KTM foge do padrão e acerta ao oferecer contrato duradouro para Binder na MotoGP

Brad Binder e KTM renovaram a parceria até o fim da temporada 2014. Juntos desde a Moto3, os dois lados podem estreitar ainda mais os laços e até mesmo sonhar com evoluções dentro da MotoGP, talvez até com outro título no Mundial de Motovelocidade

Fabio Quartararo livrou-se do protetor durante a corrida (Vídeo: Reprodução/FOX Sports)

Durante a última semana, às vésperas do GP da Catalunha, a KTM anunciou a renovação do cotnrato de Brad Binder por mais três temporadas, até o fim de 2024. O movimento surpreendeu pelo tamanho do acordo, maior do que muitas vezes foi visto na MotoGP nos últimos tempos.

Juntos desde 2012, KTM e Binder fazem uma parceria que já rendeu título na Moto3 em 2016 e vice-campeonato na Moto2 em 2019. Na classe rainha, uma vitória logo no ano de estreia fez o sul-africano despontar como uma das grandes promessas do Mundial e se colocar como um nome para se consolidar entre os grandes. O acordo longo prova esse ponto.

O sul-africano chegou à MotoGP no ano passado, na equipe de fábrica da KTM, e conseguiu logo de cara uma vitória no GP da Tchéquia, terceira etapa do calendário. Apesar de não ter conquistado outro pódio na classe rainha do Mundial de Motovelocidade, fechou o campeonato em 11º, com 87 pontos. Atualmente, após seis etapas em 2021, fez 43 pontos e ocupa a 9ª colocação.

LEIA TAMBÉM
 Oliveira ratifica melhora da KTM com vitória impecável no GP da Catalunha
 Produção em série de talentos por Moto3 e Moto2 coloca pressão nos pilotos da MotoGP

Brad Binder vai ficar na KTM até 2024 (Foto: KTM)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

A KTM também vai no sentido oposto do que as equipes estão fazendo. Enquanto a maioria das equipes aposta em contratos curtos, de uma só temporada. É o caso de Jack Miller, na Ducati, por exemplo. Johann Zarco e Jorge Martín também tiveram renovação só até o fim de 2022 na Pramac. Esse esquema parece criar uma sensação de rotatividade intensa na MotoGP, o que pode, de fato, acontecer dentro das montadoras.

Ainda que tenha menos vitórias que o companheiro Miguel Oliveira, vencedor na Catalunha no último fim de semana, Binder mostrou-se um bom competidor e conseguiu tirar bom desempenho da KTM mesmo quando a moto RC16 não estava boa, em Doha e Portugal. Em um campeonato equilibrado, manter um bom piloto é sempre promissor e cria uma expectativa de que a parceria pode alçar voos mais altos.

O acordo de Binder na KTM é importante para o sul-africano. Para 2022, a montadora austríaca já subiu Remy Gardner, líder da Moto2, para a Tech3. Raúl Fernández, vice da classe intermediária, é outro que deve subir em breve, criando ainda mais competitividade na MotoGP.

Enquanto isso, o acordo longo de Binder mostra que é possível se manter na MotoGP por mais tempo e ter um desenvolvimento maior, com uma equipe de confiança ao lado. Miguel Oliveira, o companheiro, deve seguir o mesmo caminho. Desde que chegou à categoria, aliás, a KTM preza por contratos duradouros — Pol Espargaró, por exemplo, ficou quatro anos — e Brad ter o mesmo destino.

Bom para sul-africano, bom para a KTM. Um acordo em que todos ganham e que outras equipes da MotoGP não tiveram coragem de arriscar.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar