Suzuki exalta união em estadia prolongada no Catar: “Orgulho do meu pessoal”

Shinichi Sahara disse que ficou surpreso ao saber que a Suzuki era a única equipe que ficaria permanentemente no Catar entre os testes da pré-temporada e o fim do GP de Doha

As voltas virtuais no novo autódromo da Hungria (Vídeo: Dromo design)

Chefe da Suzuki, Shinichi Sahara manifestou o orgulho que sente dos funcionários da equipe pela decisão de permanecerem no Catar entre os testes da pré-temporada e o GP de Doha. O dirigente exaltou a união do grupo.

A marca de Hamamatsu optou por manter todo o grupo no Catar, inclusive os pilotos, por um período superior a um mês. A opção foi uma tentativa de evitar contágio pelo novo coronavírus.

Os pilotos permaneceram com o time e também não retornaram para a Europa (Foto: Suzuki)

GUIA MOTOGP 2021
⇝ MotoGP chega igual, mas diferente em campeonato condicionado por pandemia
⇝ Conheça quem são as equipes e pilotos para a temporada 2021 da MotoGP
⇝ Suzuki segue vida sem Brivio e tenta feito do bicampeonato na MotoGP em 2021
⇝ MotoGP volta com mistério: Marc Márquez retorna após três cirurgias? E como?
⇝ Honda aposta em encaixe de Pol Espargaró por encerramento de série de insucessos
⇝ Mir defende título da MotoGP para mostrar que conquista de 2020 não foi acaso
⇝ Quartararo precisará de regularidade e cabeça no lugar para substituir Rossi
⇝ Bastianini, Marini e Martín sobem para MotoGP com promessa de briga parelha

A Suzuki encerrou no ano passado um jejum de 20 anos sem títulos ao vencer o Mundial com Joan Mir. Agora, terá a missão de defender a coroa.

“Perguntei a toda equipe o que eles achavam de permanecer no Catar entre os dias de teste e as corridas, para evitar qualquer risco de infecção pelo vírus da Covid-19 enquanto viajavam e ficavam em casa com a família”, disse Sahara. “Eles todos aceitaram, inclusive os pilotos Joan Mir e Álex Rins. Isso me deixa muito orgulhoso do grupo que somos”, seguiu.

Por conta da decisão, os funcionários da Suzuki vão passar cinco semanas longe das famílias.

“Quando me disseram que seriamos a única equipe a ficar no Catar, incluindo os pilotos, pensei: ‘Uau, devo me orgulhar do meu pessoal’. Talvez estejamos provando mais uma vez que somos a equipe mais unida, já que encaramos essa situação difícil todos juntos, como um grupo forte e uma família”, comentou.

Campeão vigente, Mir falou em ato de responsabilidade e admitiu que não se sentiria confortável em casa enquanto o restante da equipe se sacrificava no Catar.

“Decidi ficar no Catar como um ato de responsabilidade, levando em conta o risco de infecção durante as viagens, tanto para nós quanto para os outros. Quero proteger a mim mesmo e a quem eu amo, mas também ao meu time, que está se esforçando para começar a temporada da melhor maneira possível”, falou Mir. “Eu não ficaria confortável em casa com os meus amigos e família sabendo que a minha equipe e todo o time estão no Catar com limitações e fazendo um sacrifício. Além disso, temos sorte, pois estamos em um hotel muito bom e sendo muito bem tratados”, comentou.

Rins destacou que a bolha criada pela Suzuki também dá tranquilidade nesse início de campeonato.

“No fim, decidimos ficar aqui, pois é a maneira de criar uma bolha completa com toda a equipe Suzuki junta, sem exceção”, declarou Álex. “Antes de mais nada, isso significa que estamos mais seguros e também podemos ficar mais calmos pensando nas próximas corridas”, completou.

Muitas das outras equipes da MotoGP deixaram ao menos alguns funcionários no Catar entre os testes e as corridas, mas outras liberaram a volta para casa.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

https://open.spotify.com/episode/56EWZtjjXZerTSc5mEGdpr?si=dXJwGloaQQ6ZEGdY1gUInQ&nd=1

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube