Lenda dos caminhões no Dakar, De Rooy morre aos 80 anos na Holanda

Famoso por suas empreitadas com a DAF nos caminhões no Rali Dakar na década de 80, o holandês Jan de Rooy morreu nesta quarta-feira (31) na Holanda

O mundo do rali perdeu um de seus nomes mais icônicos nesta quarta-feira (31). O holandês Jan de Rooy, vencedor do Rali Dakar de 1987 nos caminhões e responsável por um dois veículos mais marcantes da competição, morreu na Holanda aos 80 anos. Ele vivia uma vida reclusa em Middelbeers com sua parceira e, de acordo com a família, faleceu em paz.

“Após uma breve doença, nosso pai, marido e avô faleceu em paz e foi reunido com nosso grande amor, Annie. Ele dedicou 65 anos a sua empresa de transportes De Rooy, que celebrou seu centenário no último ano”, disse a família em comunicado da empresa.

Relacionadas


De Rooy nasceu na cidade de Eindhoven em 1943 e assumiu a empresa de transportes do pai, Graad, aos 22 anos, mas ficou mais famoso por suas empreitadas com a DAF, marca holandesa de caminhões, no Dakar. Foi na competição em solo africano que ele ganhou o apelido de ‘De Beer’ (O Urso), não só por sua alta estatura mas também por sua habilidade e coragem ao volante.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

O icônico Twin Turbo de Jan de Rooy em 1987 (Foto: Creative Commons)

Extremamente criativo, Jan teve a ideia de juntar duas caminhões em um só para a competição de 1984, com duas cabines e dois motores. A partir daí, passou a incrementar cada vez mais o caminhão, e com um modelo com dois motores turbo, DAF Turbo Twin ll, venceu a competição em 1987, com uma vantagem de mais de catorze horas e obtendo o 11º lugar geral no Dakar.

Para 1988, a DAF incentivou De Rooy a construir um caminhão ainda mais potente e aí surgiu o 95 TurboTwin X1. Com mais de 1200 cavalos de potência, foi construído para vencer o Dakar na classificação geral e protagonizou uma das cenas mais famosas do rali, ultrapassando o carro de Ari Vatanen, tetracampeão da competição.

Além de sua própria máquina, De Rooy também levou um segundo caminhão, que infelizmente se envolveu em um acidente grave que acabou com a morte do navegador Kees van Loevezijn. Após o incidente, a DAF optou por se retirar do Dakar.

Jan só voltaria a competir em 2002, graças à insistência de seu filho, Gerard. Sua última participação foi em 2009 e depois o holandês teve a oportunidade de ver Gerard vencer duas vezes, em 2012 e 2016, quebrando a hegemonia da russa Kamaz com caminhões da Iveco. A Team de Rooy venceu o Dakar nos caminhões pela última vez em 2023, com Janus van Kasteren.

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias do GP direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.