Pilotos alertam para falta de segurança do Red Bull Ring na chuva: “Estamos preocupados”

Com previsão de chuva para classificação e corrida da MotoGP, os pilotos indicaram os pontos mais preocupantes do traçado, ressaltando o acúmulo de água no traçado

A possibilidade de chuva para o fim de semana do GP da Áustria da MotoGP preocupa os pilotos. O motivo apontado é que as características do Red Bull Ring, com ondulações, subidas e descidas, o torna um traçado bastante perigoso em condições molhadas.

As três primeiras etapas do calendário – duas em Jerez de la Frontera e uma na Tchéquia, aconteceram sob forte calor, com o termômetro chegando a marcar 40ºC no GP da Andaluzia. Entretanto, na quarta corrida da temporada, o clima vai ser muito mais fresco. Inclusive, Valentino Rossi crê que isso vai dar tom de imprevisibilidade para a prova.

Na Estíria, a previsão do tempo aponta média de temperatura de 24ºC de máxima e 15ºC de mínima. Ainda, a classificação acontece com 70% de probabilidade de chuva e a disputa, 50%. Isso ligou um alerta em pilotos como Cal Crutchlow, Jack Miller, Fabio Quartararo e Valentino Rossi, que chegaram a comentar o assunto durante a quinta-feira de entrevistas em Spielberg.

 “Não gosto de pilotar aqui com chuva. Nos últimos anos, não tenho gostado de andar na chuva em lugar nenhum, mas aqui fica parecendo gelo. E não é como se houvesse muitas áreas de escape. Estamos bastante preocupados com isso. Especialmente porque na quinta-feira à tarde choveu por algumas horas e a água estava na altura do tornozelo na pista”, apontou Crutchlow.

Quartararo e Rossi mostraram suas preocupações com a pista (Foto: SRT)

“Há muitas ondulações aqui, nas curvas 1 e 2, e bem no ponto em que aceleramos muito havia muita água. Vi uma van dirigir pela pista e o spray que saía era impressionante. Então acho que temos de ser sensíveis, olhar para a situação e ver a partir daí. Mas me parece que vai ter muita chuva. Ontem era para ter chovido o dia todo, mas choveu bem pouco. Então vai ser difícil de prever”, completou o inglês.

O australiano da Pramac foi outro que mostrou preocupação com o circuito, aproveitando para deixar clara sua aversão a condições molhadas. “100% [perigosa no molhado]. Se tivesse um guarda-chuva, iria para fora e tiraria uma foto da cachoeira descendo na curva 1. É uma descida, então é fácil para a água correr. Há muita água ali e você precisa pilotar a mais de 300 km/h, sujeito a aquaplanagem e tudo mais”, explicou.

“Com certeza esse não é o circuito mais seguro do calendário. E ter condição molhada não é o ideal. A freada na curva 3 é muito parecida com Suzuka na última curva. O problema que eles têm lá e o motivo de terem parado de ir é porque você freia na direção de uma parede. Se perder a dianteira, acerta o muro. Todos pensam que gosto de pilotar na chuva, mas não gosto. Eu odeio. Espero que esteja seco”, continuou.

Valentino Rossi foi outro que tocou no assunto e concordou com os colegas. “No passado, tivemos problemas na freada das curvas 1 e 3, onde houve muitas quedas, especialmente na Moto2. Talvez o problema é que não havia muita borracha no asfalto e ficou escorregadio com água, mas se recapearam então a situação pode ser melhor. Veremos se vai ser seguro o suficiente, mas espero que seja uma corrida no seco”, disse.

Para terminar, Fabio Quartararo sublinhou que “honestamente, no primeiro ano em que pilotei no molhado aqui, a curva estava na direita e eu caí para a esquerda. Esse tipo de condição não é boa, é verdade que com todas as subidas e descidas na curva 2 muita água pode acumular, ficando muito difícil para nós. Mas precisamos checar as condições da pista – a direção de prova vai conferir se é o melhor para nós, mas vai haver um ponto que a segurança vai ser complicada para nós”.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO? Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.
Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.
Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube