Quartararo cita dificuldade de ultrapassar e pressiona Yamaha por melhora no motor

Francês considerou que tinha bom ritmo no GP do Algarve, mas acabou empacado atrás da Ducati de Jorge Martín. O campeão de 2021 pediu que a casa de Iwata priorize o desenvolvimento do motor, mesmo que a YZR-M1 perca performance em outras áreas

CINCO DISPUTAS PARA SE OBSERVAR NO FIM DO MUNDIAL DE MOTOVELOCIDADE | GP às 10

Fabio Quartararo pressionou a Yamaha por melhora do motor da YZR-M1. O campeão de 2021 ressaltou que ficou empacado atrás da Ducati de Jorge Martín no GP do Algarve de domingo (7) por causa do déficit de velocidade da moto japonesa e considerou que é preciso evoluir neste quesito, ainda que isso signifique comprometer a performance em outra área.

A segunda visita da MotoGP a Portimão na temporada deixou evidente a dificuldade da Yamaha em ultrapassar, especialmente quando o confronto é contra uma Ducati, reconhecida pela força do motor.

Fabio Quartararo avaliou que é um “inferno” ultrapassar com a Yamaha (Foto: Yamaha)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Em um ano de muitas visitas a primeira fila, Quartararo sofreu em Portimão após se classificar em sétimo. Apesar de ter demonstrado um bom ritmo, o francês de Nice não conseguiu repetir o que fez em Misano, quando saiu em 15º e recebeu a bandeirada em quarto ― beneficiado, também, pelas quedas de oito rivais ― e não só não avançou, como sequer completou a disputa, já que caiu com três voltas para o fim, quando estava em sexto.

“Quando você está preso atrás de uma Ducati, você está só… Honestamente, eu poderia ter sido muito mais rápido em toda a corrida. Eu, com certeza, poderia ter o ritmo de Pecco [Bagnaia, que venceu a corrida]”, disse Quartararo. “Lembro que ele começou em 11º aqui [em abril] e ultrapassar não foi um grande problema, mas eu, fiquei 15 voltas atrás de Martín e, mesmo que ele fosse 1s mais lento, não podia ultrapassar”, comentou.

“Para mim, a aderência foi muito melhor hoje, mas, para ser honesto, estamos muito atrás com a velocidade que temos neste tipo de pista”, ponderou. “Se você faz uma ótima classificação, poderia ter lutado pela vitória. Mas se você erra na classificação, pode dizer adeus ao pódio e a vitória”, resumiu.

Na penúltima etapa de 2021, Quartararo registrou o primeiro abandono do ano.

“Para ser sincero, quando caí, eu estava no limite e não podia fazer a curva, mas sei que se [saísse da trajetória], poderia ter sido ultrapassado por outros, então simplesmente tentei. E a tentativa não funcionou”, explicou.

O francês aproveitou a ocasião para sinalizar à Yamaha que a evolução do motor da YZR-M1 precisa ser uma prioridade para 2022.

“É uma pena que tenhamos esse tipo de dificuldades, pois a moto é muito boa de pilotar, mas, com essa velocidade, na podemos cometer erros”, reconheceu. “Mesmo que percamos em outra área, precisamos ganhar velocidade máxima, pois ultrapassar é simplesmente um pesadelo. Bom, simplesmente não podemos ultrapassar”, frisou.

“Além disso, durante o ano, podemos trazer um novo chassi. Podemos ter uma evolução no teste de Jerez, no teste de Misano, no teste de Barcelona, mas não podemos ter uma evolução do motor”, ponderou. “Então acho que deveram pressionar muito, muito mais no motor, pois, para ser sincero, o futuro não será fácil”, completou.

MotoGP volta a acelerar no próximo domingo (14), para a última etapa da temporada, o GP da Comunidade Valenciana, em Valência. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2021.

LEIA TAMBÉM
# Bagnaia domina rivais, alcança melhor fase e se coloca como um dos favoritos para 2022

AUMENTO NA IDADE MÍNIMA É REAÇÃO NECESSÁRIAS A TRAGÉDIAS DO MOTOCICLISMO | GP às 10
Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar