Chefe da Ferrari silencia e descarta confronto com Mercedes. Mas responde a Lauda: “Pode falar o que quiser”

Chefão da Ferrari, Maurizio Arrivabene não quer saber de troca de farpas com a Mercedes após o incidente entre Sebastian Vettel e Lewis Hamilton durante a corrida do Azerbaijão. O dirigente evitou tirar conclusões sobre o episódio e disse que a equipe italiana vai “continuar trabalhando muito e falando pouco”

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Ferrari deixou claro que não está interessada em se envolver em uma batalha de palavras com a Mercedes, após o controverso comportamento de Sebastian Vettel durante o GP do Azerbaijão, etapa disputada no domingo. 

 
Pouco antes da segunda relargada da prova azeri, os dois adversários do campeonato se envolveram em inusitada 'briga de trânsito', enquanto estavam na primeira e na segunda colocações da corrida. Vettel se irritou quando Lewis Hamilton reduziu demais a velocidade e acabou batendo na traseira do Mercedes #44. Não satisfeito, o alemão colocou a Ferrari lado a lado com o W08 do tricampeão e bateu novamente. Seb foi punido pela ação. 
 
Apesar da batida com o rival, Hamilton ainda conseguiu se manter na liderança da corrida, mas sofreu um novo revés. Depois da bandeira vermelha, a Mercedes não encaixou corretamente o encosto de cabeça de seu carro, e isso o obrigou a fazer uma parada extra nos boxes. Vettel também teve de pagar punição. Por isso, os dois foram removidos da briga pela vitória, que acabou nas mãos de Daniel Ricciardo.
 
Depois da prova, o tricampeão e a cúpula da Mercedes expressaram críticas fortes sobre o episódio, mas a chefia da Ferrari preferiu minimizar o caso. "Vamos fazer uma análise da corrida, mas não vamos nos queixar de nada porque esse não é o nosso estilo", afirmou Maurizio Arrivabene, o comandante do time de Maranello, em entrevista à Sky Sports F1.
Sebastian Vettel e Maurizio Arrivabene (Foto: AFP)

"Mas do que aconteceu entre (Valtteri) Bottas e (Kimi) Räikkönen e, depois, o episódio entre Vettel e Hamilton, quer dizer que estamos no Coliseu? Se estamos no Coliseu, então é justo dizer – e nós podemos até fazer uma famosa diretiva técnica e todos nós segui-la."

 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

"Tendo dito isso, lutamos muito até aqui e, na Áustria, vamos tentar novamente, ainda mais determinados que antes, porque nós falamos pouco e trabalhamos muito", completou.

Quando questionado se achava que Hamilton deveria ter sido punido como Vettel chegou a dizer após a corrida, Arrivabene respondeu: "Criticar também pode parecer indelével ou uma desculpa de nossa parte."

 
"Dito isso, você tem de julgar a situação exatamente como está e, em caso de dúvida, dê à Ferrari o benefício da dúvida. O importante é olhar para frente e ter certeza de que as coisas estão corretas", acrescentou.
 
"Houve uma bela demonstração hoje, quando os meninos foram chamados para trabalhar no carro de Räikkönen. Este é o espírito da Ferrari. É uma equipe que não desuste e que nunca vai desistir em termos esportivos", emendou o chefe.
 
Por fim, Arrivabene foi chamado para falar sobre as críticas a Vettel feitas por Niki Lauda, que chamou o alemão de "louco". "Lauda pode dizer o que quiser. Às vezes, ele fala por si mesmo, às vezes até fala com a gente. Mas, como disse, estamos em silêncio. Trabalhamos e deixamos Lauda falar. Ele tem seus pontos de vista e nós temos os nossos. Ele continuará a falar e nós a ouvi-lo. Ainda temos 12 corridas pela frente", concluiu o italiano.
NOVA DERROTA EM 2017 MOSTRA QUE TOYOTA E LE MANS SÃO COMO ‘ÁGUA E ÓLEO’

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube