Chefe da Mercedes admite oposição a grid invertido. E dá três motivos

Incluindo uma suposta "meritocracia", Toto Wolff resumiu em três tópicos o veto da Mercedes ao grid invertido que a Fórmula 1 gostaria de implementar na temporada 2020

Ninguém na Fórmula 1 fez questão de esconder: a culpada do grid invertido ter sido descartado para 2020 é a Mercedes. A sugestão da FIA e do Liberty Media para as rodadas duplas na Áustria e em Silverstone foi aprovada pela maioria das equipes, mas os alemães barraram.

O que faltava saber eram os motivos para tal veto. E Toto Wolff, em entrevista divulgada pela própria Mercedes, listou três razões para que tenham descartado a novidade no regulamento.

Toto Wolff não quer grid invertido. Por quê? (Foto Mercedes)

A primeira foi meritocracia: “Acredito que a Fórmula 1 seja uma. O melhor homem com a melhor máquina vence. Não precisamos de invenções para virar de ponta-cabeça o grid e criar corridas mais animadas.”

Em seguida, citou os possíveis abandonos – que forçariam carros que assim fizessem a ganhar posições no grid para a classificação da prova seguinte.

“Observamos em campeonatos de turismo que esse tipo de estratégia se torna útil quando uma corrida forma o grid de outra. Se alguém não estiver correndo bem no domingo da primeira etapa em Spielberg (Red Bull Ring) e decide abandonar, ele vira o pole para a corrida de classificação da prova seguinte.”

Paddockast #63 | COMO JORDAN, QUEM MERECE DOCUMENTÁRIO SOBRE O ADEUS?
Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

“E se esse carro que começa na pole tem como adversários carros da parte intermediária do grid, ele certamente será pole no domingo e vencerá a corrida. Existiriam carros no meio do grid que bloqueariam e defenderiam o máximo o possível quem vem mais rápido atrás, o que causaria mais risco de abandono e isso poderia influenciar o campeonato”, justificou.

Por fim, Wolff citou que inverter o grid seria uma punição aos mais velozes: “Quem for o mais rápido, e não necessariamente seremos nós, vai ser punido mais que o segundo ou o terceiro mais rápido, simplesmente por largar na frente.”

“Me parece um pouco oportunista dar essa vantagem a alguns times. Então dissemos não desta vez, e que não é hora de experimentar coisas que não têm nem o apoio dos fãs da F1. Só 15% deles se mostraram interessados em um grid invertido, de acordo com pesquisa”, concluiu o chefe dos atuais campeões mundiais.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO? Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.
Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.
Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube