F-E
24/07/2017 15:47

Mercedes confirma entrada na F-E a partir da temporada 2019/2020 e anuncia saída do DTM depois de 2018

A Mercedes optou por reformular sua presença no automobilismo. A marca confirmou a já cogitada presença na F-E, ao mesmo tempo que abandona o DTM, campeonato em que os prateados tiveram grande sucesso
Warm Up
VITOR FAZIO, de Porto Alegre
EVELYN GUIMARÃES, de Curitiba

A Mercedes mergulhou de vez no automobilismo elétrico. A marca alemã confirmou nesta segunda-feira (24) a entrada na F-E a partir da temporada 2019/20. Mas isto vem a um preço: enquanto concentra esforços no certame elétrico, os alemães se despedem do DTM, o campeonato alemão de turismo.
 
A novidade vai de acordo com um “reposicionamento estratégico” da Mercedes. A marca comemora que vai estar presente tanto na F1, o pináculo do automobilismo, onde levou três títulos seguidos, quanto na F-E, categoria apontada como o futuro do esporte e da indústria automotiva.
 
Ao longo de 26 temporadas no DTM, a partir de 1988, a Mercedes alcançou grande sucesso. Foram dez Campeonatos de Pilotos, 13 Campeonatos de Equipes. Até aqui, foram 183 vitórias e 128 poles.
A Mercedes reformulou sua presença no automobilismo (Foto: Xavi Bonilla / Grande Premio)

"No automobilismo, como em qualquer outra área, queremos ser o ponto de referência no segmento premium e explorar novos projetos inovadores”, disse Toto Wolff, chefe da Mercedes dentro do automobilismo. “E a combinação de F1 e F-E oferece tudo isso. A F-E é uma nova aventura, que oferece um novo formato, combinando corridas em um evento que possui uma identidade muito forte e que promove tecnologias atuais e futuras”, seguiu.
 
“A energia elétrica é algo que está acontecendo no mundo dos carros de rua, e a F-E oferece aos fabricantes uma plataforma interessante para levar essa tecnologia ao público. Por isso, é um campeonato diferente de qualquer outro. Estou satisfeito em termos decidido por entrar somente na temporada 2019/2020. Isso nos dá tempo para entender corretamente a categoria e nos preparar para estrear no caminho certo", completou.

Da parte da F-E, a notícia é motivo de comemoração. Alejandro Agag, chefão do certame elétrico, exaltou a importante presença da Mercedes no campeonato.

"Hoje é um dia excelente, pois damos as boas-vindas à Mercedes na família F-E, que vai aumentar o número crescente de fabricantes que se juntam à revolução elétrica", afirmou Agag.
Para competir na F-E, a Mercedes abandona o DTM (Foto: Mercedes)

"Este passo mostra o quanto o mundo está mudando, não apenas no automobilismo, mas em toda a indústria automotiva. Estamos testemunhando uma transformação que mudará as cidades e as nossas estradas. A F-E é o campeonato que incorpora essa mudança. E, junto com as equipes e fabricantes, continuaremos fortalecendo a tecnologia, melhorando os carros e os tornando mais acessíveis", completou.
 
A retirada do DTM traz uma grande preocupação sobre o futuro da categoria, que já sofreu uma queda de 25% do grid do ano passado para o desta temporada. Agora com 18 carros no grid, o campeonato alemão de turismo pode perder a Audi, que foi à reunião da FIA para saber como serão os motores da F1 a partir de 2021. A montadora das quatro argolas vai assumir o controle da equipe Abt na F-E. A BMW, a terceira montadora do DTM, é parceira da Andretti na série de carros elétricos.
 
GRANDE FORMA DE BOTTAS NA F1 MOSTRA QUE PREVISÕES ESTAVAM ERRADAS: "NEM A PRÓPRIA MERCEDES ACREDITAVA"


Últimas Notícias
domingo, 21 de janeiro de 2018
Indy
F1
Rali
Rali
F1
sábado, 20 de janeiro de 2018
Rali
Rali
Rali
Rali
Rali
Rali
Rali
Nascar
F1
F1
Galerias de Imagens
Facebook