Mir diz que é cedo para pensar em título da MotoGP: “É preciso vencer”

O espanhol da Suzuki evitou fazer previsões, destacou ainda ter muitas etapas até o fim do campeonato e apontou a força dos adversários

Joan Mir não quer se precipitar nas previsões para o título de 2020 da MotoGP. O espanhol destacou que ainda é cedo para se colocar como um dos principais postulantes, especialmente por ainda não ter vencido sua primeira corrida.

O piloto da Suzuki tem se mostrado um dos mais regulares do campeonato. Após oito etapas, subiu ao pódio em quatro oportunidades. Ainda, é o que mais terminou no top-3 no ano, ganhando terreno na briga – é o vice-líder com apenas oito pontos de desvantagem para o líder Fabio Quartararo.

“É muito cedo dizer agora. Claro, somos, mais ou menos, os mais constantes do grid e com certeza estamos próximos na classificação. É verdade que há muitos pilotos que são muito rápidos e há muito campeonato à frente, muitos pontos e muitos pilotos que são muito, muito fortes”, explicou.

Joan Mir Fabio QUartararo MotoGP 2020 GP da Catalunha
Mir está a oito pontos de Quartararo na briga pelo título (Foto: SRT)

“Sigo sem ter vencido. É preciso ganhar corridas. É verdade que estou sempre ali, os pontos vão se somando e estamos muito próximos do primeiro. Estou concentrado em vencer corridas, estar no pódio. O campeonato está vindo, os pontos estão vindo e estamos em uma posição muito boa, mas é preciso vencer”, observou. 

Na parte inicial do GP da Catalunha, o espanhol ficou preso atrás de Jack Miller antes de ultrapassá-lo na volta 15. Sobre a briga com o australiano, apontou que “é sempre difícil ultrapassar Jack e mais ainda nas primeiras voltas. Com certeza perdi alguns segundos com ele e provavelmente custou a corrida, mas não podia fazer nada.”

“Apenas jogou suas cartas, foi muito rápido no começo da corrida, mas sofreu muito com os pneus depois. Fui mais suave no começo, poupando os pneus. Tinha em mente isso e quando vi que todos estavam perdendo aderência traseira, tinha um pouco mais que os outros e também porque não fui tão rápido quanto os outros no início”, encerrou.

O GP da Catalunha foi bastante positivo para a Suzuki. Com a segunda posição de Mir e o terceiro de Álex Rins, o primeiro pódio do piloto em 2020, foi a primeira vez em 13 anos que voltou a ter dois pilotos no top-3.

Andrea Dovizioso chegou a Barcelona como líder da classificação. Entretanto, um acidente ainda na primeira volta o derrubou para quarto na classificação. Apesar do revés, o italiano ainda não jogou a toalha. Já Maverick Viñales, que largou em quarto e terminou em décimo, caiu para terceiro na tabela. O espanhol creditou a “corrida desastrosa” na Catalunha à falta de potência da Yamaha.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube