Jason Dupasquier, 2001 – 2021

Jason Dupasquier estava em sua segunda temporada na Moto3, apresentando evolução clara na comparação com 2020. O suíço morreu aos 19 anos após acidente grave em Mugello

Jason Dupasquier sofre acidente grave no fim da classificação da Moto3 em Mugello (Vídeo: Reprodução)

Jason Dupasquier estava destinado ao esporte a motor, isso desde o berço. Nascido na cidade suíça de Bulle em 9 de julho de 2001, o futuro piloto tinha pai amante da velocidade: Philippe Dupasquier, de carreira efêmera no motociclismo, buscaria um futuro de maior sucesso para os filhos.

Jason era o primogênito, sendo Bryan o caçula, quatro anos mais novo. A pouca idade dificulta análises de longo prazo, mas vontade nunca pareceu faltar na família Dupasquier.

A jornada nas pistas começou em 2015, quando Jason disputou a temporada da Junior Cup alemã. O quinto lugar ainda não rendia troféu, mas era um resultado bastante digno para alguém que engatinhava nas pistas aos 14 anos de idade. Algo maior estava por vir em 2016: o título no campeonato alemão de Moto3. O grid podia não ser do mais alto nível, mas o resultado abriu caminho para o Mundial Júnior de Moto3 em 2017.

Jason Dupasquier apresentava clara evolução nas pistas (Foto: Prüstel Team)

👉 “Talentoso e promissor”: mundo do esporte a motor reage à morte de Dupasquier

Este degrau se provou mais complicado para Dupasquier. O suíço completou a temporada de estreia no Mundial Júnior de Moto3 em 30°, mal pontuando. Ficou claro que a experiência seria fundamental para voar mais alto, e ela começou a dar as caras em 2018: mesmo sem fazer todas as corridas, Jason pontuou mais. Era hora de tomar uma decisão dura: subir para a Rookies Cup, porta de entrada para o Mundial de Motovelocidade, ou seguir martelando no Mundial Júnior de Moto3?

A decisão foi a favor da Rookies Cup. E foi um acerto: logo de cara, Dupasquier deixou de ser um peregrino do fim do grid para virar um pontuador assíduo. Das 12 corridas, o suíço terminou 11, todas no top-10. O oitavo lugar na classificação final do campeonato significou passaporte carimbado para o Mundial de Moto3 já em 2020.

Jason Dupasquier estava em seu segundo ano na Moto3 (Foto: Prüstel Team)

Como de costume na Moto3, a transição foi dura. Cinco dos nove estreantes do grid de 2020 nem pontuaram, e Dupasquier foi um deles. Representando a Prüstel GP, o jovem não conseguiu ir além de um 17° lugar em Le Mans. Seria necessário perseverar, o que levou à decisão de renovar com a escuderia e seguir no grid para 2021.

O ano de experiência transformou Dupasquier da água para o vinho. O piloto que passou 15 corridas fora da zona de pontos em 2020 abriu 2021 com cinco top-15 seguidos. O sétimo lugar em Jerez, quarta etapa do ano, era a cara de um piloto em evolução, que foi para Mugello em décimo no campeonato. O futuro se tornava empolgante, mesmo que sem necessariamente um grande grau de brilhantismo. Essa empolgação nunca virá a ser realidade: Jason morreu após acidente grave no treino classificatório em Mugello.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar