Leclerc diz que Ferrari “não fará milagres” e revela meta: liderar meio do grid

Apesar de não sonhar com o título mundial de 2021, Charles Leclerc traçou o objetivo de copar o pelotão intermediário

A Fórmula 1 apresentou detalhes do que chama de “circuito de rua mais longo e mais rápido” da Fórmula 1 (Vídeo: Fórmula 1)

O que será da Ferrari em 2021? Após um dos piores anos de sua história em 2020, seguindo as punições impostas pela FIA ao motor italiano, a temporada seguinte significa ainda mais. A Ferrari refez o motor e mexeu no carro, mas ninguém deve esperar uma revolução. A equipe vermelha não disputa o título, segundo Charles Leclerc, mas tem seus objetivos bem definidos.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Alonso justifica volta à F1 após 2 anos fora: “Senti que tenho algo a fazer”

O piloto, que ganhou em Carlos Sainz um novo companheiro de time, avaliou que as mudanças, embora importantes, não servem para impulsionar a Ferrari à briga por vitórias e título. O objetivo é outro: superar Aston Martin, McLaren, Alpine e o pelotão intermediário.

“Vamos tentar melhorar comparados ao ano passado, mas não faremos milagres. Precisamos ser realistas: mesmo eu minha torcida seja essa, não vamos lutar pelo título mundial de 2021”, garantiu ao jornal italiano ‘La Gazzetta dello Sport’.

“Ainda está muito cedo para falar da performance do carro. Quando falei sobre a Ferrari subir ao topo novamente, era meta de médio prazo, não me referia a esse ano. As regras técnicas nos impedem de fazer o que queremos com o carro. A SF21 não é uma revolução, mas uma evolução da SF1000”, seguiu.

Charles Leclerc se preparando para guiar a Ferrari (Foto: Ferrari)

“A meta para 2021 é demonstrar que, apesar das regras praticamente congeladas, a Ferrari podem escalar posições e retornar ao pelotão da frente, o que já seria muito. Bater as equipes de meio de pelotão é uma meta ambiciosa que estipulamos para nós mesmos após uma temporada muito complicada”, falou.

A Ferrari terminou a temporada 2020 na sexta colocação do Mundial de Construtores e segue numa fila que vai ganhando contornos históricos: não ganha um título Mundial de Pilotos desde 2007 e um de Construtores desde 2008. Já é a segunda maior seca da história, atrás somente daquela que durou entre 1979 e 2000.

O Mundial de Fórmula 1 começa no fim de semana dos dias 26-28 de março, com o GP do Bahrein.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube