Rossi revela teste positivo para Covid-19 e fica fora do GP de Aragão da MotoGP

O italiano vai ser baixa para a Yamaha na primeira etapa da rodada dupla em MotorLand. Através de suas redes sociais, afirmou não ter se sentido bem e após uma série de exames, deu positivo para coronavírus

Valentino Rossi testou positivo para Covid-19 e não corre o GP de Aragão da MotoGP. Nesta quinta-feira (15), através de suas redes sociais, o multicampeão afirmou não ter se sentido bem e, após o exame, constatou a doença.

Com a confirmação do Doutor, trata-se do segundo piloto em todo o Mundial de Motovelocidade a contrair o novo coronavírus. O outro foi Jorge Martín, atualmente na Moto2, que ficou de fora da rodada dupla em Misano.

Na corrida anterior, na França, a Yamaha precisou isolar seis pessoas após um engenheiro do time contrair o vírus. Os membros não-europeus do paddock estão ficando em Andorra para cumprir as leis imigratórias, já que os vistos de trabalho que possuem são válidos por apenas 90 dias e eles não podem voltar para casa.

“Infelizmente, acordei nesta manhã não me sentindo muito bem. Meus ossos doíam e tinha uma pequena febre, imediatamente liguei ao doutor que me testou duas vezes. O teste rápido PCR deu negativo, assim como o outro que passei na terça-feira, mas o segundo, que enviaram o resultado às 16h desta tarde, deu positivo”, escreveu o piloto de 41 anos.

Valentino Rossi, Yamaha, MotoGP 2020, Portimão, Teste
Valentino Rossi desfalca a Yamaha em Aragão (Foto: Yamaha)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“Estou muito decepcionado por perder a corrida em Aragão, gostaria de ser otimista e confiante, mas temo perder a segunda corrida em Aragão também. Estou triste e bravo porque fiz o meu melhor para respeitar o protocolo, e mesmo com o teste de terça-feira dando negativo, me isolei desde que cheguei de Le Mans. De qualquer forma, aconteceu, não posso fazer nada para mudar a situação. Vou seguir os conselhos médicos e espero me sentir melhor em breve”, completou.

Em um comunicado enviado à imprensa, a Yamaha deu um cronograma das ações de Rossi até o teste positivo:

11/10: Rossi deixou Le Mans e viajou para casa, em Tavullia, na Itália;
13/10: Rossi passou pelo teste de PCR, compulsório para todos os pilotos que voltam para casa entre as corridas. Resultado chegou no dia seguinte e deu negativo;
14/10: Sem nenhum sintoma, Rossi treinou normalmente;
15/10: Valentino acordou um pouco dolorido e com febre, o que o levou a procurar um médico. O piloto, então, foi submetido a dois testes: um teste rápido de PCR, que deu negativo, e um PCR normal, que, às 16h locais desta quinta-feira, voltou com resultado positivo.

Ainda de acordo com a casa de Iwata, entre a noite de domingo e o positivo desta quinta-feira, Rossi não teve contato com nenhuma pessoa que está presente no GP deste fim de semana, incluindo os integrantes da Academia de Pilotos VR46 e os funcionários da VR46.

“Esta é uma notícia muito ruim para Valentino, para a equipe Yamaha e para todos os fãs da MotoGP ao redor do mundo. Primeiro e antes de mais nada, desejamos que Valentino não sofra muito nos próximos dias e que se recupere prontamente no menor tempo possível”, disse Lin Jarvis, diretor da Yamaha.

Valentino Rossi é o segundo piloto do mundial a ter Covid-19 (Foto: Divulgação/MotoGP)

“Este é um segundo golpe para a nossa operação, já que enfrentamos a ausência do nosso Líder de Projeto Sumi-san e de cinco engenheiros da Yamaha na corrida de Le Mans depois de um membro testar positivo ― apesar de, felizmente, estar totalmente assintomático”, seguiu.

“Estes dois incidentes nos lembram de que não importa o quão cuidadosos somos, o risco está sempre presente ― como vemos pelo aumento nos casos de infecções na Europa no momento”, ressaltou. “Nós falamos com as autoridades médicas italianas e fomos orientados de que qualquer membro da nossa equipe que teve contato com Valentino até segunda-feira está livre de qualquer risco. No entanto, ficarmos ainda mais atentos a partir de agora para minimizar a chance de problemas futuros”, assegurou.

É bem provável que Rossi também se ausente do GP de Teruel da semana que vem, disputado no mesmo circuito aragonês. Pelo regulamento do Mundial, a Yamaha não terá de substituir o piloto da moto #46 neste fim de semana, mas deve escalar um substituto para a semana que vem. Atualmente, Jorge Lorenzo é o piloto de testes da marca.

No mundo do esporte a motor, a Fórmula 1 também teve teste positivo no grid. Sergio Pérez teve de perder as duas corridas em Silverstone após detectar o novo coronavírus, sendo substituído por Nico Hülkenberg na época.

MotoGP tem nova rotina na pandemia

A pandemia do novo coronavírus mudou a cara da MotoGP. Além de adiar o início do campeonato em 133 dias, o surto de Covid-19 também alterou a forma de as pessoas se relacionarem, barrou a presença de público e também tornou obrigatório o uso de equipamentos de proteção pessoal.

Na abertura do campeonato, no GP da Espanha, a Yamaha deu detalhes das medidas que adotou para cumprir o protocolo sanitário: além de distanciamento e EPIs, a fábrica de Iwata também passou a produzir a alimentação da SRT, não só da equipe satélite, mas também dos times de Moto3 e Moto2, que não contam com uma relação esportiva com a marca.

LEIA TAMBÉM
Moedor à italiana, Ducati tem má gestão escancarada com vitória de Petrucci
Salto de Marini para MotoGP em 2021 vira guerra entre VR46 e Avintia

Suzuki precisa resolver déficit de classificação para enfim se tornar grande na MotoGP
Márquez & Márquez: as estreias de Marc e Álex no pódio da MotoGP

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube