Viñales critica velocidade da Yamaha em Barcelona: “Correr ou não, não faria diferença”

O espanhol apontou que não tinha ritmo para acompanhar os adversários em Barcelona, dizendo que caso não tivesse corrido, não teria feito nenhuma diferença

Maverick Viñales não ficou nada satisfeito com o saldo final do GP da Catalunha. Frustrado em terminar em décimo, classificou a prova como desastrosa e apontou que a falta de potência da Yamaha foi uma das principais culpadas pela performance.

A fábrica de Iwata mostrou a força durante todo o fim de semana em Barcelona. Na classificação, fechou a primeira fila com Franco Morbidelli, Fabio Quartararo e Valentino Rossi, com o espanhol aparecendo em quarto – portanto, todas as motos no top-5.

Maverick, que foi para Montmeló embalado pela vitória no GP da Emília-Romanha, perdeu território na largada e não conseguiu recuperar ao longo das 24 voltas. “Hoje nada foi de acordo com o plano. Quando larguei e vi [Jack] Miller, [Johann] Zarco e [Danilo] Petrucci me ultrapassarem como se estivesse em aviões, percebi que seria um dia difícil”, apontou.

Maverick Viñales não teve GP da Catalunha positivo (Foto: Yamaha)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

“Simplesmente nos falta potência. Cheguei à primeira curva muito devagar, não tinha muito que poderia fazer. Eu me encontrei atrás de Aleix Espargaró e [Cal] Crutchlow por 16 voltas e era impossível ultrapassá-los. Apenas poderia esperar que tivessem problemas com os pneus e ultrapassá-los na freada por fora. Foi uma manobra doida, arrisquei cair”, continuou.

“Não há muito que dizer, quando se está atrás de alguém com a Yamaha, você não consegue ultrapassar. Neste final de semana, sofri muito com a aderência, mudamos muito a moto, talvez demais e perdemos a direção. No warm-up, tentei um acerto completamente diferente, não sabíamos o que escolher. Não fizemos um bom trabalho”, seguiu.

“Correr aqui ou não, não faria uma grande diferença. A única coisa que poderia fazer é cruzar a linha de chegada, brigar por cada ponto. Quando se vem de uma vitória e, então, tem uma corrida desastrosa você não entende muito, se sente perdido”, concluiu o piloto de 25 anos.

Após oito etapas disputadas em 2020, Viñales já subiu três vezes ao pódio, aparecendo na terceira colocação da classificação com 90 pontos, 28 de desvantagem para o líder Quartararo.

LEIA TAMBÉM
Quartararo retoma ponta e Mir ganha terreno na briga pelo título. Confira classificação
Fernández pula de moto em chamas no warm-up da Moto2 na Catalunha
Rossi assina contrato de um ano com Yamaha e corre pela SRT na temporada 2021

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube