. Vencedor do GP de Portugal do ano passado, o piloto da KTM não esteve nem perto da performance de 2021 neste fim de semana.

Miguel Oliveira perde o controle da moto e cai na curva 14 (Vídeo: MotoGP)

No oitavo giro, Rins deu uma bobeada e permitiu a aproximação de Quartararo, mas o francês não consolidou a ultrapassagem e viu o rival abrir vantagem outra vez. Mir era o terceiro, seguido por Zarco, Morbidelli, Binder, Bagnaia, Aleix, Marc e Álex Márquez e Luca Marini.

Na reta do traçado de Portimão, Quartararo deu o bote em Rins e assumiu a liderança, mas o espanhol foi mantendo o contato. Mir já vinha 0s3 atrás do companheiro de Suzuki.

Dono do melhor ritmo de sábado, Quartararo fez a nona volta da corrida em 1min39s999, mas não conseguiu se afastar decisivamente de Rins, ainda que a diferença tenha chegado a 0s5. Mais atrás, Zarco passou Mir, mas levou o troco quase que imediatamente.

Um pouco mais atrás, os irmãos vinham mais ou menos juntos. Marc tinha 2s5 de frente para Álex, enquanto Luca Marini tinha Rossi se aproximando para brigar pelo 11º lugar.

Fabio Quartararo ultrapassa Álex Rins e assume a liderança (Vídeo: MotoGP)

Na 12ª volta, Bagnaia passou Binder para ocupar a sexta colocação, pouco mais de 0s5 atrás de Morbidelli, o quinto.

Rodando em segundo, Rins não entregou os pontos e ia acompanhando o ritmo de Quartararo para tentar recuperar o comando. O mais rápido na pista, porém, era Bagnaia, que tinha acabado de cravar 1min39s728. O italiano fez a pole no sábado, mas acabou com o tempo cancelado por ter ignorado uma bandeira amarela.

Na volta 14, Rossi colou em Luca e passou a pressionar o irmão pela 11ª colocação. O mais experiente dos italianos não tardou em tomar a posição, já 2s6 atrás de Álex Márquez, o décimo.

Ao passo em que Quartararo e Rins fugiam juntos, Zarco conseguiu pegar Mir mais uma vez e não deu chances ao espanhol na reta para ocupar o terceiro lugar.

Ainda na volta 15, Valentino Rossi caiu na curva 11, a mesma que tanta gente derrubou neste fim de semana, e devolveu a 11ª colocação ao irmão. O multicampeão vinha melhorando o ritmo antes do tombo.

Quem também vinha escalando o pelotão era Maverick Viñales. Depois de despencar para o último posto, o espanhol era agora o 14º.

Bagnaia, porém, era quem vinha mais forte, apostando na força do motor da Desmosedici para tomar o quinto lugar de Morbidelli. Quarto, Mir vinha 0s4 à frente.

Lá atrás, Marini e Takaaki Nakagami vinham trocando posições, com o japonês da LCR levando a melhor pela 11ª posição. Pouco depois, Enea Bastianini entrou na brincadeira e passou o companheiro de Avintia.

Com sete voltas para a bandeirada, Rins ia mantendo o coração de Quartararo acelerado ― 168 BPM ―, pressionando pela ponta. Em meados da volta, porém, Álex caiu na curva 5, dando a Fabio mais de 4s de frente.

No outro lado dos boxes, a Suzuki não teve lá muito mais alegria, já que Bagnaia chegou em Mir e tomou o terceiro posto, bem coladinho em Zarco, que foi engolido na volta seguinte.

Fabio Quartararo comemorou a vitória no estilo de Cristiano Ronaldo, o astro português do futebol (Vídeo: MotoGP)

Líder do Mundial, Zarco caiu na curva 10 ao perder a frente da Ducati pouco depois, não só devolvendo o terceiro lugar para Mir, mas também perdendo um terreno importante na briga pelo título.

Com só quatro voltas para o fim em Portimão, Quartararo exibia 4s685 de frente para Bagnaia, com Mir, Morbidelli, Binder, Aleix, Marc e Álex Márquez, Bastianini e Nakagami fechando o top-10.

Mesmo com pouco tempo restante, Morbidelli se empenhou em caçar Mir. Na volta final, os dois vinham separados por 0s2, com o espanhol também pertinho de Bagnaia.

Na bandeirada da MotoGP em Portimão, as posições se sustentaram, com Quartararo chegando a segundo vitória no ano, agora à frente de Bagnaia, Mir, Morbidelli, Binder, Aleix, Marc e Álex Márquez, Bastianini e Nakagami.

MotoGP 2021, GP de Portugal, Portimão, Corrida:

1F QUARTARAROYamaha41:46.41225 voltas
2F BAGNAIADucati+4.809 
3J MIRSuzuki+4.948 
4F MORBIDELLISRT Yamaha+5.127 
5B BINDERKTM+6.668 
6A ESPARGARÓAprilia Gresini+8.805 
7M MÁRQUEZHonda+13.208 
8A MÁRQUEZLCR Honda+17.992 
9E BASTIANINIAvintia Ducati+22.369 
10T NAKAGAMILCR Honda+23.676 
11M VIÑALESYamaha+23.761 
12L MARINIAvintia VR46 Ducati+29.660 
13D PETRUCCITech3 KTM+29.836 
14L SAVADORIAprilia Gresini+38.714 
15I LECUONATech3 KTM+50.372 
16M OLIVEIRAKTM+1 volta 
17J ZARCOPramac DucatiAbandonou 
18A RINSSuzukiAbandonou 
19V ROSSISRT YamahaAbandonou 
20J MILLERDucatiAbandonou 
21P ESPARGARÓHondaAbandonou 
22J MARTÍNPramac DucatiNão largou 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar