Rossi assina contrato de um ano com Yamaha e corre pela SRT na temporada 2021

Italiano de Tavullia vai disputar a 22ª temporada na classe rainha. O piloto de 41 segue contando com o apoio da Yamaha

Valentino Rossi fica. Demorou muito mais do que o esperado ― especialmente para os padrões atuais da MotoGP ―, mas a Yamaha anunciou neste sábado (26) um acordo com o italiano, que defenderá a satélite SRT em 2021. Será a 22ª temporada do italiano na MotoGP.

O acerto entre o piloto de Tavullia e a escuderia malaia não é nenhuma surpresa. Desde que foi anunciada a saída da Yamaha ― para dar lugar a Fabio Quartararo ―, o time de Razlan Razali era o destino mais provável, mas o acordo tardou muito mais do que o previsto.

Inicialmente, a meta de Rossi era avaliar a performance em cima da YZR-M1 antes de definir a futuro, mas a pandemia do novo coronavírus acabou alterando o planejamento, já que o campeonato não pôde começar na data prevista. Assim, antes mesmo de os pilotos se reunirem em Jerez de la Frontera para iniciar a disputa no GP da Espanha, Valentino indicou que seguiria no Mundial, apostando apenas no que viu na pré-temporada.

Valentino Rossi completou 41 anos em fevereiro (Foto: Yamaha)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Estou muito feliz em continuar em 2021 e de fazer isso com a SRT. Pensei muito antes de tomar essa decisão, pois o desafio está aumentando cada vez mais. Para estar no topo da MotoGP, é preciso trabalhar muito e trabalhar duro, treinar todos os dias e ter uma ‘vida de atleta’, mas ainda gosto disso e quero seguir com a pilotagem”, disse Rossi. “Na primeira metade do ano, tomei minha decisão e conversei com a Yamaha, que concordou comigo. Eles me disseram que mesmo se não tivesse espaço para mim na equipe de fábrica, a moto e o apoio da fábrica estariam garantidos”, relatou.

“Estou muito feliz em ir para a SRT. São novos, mas mostraram ser uma equipe de ponta. São muito sérios e muito bem organizados. Para este ano, também mudei o chefe do meu time. Essa foi uma das razões que quis continuar, pois a atmosfera é algo de que gosto bastante”, comentou.

A assinatura do contrato, porém, tardou em chegar. Especulada desde julho, a rubrica aconteceu apenas neste sábado, depois que as partes conseguiram resolver todos os pormenores que retardaram o acerto ― a transferência da leal equipe técnica de Rossi foi uma questão para esta demora. E nem todos os mecânicos vão acompanhar o piloto: Alex Briggs e Brent Stephens não estarão na SRT.

A demora, contudo, deu ao filho de Graziano e Stafenia a chance de verificar o desempenho. Passadas as sete primeiras etapas de 2020, o italiano soma um pódio e tem a oitava posição no Mundial, 26 pontos atrás do líder Andrea Dovizioso, apesar de não ter completado duas corridas ― uma por quebra e outra por queda.

A delonga, por outro lado, também fez brotar rumores. Depois do susto do GP da Áustria, quando quase foi atingido pelas motos de Franco Morbidelli e Johann Zarco, alguns especularam uma aposentadoria, prontamente negada pelo piloto famoso pelo #46. Depois, quando Andrea Dovizioso confirmou a saída da Ducati, outros insinuaram que o piloto de Forli era alvo do interesse do time malaio, o que também foi descartado por Razali. Na ocasião, o sete vezes campeão voltou a apontar a proximidade da assinatura do contrato.

Como já era previsto, Valentino contará com apoio integral da Yamaha, que se comprometeu ainda no início do ano a dar uma M1 atualizada para o multicampeão caso ele optasse por permanecer na MotoGP.

Com o acordo, Rossi será companheiro de equipe de Franco Morbidelli, um de seus pupilos na Academia de Pilotos VR46.

“Vai ser legal ter Franco como companheiro, é um piloto da Academia, vai ser legal. Acho que podemos trabalhar juntos e fazer as coisas acontecerem”, completou.

Razali, que neste sábado andou pelo paddock exibindo um enorme sorriso, se disse honrado por ter Rossi dentro da equipe.

“Em nome da Petronas Yamaha Sepang Racing e de todos seus parceiros, é uma absoluta honra receber Valentino Rossi ― um piloto icônico e uma lenda ― na equipe no próximo ano”, disse Razali. “A experiência dele será um grande ativo para nós conforme avançamos para nossa terceira temporada na MotoGP e estamos certos de que poderemos aprender muito com Valentino”, avaliou.

“Ao mesmo tempo, faremos absolutamente o nosso melhor para ajudá-lo a ser competitivo para recompensá-lo pela confiança que depositou em nós como equipe”, prometeu. “Estamos muito felizes com esta oportunidade e prontos para o desafio. Acreditamos que a combinação de Valentino e Franco será uma força formidável na pista para nos ajudar na meta de sermos o mais competitivos possível no próximo ano. Mal podemos esperar”, frisou.

No total, Valentino defendeu o time de fábrica da Yamaha por 15 temporadas ― entre 2004 e 2010 e entre 2013 e 2020 ―, conquistando 56 vitórias, 144 pódios, 35 poles e os títulos de 2004, 2005, 2008 e 2009.

Diretor da Yamaha, Lin Jarvis celebrou a permanência de Rossi e voltou a afirmar que uma temporada afetada pela pandemia do novo coronavírus não era o melhor momento para um anúncio de aposentadoria.

“Estamos felizes que Valentino vai seguir na MotoGP por mais um ano e temos certeza de que os fãs do esporte se sentem da mesma maneira. Uma parte substancial da base de fãs da MotoGP cresceu com Valentino e o acompanhou por toda a sua carreira. A atual e final temporada com a Yamaha é a 25ª no Mundial e 15ª com a Yamaha”, lembrou Jarvis. “Asseguramos a Valentino que, caso continuasse em 2021, a Yamaha forneceria total apoio e a YZR-M1 de fábrica. No final, é exatamente o que decidiu fazer. Havia dito que uma temporada como a atual, afetada pela Covid-19, não era a ideal para um piloto lendário encerrar a carreira. Valentino sempre foi muito popular com os fãs ao redor do mundo, então, é ótimo que tenha decidido continuar por mais uma temporada. Esperamos que os fãs possam voltar para o traçado no próximo ano para acompanhar o GOAT [melhor de todos os tempos] em ação novamente”, comentou.

“Gostaria de agradecer a SRT por seu entusiasmo e total colaboração e acolhimento de Valentino. Ainda são uma equipe nova, mas são muito profissionais e sérios concorrentes a vencer corridas e se colocar no topo da classificação, então, temos certeza de que Valentino vai se sentir confortável e ser capaz de andar em seu melhor nível”, concluiu.

LEIA TAMBÉM
Francis Bradfield, o homem que protesta contra o racismo sozinho na MotoGP

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube