Acosta larga do pit-lane e bate Binder na linha de chegada de Doha para vencer na Moto3

Pedro Acosta conseguiu um feito incrível na Moto3 no GP de Doha. Saindo dos boxes, superou todos os rivais para conquistar a primeira vitória na categoria. Darryn Binder e Niccolò Antonelli fecharam o pódio em Losail

Jorge Martín arrancou aplausos do paddock da MotoGP (Vídeo: MotoGP)

O GP de Doha foi apenas a segunda prova de Pedro Acosta no Mundial de Motovelocidade, mas o novato andou como um veterano em Losail. Saindo dos boxes, após ser punido pelos comissários, o espanhol fez uma pilotagem irretocável, assumiu a liderança na última volta e superou Darryn Binder no detalhe para conquistar a primeira vitória.

Niccolò Antonelli fechou o pódio na terceira posição. Andrea Migno ficou em quarto, com Kaito Toba, Izan Guevara, Ayumu Sasaki, Ryusei Yamanaka, Jaume Masià e Romano Fenati fechando o top-10 no GP de Doha.

VEJA TAMBÉM
Fatos e curiosidades do GP de Doha da MotoGP (sem Marc Márquez)
Como ficou o grid de largada para o GP de Doha, segunda etapa da MotoGP

Darryn Binder ficou com a segunda posição no GP de Doha (Foto: SRT)

A prova foi marcada por muitas ultrapassagens, especialmente pela liderança, e alguns acidentes nos momentos finais. O que mais chamou a atenção foi entre Jeremy Alcoba e John McPhee nas voltas finais, causando até uma pequena briga na área de escape.

Com o resultado em Doha, Acosta chegou aos 45 pontos e assumiu a liderança do Mundial com nove de frente para Binder. Masià é o terceiro na tabela, seguido por Antonelli, Guevara, Toba, Rodrigo, Garcia, Migno e Suzuki. A KTM lidera o Mundial de Construtores, enquanto a Red Bull KTM Ajo tem a liderança do Mundial de Equipes.

A Moto3 retorna às pistas em 18 de abril para o GP de Portugal, em Portimão, terceira etapa da temporada 2021 do Mundial de Motovelocidade.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Saiba como foi o GP de Doha de Moto3:

Ainda no fim da tarde deste domingo (4), a Moto3 alinhou no grid de Doha com temperaturas elevadas. Os termômetros mediam 24°C no ambiente, com o asfalto chegando a 29°C. O vento também soprava forte, a 21 km/h.

No grid, todos os pilotos optaram pelo pneu dianteiro M da Dunlop, a versão mais resistente disponível. Na traseira, a maioria calçou o H1, mas Darryn Binder, John McPhee, Kaito Toba e Romano Fenati foram com o calçado mais macio, o S2.

Na corrida deste domingo, sete pilotos largaram do pit-lane por conta de uma punição aplicada pela FIM (Federação Internacional de Motociclismo) por direção perigosa ainda nos treinos de sexta-feira. A ordem de partida foi definida pelo treino de classificação, então, pela ordem: Sergio Garcia, Pedro Acosta, Romano Fenati, Stefano Nepa, Dennis Foggia, Riccardo Rossi e Deniz Öncü.

Quando as luzes se apagaram na reta de Losail, o pole Jaume Masià não conseguiu manter a ponta e foi superado por Gabriel Rodrigo, Tatsuki Suzuki e Darryn Binder. Ainda no início da primeira volta, o sul-africano saltou para a liderança, seguido por Rodrigo, Suzuki, Masià, Andrea Migno e Xavier Artigas.

A largada da Moto3 em Doha (Vídeo: MotoGP)

Suzuki conseguiu pular para o comando pouco depois, mas foi rapidamente superado por Kaito Toba. Binder respondeu rápido, se instalando em segundo. Artigas, por sua vez, começou a cumprir a pena por ter provocado um acidente na semana passada: o piloto tinha que completar duas vezes a punição da volta longa.

Na volta 3, Binder aproveitou o vácuo para retomar a liderança, com Rodrigo ficando com o segundo posto. Logo, porém, Toba e Filip Salac passaram Gabriel, que caiu para quarto, seguido por Suzuki, Antonelli, Migno e Masià.

John McPhee e Izan Guevara se tocam durante a corrida em Doha (Vídeo: MotoGP)

Como sempre acontece, o pelotão da frente viu uma série de mudanças de posição. Na volta 4, Salac aproveitou o vácuo para tomar a frente na curva 1, mas logo deu lugar a Suzuki. O piloto da Snipers não entregou os pontos e retomou a liderança metros depois.

Tatsuki aproveitou os metros finais para voltar para a primeira posição, mas tampouco conseguiu ficar lá por muito tempo, já que Rodrigo, Migno, Masià e Binder passaram para formar o top-4.

A briga pela ponta seguiu intensa. Mesmo depois de um lance muito próximo com Salac, Binder conseguiu avançar para retomar a liderança do GP de Doha, com Migno aparecendo para ficar na segunda colocação, à frente do companheiro de Snipers. Masià passou Rodrigo e era agora o quarto, com Adrián Fernández aparecendo em sexto.

Salac e Migno partiram juntos para o ataque. Filip se instalou na ponta brevemente, mas logo foi destronado pelo companheiro de equipe. Toba subiu para segundo pouco depois, escoltado por Masià, Fernández, Binder e Ayumu Sasaki.

Com 12 voltas para o fim da corrida, Migno chegou a abrir quase 0s3 de frente, mas a diferença em relação a Toba caiu rapidamente. O primeiro pelotão seguia com 19 pilotos.

Migno resistiu por um tempo ao ataque, mas, com dez voltas para o fim, Binder apareceu de volta na cabeça da corrida, agora à frente de Salac, Rodrigo e Andrea. Toba caiu para quinto, seguido por Masià, John McPhee e Jeremy Alcoba.

Salac aproveitou o vácuo e voltou à primeira posição, seguido por Binder, Rodrigo, Toba, McPhee, Alcoba e Migno. Darryn logo respondeu, mas não conseguiu manter a posição por muito tempo. O sul-africano foi engolido por um enorme pelotão e, depois de um toque na curva 1, saiu da linha rápida e acabou despencando para 14º.

Com uma manobra por dentro em Sasaki, Alcoba assumiu a liderança. Rodrigo era o terceiro, à frente de Koba, Migno e Suzuki.

Na 12ª das 18 voltas da corrida, Migno voltou ao topo da tabela, com Rodrigo aparecendo em segundo, à frente de Toba e Alcoba. O primeiro pelotão seguia enorme, com muitas trocas de posição acontecendo.

Na mesma volta, Artigas sofreu uma queda na curva 6 depois de um contato com Carlos Tatay, a primeira da corrida, e após algum trabalho para religar a moto, voltou à pista.

Enquanto isso, Migno sustentou a liderança, mas Salac, que vinha na melhor exibição da carreira, caiu na curva 2. O tcheco não se feriu, mas não conseguiu voltar à pista.

Com seis giros para o fim, Toba retomou a liderança, seguido por Migno, Rodrigo, Binder, Alcoba, Masià e McPhee. Logo depois, Alcoba perdeu o controle da moto e caiu levando McPhee. Irritado, o escocês partiu para a agressão contra o espanhol.

Com três voltas para o final, Masià assumiu a liderança, mas não durou muito. No giro seguinte, Rodrigo subiu para a ponta. Acosta, com muita ousadia, subiu para segundo logo depois e assumiu a liderança na reta principal quando os pilotos passavam pela penúltima vez no local.

Na última volta, Masià espalhou no meio do circuito e saiu da disputa, tirando Rodrigo da briga pela vitória também. Com isso, a briga ficou entre Acosta e Binder, mas o espanhol conseguiu a vitória por poucos milésimos, a primeira do novato no Mundial de Motovelocidade.

Restando apenas cinco giros, Toba abriu quase 0s2 de margem para McPhee na liderança da corrida. Pouco depois, Alcoba perdeu o controle e caiu após tocar a traseira de Binder. A moto, então, atingiu McPhee, que caiu sem chance de defesa. O britânico perdeu a cabeça momentaneamente e partiu para cima do rival ainda na área de escape na curva 1. O incidente, claro, será avaliado pelo Painel de Comissários da FIM.

FIM vai dar uma olhada no incidente (Foto: Reprodução)

Na curva 6, mais um incidente, agora com Adrian Fernández e Carlos Tatay, que caíram, mas escaparam de maiores ferimentos.

Enquanto isso, Masià conseguiu retomar a liderança, mas acabou superado por Rodrigo pouco depois. Binder era o terceiro, seguido por Acosta e Migno.

Na abertura da volta final, Acosta, que largou do pit-lane, tomou a liderança, com Binder se instalando em segundo, à frente de Migno, Rodrigo e Masià.

Uma vez na ponta, Acosta imprimiu um ritmo muito forte para abrir vantagem e conseguir se defender dos demais. Rodrigo, por outro lado, errou e acabou caindo para 13º.

Nos metros finais, Binder ainda conseguiu encostar, mas Pedro recebeu a bandeirada 0s039 antes. Niccolò Antonelli completou o top-3.

GUIA MOTOGP 2021
⇝ MotoGP chega igual, mas diferente em campeonato condicionado por pandemia
⇝ Conheça quem são as equipes e pilotos para a temporada 2021 da MotoGP
⇝ Suzuki segue vida sem Brivio e tenta feito do bicampeonato na MotoGP em 2021
⇝ MotoGP volta com mistério: Marc Márquez retorna após três cirurgias? E como?
⇝ Honda aposta em encaixe de Pol Espargaró por encerramento de série de insucessos
⇝ Mir defende título da MotoGP para mostrar que conquista de 2020 não foi acaso
⇝ Quartararo precisará de regularidade e cabeça no lugar para substituir Rossi
⇝ Bastianini, Marini e Martín sobem para MotoGP com promessa de briga parelha
⇝ Yamaha rejuvenesce com Viñales e Quartararo e busca consistência na M1
⇝ Aos 42 anos, Rossi tem recomeço na MotoGP com SRT. Mas qual será o futuro?
⇝ Pol Espargaró tem chance da vida na MotoGP. Assustar Márquez é outra história
⇝ Equilíbrio também deve ser a marca nas categorias de apoio à MotoGP
⇝ Ducati faz mudanças arriscadas para deixar decepções de 2020 no passado
⇝ Aprilia ‘inventa’ Savadori e coloca tudo nas costas de Aleix Espargaró
⇝ VR46 dá primeiro passo na MotoGP ainda sem dizer se veio para ficar
⇝ Sucesso da Academia VR46, Morbidelli tenta aproveitar garagem com Rossi

Moto3 2021, GP de Doha, Losail, Corrida:

1P ACOSTARed Bull KTM Ajo38:22.43018 voltas
2D BINDERSIC HONDA+0.039 
3N ANTONELLIAvintia KTM+0.482 
4A MIGNOSnipers Honda+0.514 
5K TOBACIP KTM+0.651 
6I GUEVARAAspar KTM+0.708 
7A SASAKITech3 KTM+1.805 
8R YAMANAKAPrüstel KTM+1.857 
9J MASIÀRed Bull KTM Ajo+1.875 
10R FENATIMAX Husqvarna+1.967 
11J DUPASQUIERPrüstel KTM+1.994 
12G RODRIGOGresini Honda+2.234 
13T SUZUKISIC58 Honda+2.334 
14M KOFLERCIP KTM+2.349 
15Y KUNIIAsia Honda+2.360 
16S NEPABOE KTM+5.459 
17D FOGGIALeopard Honda+11.152 
18D ÖNCÜTech3 KTM+11.185 
19R ROSSIBOE KTM+16.096 
20L FELLONSIC58 Honda+17.230 
21C TATAYAvintia KTM+18.580 
22A FARID IZDIHARAsia Honda+25.972 
23S GARCIAAspar KTM+42.085 
24A FERNÁNDEZMAX HusqvarnaAbandonou 
25J MCPHEESIC HONDAAbandonou 
26J ALCOBAGresini HondaAbandonou 
27F SALACSnipers HondaAbandonou 
28X ARTIGASLeopard HondaAbandonou 
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar