Rossi volta a testar positivo para Covid-19, e Yamaha põe Gerloff em stand-by em Valência

A Yamaha anunciou nesta quarta-feira (4) que o último teste de PCR feito por Valentino Rossi voltou a dar positivo. Italiano precisa de dois negativos para poder participar do GP da Europa

Valentino Rossi ainda não está pronto para voltar à MotoGP. O italiano testou positivo para Covid-19 novamente no teste de PCR feito na terça-feira (3) e, por isso, a Yamaha nomeou Garrett Gerloff como eventual substituto para o GP da Europa deste fim de semana.

Rossi testou positivo para o novo coronavírus pela primeira vez em 15 de outubro e perdeu os GPs de Aragão e Teruel. A Yamaha optou por não substituir o multicampeão nas corridas do MotorLand, mas, caso o irmão de Luca Marini não possa correr neste fim de semana, o regulamento da MotoGP exige que a fábrica de Iwata apresente um substituto.

Garrett Gerloff, MotoGP 2020, Yamaha
Garrett Gerloff vai assumir a Yamaha se Rossi não puder correr no GP da Europa (Foto: Yamaha)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Depois que iniciou o isolamento, Rossi concedeu uma entrevista a uma rádio italiana e brincou com o “olho bom” da Covid-19. Depois, porém, o italiano ficou em silêncio, mas a Yamaha declarou ainda no MotorLand que o piloto já não apresentava mais sintomas.

No último dia 29, a namorada de Valentino, a modelo italiana Francesca Sofia Novello, de 27 anos, anunciou no Instagram que já tinha testado negativo para Covid-19 após contrair a doença. O piloto de 41 anos, porém, não teve a mesma sorte.

Em um comunicado enviado à imprensa nesta quarta-feira (4), a marca dos três diapasões explicou que Rossi precisa de dois testes PCR negativos e, caso não consiga, será substituído pelo piloto do Texas, que corre com o #31.

“Depois dos dois fins de semana de GP em Aragão, em outubro, onde Maverick Viñales foi o único piloto da Monster Energy Yamaha MotoGP, a equipe está feliz em anunciar que incorporou Garrett Gerloff como potencial piloto para o GP da Europa”, disse a Yamaha. “Se Rossi não puder cumprir a exigência de dois PCRs negativos para poder participar do GP deste fim de semana, o americano será o substituto”, apontou.

“O último teste PCR de Rossi foi feito na terça-feira, 3 de novembro, e voltou com um resultado positivo para Covid-19. No entanto, hoje o italiano fará um novo teste. Se o resultado der negativo, ele terá tempo de fazer um segundo teste PCR e voar para Valência”, detalhou. “Se Rossi for declarado inapto para correr em Valência, Gerloff será apoiado pela tradicional equipe do piloto número 46 para a primeira experiência pilotando a YZR-M1”, completou.

A opção por Gerloff para a vaga de Rossi surpreende pelo fato de a Yamaha ter Jorge Lorenzo como piloto de testes. Ainda assim, não é incomum que um piloto do Mundial de Superbike apareça como substituto. No passado, a própria marca japonesa já escalou nomes como Alex Lowes e Michael van der Mark para assumir a M1 na ausência de um titular.

Chama a atenção, contudo, que a fábrica dos três diapasões não tenha escalado Toprak Razgatlıoğlu, já que o turco é piloto oficial da Yamaha na série das motos de produção.

Nascido em Woodlands, no Texas, Gerloff foi bicampeão da categoria Supersport do MotoAmerica, o campeonato nacional dos Estados Unidos. Depois de duas temporadas com o time oficial da Yamaha na classe Superbike ― inclusive com o terceiro lugar na classificação final do ano passado ―, Garrett saltou para o Mundial neste ano e fechou a temporada de estreia com a 11ª colocação, somando dois pódios.

O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do GP da Europa, antepenúltima etapa do Mundial de Motovelocidade 2020.

Ouça os programas do GRANDE PRÊMIO no formato de podcast:
Anchor | Apple | Spotify | Google | Pocket Cast | Radio Public | Breaker

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube