Vítima na Catalunha, Dovizioso mantém esperança de título: “Questão é ser rápido”

Piloto da Ducati não apontou culpados no incidente que o tirou do GP da Catalunha ainda na primeira volta. Italiano de Forli reconheceu que precisa ser mais rápido para seguir pensando em título

Andrea Dovizioso não escondeu a frustração por abandonar o GP da Catalunha ainda nos primeiros metros. O italiano foi derrubado por Johann Zarco ainda na segunda curva da corrida de domingo (28) e sequer teve como se defender.

“Não há nada a dizer, pois foi um incidente de corrida”, reconheceu Andrea. “Estou muito desapontado, especialmente por que quando algo assim acontece, você fica muito frustrado, mas não pode fazer nada. Perdemos muitos pontos em relação ao campeonato hoje”, lembrou.

A queda do italiano foi resultado de uma série de acontecimentos. O castelo de cartas começou a despencar com uma ação de Danilo Petrucci, que precisou frear por causa de Pol Espargaró. O italiano, que no ano que vem vai defender a Tech3 KTM, só soube disso depois da corrida.

Johann Zarco caiu e levou Andrea Dovizioso junto (Foto: Divulgação/MotoGP)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

“Estava vendo agora. O Pol freou na minha frente e eu o toquei, minha roda dianteira na traseira dele, e Johann freou e caiu”, relatou. “Lamento pelos que caíram atrás de mim, mas eu quase caí também, então, estava sendo muito cuidadoso para não tocar o freio dianteiro, ainda que Pol estivesse freando na minha frente e eu tivesse acabado de evitar uma queda. Lamento muito por Johann e Andrea, mas não acho que tenha culpa”, comentou.

O francês da Avintia, por sua vez, também falou em incidente de corrida e lembrou que a temperatura naquele ponto do traçado era um ponto crítico no fim de semana.

“Na curva 2, Petrucci teve um momento para evitar contato com uma KTM na frente dele, e eu precisei frear para não atingi-lo. Não foi violento, mas assim que toquei o freio dianteiro, eu caí”, relatou. “É uma pena para mim e Dovi, mas infelizmente, as corridas são assim. A curva 2 estava no limite em termos de temperatura, como provam as quedas”, frisou.

Dovizioso chegou em Barcelona na liderança do Mundial, mas com apenas um ponto de vantagem para Fabio Quartararo e Maverick Viñales. Agora, porém, o italiano caiu para a quarta colocação e tem 24 de atraso para o francês da SRT Yamaha.

Apenas 17º no grid, Dovizioso tinha feito uma boa largada e acredita que poderia ter terminado a corrida perto de Francesco Bagnaia, que recebeu a bandeirada na sexta colocação.

“Quando você assiste de fora, sempre parece mais fácil, então é difícil dizer. O ritmo nos treinos não era tão ruim e era parecido com o de Pecco. No fim da corrida, ele era realmente rápido, então, não sei se ele encontrou algo ou se aquilo seria possível para mim”, comentou.

Apesar do novo revés e de ainda não ter se entendido com a moto deste ano da Ducati, Andrea não entregou os pontos na briga pelo título de 2020. Mas sabe que precisa ser mais competitivo.

“A questão é ser rápido. Temos primeiro de fazer isso, aí poderemos pensar no campeonato”, observou. “A classificação está muito apertada e tudo pode acontecer, como dá para ver, então, toda corrida é importante. Não é sobre nenhuma corrida individual, é sobre as seis corridas restantes. Tudo é possível”, garantiu.

“Estou muito desapontado e frustrado com o resultado de hoje, mas como eu disse, temos de recuperar uma boa velocidade, pois se não tivermos isso, não há motivo para falar em campeonato”, encerrou.

LEIA TAMBÉM
Quartararo retoma ponta e Mir ganha terreno na briga pelo título. Confira classificação
Fernández pula de moto em chamas no warm-up da Moto2 na Catalunha
Rossi assina contrato de um ano com Yamaha e corre pela SRT na temporada 2021

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube