Yamaha vence com Quartararo, mas precisa ficar alerta com deficiências para 2022

Apesar do título conquistado por Fabio Quartararo em 2021, a Yamaha viu a Ducati reagir e mostrar bom rendimento. A taça, no fim, escondeu deficiências da montadora japonesa na MotoGP e ligam o sinal amarelo

Quando Fabio Quartararo chegou à equipe de fábrica da Yamaha, sabia que a moto YZR-M1 não era a melhor do grid. E os testes de pré-temporada, no Catar, mostraram isso, dominados pela Ducati. Mesmo assim, o título da MotoGP chegou para a fábrica de Iwata em um campeonato irrepreensível do piloto francês.

Apesar da conquista, a Yamaha foi derrota pela rival Ducati nos campeonatos de Equipes e Construtores. Afinal, só Quartararo parece ter feito algo digno de nota na montadora na atual temporada. Maverick Viñales, Valentino Rossi, Franco Morbidelli e outros convidados pouco acrescentaram na batalha conjunta.

Bem equilibrada, a Yamaha apostou neste ponto para encarar a Ducati em boa parte das pistas, mesmo quando parecia atrás em ritmo nas classificações ou corridas. O domínio de Quartararo nas provas davam a sensação de facilidade, mas acabaram mascarando deficiências no equipamento, principalmente na velocidade alcançada.

Título de Fabio Quartararo não esconde falhas da montadora japonesa (Foto: Yamaha)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Todos sabem que a Ducati possui melhor velocidade nas retas, impulsionada por um motor potente e ajustes que a favorecem neste ponto. No primeiro teste para 2022, em Jerez, Quartararo notou que a diferença segue grande para o próximo ano, mesmo que o circuito espanhol não possua grandes retas.

“É bem estranho, pois, em Mugello, a diferença de velocidade é de cerca de 10 km/h e aqui hoje também foi de cerca de 10 km/h. Então não entendo, mas acho que a aerodinâmica que eles têm nesta moto é enorme, e acho que precisamos trabalhar muito nessa área, para ter um pouco mais de downforce. Acho que esta é uma das coisas mais importantes”, pontuou Quartararo.

“E, para mim, claramente, aquela época em que a Ducati não fazia curva por ser uma moto grande, não existe mais”, defendeu. “E acho que a Ducati agora, com combinação de pilotos ― não estou dizendo que é a moto que faz a diferença, pois odeio dizer que a moto é melhor ―, mas a moto precisa de um piloto e a combinação do piloto com a moto que é a Ducati faz com que eles sejam superfortes. Nós precisamos melhorar em muitas áreas.Mas, claro, [a Ducati] é super-rápida e eles parecem realmente fortes”, completou.

Para muitos, esse pode ser o único ponto de melhoria da montadora japonesa, algo que há muito tempo já é comentado pelos pilotos que passam por lá e que nunca foram atendidos, em vista que a Ducati segue dominante em velocidades máximas ao longo das últimas temporadas. O próprio Fabio questionou o time após o fraco desempenho no GP do Algarve.

Fabio Quartararo fechou os testes com o terceiro tempo (Foto: Yamaha)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

“É uma pena que tenhamos esse tipo de dificuldades, pois a moto é muito boa de pilotar, mas, com essa velocidade, na podemos cometer erros. Mesmo que percamos em outra área, precisamos ganhar velocidade máxima, pois ultrapassar é simplesmente um pesadelo. Bom, simplesmente não podemos ultrapassar”, frisou.

“Além disso, durante o ano, podemos trazer um novo chassi. Podemos ter uma evolução no teste de Jerez, no teste de Misano, no teste de Barcelona, mas não podemos ter uma evolução do motor”, ponderou. “Então acho que deveram pressionar muito, muito mais no motor, pois, para ser sincero, o futuro não será fácil”, seguiu o francês.

A temporada 2022 da MotoGP já começou e a Ducati continua mostrando suas garras. O domínio visto em pistas que não favoreciam o time vermelho assombrou o Mundial de Motovelocidade, com direito a quatro vitórias de Francesco Bagnaia nas últimas seis corridas. Ou a Yamaha muda pontos fundamentais, ou vai precisar de outra atuação de gala de Quartararo. O futuro dele na marca, aliás, já está condicionado a essas mudanças.

“Estou pedindo coisas muito importantes. Depois, se não demonstrarem o que eu peço, ou que estão pelo menos tentando e que existe uma pequena melhora, é bom. Mas se eu notar que estão indo em uma direção totalmente diferente, isso poderia afetar o meu futuro com a Yamaha”, cravou.

É a hora da mudança da Yamaha, para não contar apenas com o brilho solitário de um piloto iluminado, mas para voltar a ser uma fábrica temida no grid da MotoGP.

GRANDE PRÊMIO lança especial que celebra carreira de Valentino Rossi. ACESSE
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar