MotoGP

GUIA 2019: Ducati sai da pré-temporada forte e vê grande chance de enfim recuperar sonhado título

Mais uma temporada da MotoGP está para começar e, com ela, mais uma chance da Ducati conseguir alcançar o segundo título tão sonhado. Com uma pré-temporada forte e uma dupla de pilotos harmoniosa, a esquadra de Borgo Panigale vê no campeonato a grande oportunidade de enfim colocar as mãos no cobiçado caneco

Grande Prêmio / NATHALIA DE VIVO, de São Paulo
GUIA 2019

Mais uma temporada da MotoGP está virando na esquina e, junto com ela, todas as tradicionais expectativas de mais um campeonato. Em 2019, inclusive, a Ducati encontra mais uma chance para tentar buscar o título que tem escapado de suas mãos nos últimos anos.
 
A escuderia de Borgo Panigale tem mais uma vez a missão que tem encarado nas temporadas passadas: ser a equipe a fazer frente a Honda e, especialmente, Marc Márquez, e conseguir, de uma vez por todas, o caneco que tanto deseja há mais de dez anos - o único título conquistado veio em 2007 pelas mãos de Casey Stoner.
 
O desafio começou a tomar forma de maneira definitiva em 2017, quando Andrea Dovizioso enfim mostrou total adaptação a Desmosedici, aprendendo ano a ano - entrou na Ducati em 2013, e crescendo junto com a moto. Naquele ano, apresentou uma forte campanha e foi o adversário que conseguiu bater de frente com o #93, conseguindo adiar a disputa do título para a última etapa do calendário, em Valência.
Danilo Petrucci (Foto: Ducati)
AS PIONEIRAS
❀ Danica Patrick – a primeira mulher a vencer uma corrida na Indy e a ser pole na Nascar

Em 2018, entretanto, o cenário se mostrou um pouco diferente para o piloto. Com uma primeira metade de temporada deixando a desejar, especialmente pelo que havia mostrado no ano anterior, cresceu apenas na segunda metade do campeonato, quando emendou vitórias e pódios, mas longe de ser o suficiente para frear o titular da Honda.
 
Agora, a Ducati tem mais uma vez que tentar mostrar sua força do grid. No último ano, muitos indicaram que o time de Borgo Panigale tinha a melhor moto dentre as equipes, mostrando seu grande crescimento e desenvolvimento. E a tendência é que o notável desempenho continue.
 
E se tudo se desenhar como andou na pré-temporada, a fábrica italiana tem bons motivos para ficar animada. Com uma Honda ainda sendo uma incógnita – em parte porque sua dupla, Márquez e Jorge Lorenzo, está se recuperando de lesões -, a esquadra mostrou grande performance e apresentou grande otimismo.

Ok, Dovizioso não saiu gritando aos quatro ventos após a pré-temporada que a moto esta perfeita e que este é seu ano, mas o perfil do piloto é naturalmente mais contido, então era de se esperar que não fizesse nenhuma previsão. Entretanto, seu novo companheiro Danilo Petrucci já fez um discurso mais animado e mostrou uma rápida adaptação a fera vermelha da equipe.

A nova dupla, inclusive, é outro ponto que vai jogar a favor do time em 2019. Nos dois últimos anos, a Ducati sofreu com o péssimo relacionamento entre Andrea e Lorenzo, que sempre fizeram questão de mostrar o descontentamento abertamente na mídia e não tinham papas na língua quando o assunto era cutucar o colega.
Andrea Dovizioso (Foto: Ducati)
Agora, com a chegada de Petrucci, já ficou claro o encaixe entre os novos companheiros e o relacionamento harmonioso que se construiu, dando novos ares dentro da garagem. Andrea, inclusive, mostrou todo apoio ao #9, dividindo parte de sua experiência e não poupando elogios ao novo colega de boxes, mostrando ter entendido a importância de trabalhar em conjunto com o colega de box.

Ainda, Petrucci chega em uma situação bastante diferente da de Lorenzo. Enquanto o espanhol, contratado a peso de ouro, veio para conquistar um título que nunca veio, o italiano tem apenas um objetivo para 2019: conseguir sua primeira vitória - ainda mais que seu contrato é de apenas um ano e o triunfo pode ser decisivo para sua continuidade.
 
Apesar de ainda ser difícil prever qualquer ordem de forças sem nem mesmo uma corrida ter acontecido, e a equipe fugir dos holofotes de favorita, está claro que a Ducati tem a melhor de três para tentar se estabelecer como a primeira força do pelotão e, quem sabe, destronar de uma vez a Honda. Sabemos ao menos que talento é o que não vai faltar.