F1

Chefe vê Mercedes com “atuação de cinema”. Mas não esconde decepção com Bottas

Toto Wolff, comandante da Mercedes, teve um dia de sentimentos opostos na Hungria: se a felicidade veio com a vitória de Lewis Hamilton, creditada a seu time, teve também o desapontamento com o desempenho de Valtteri Bottas

Grande Prêmio / FELIPE NORONHA, de São Paulo
A Mercedes viveu dia de sentimentos opostos em Hungaroring: enquanto celebrava a vitória de Lewis Hamilton, a de número oito na temporada, teve que amargar a oitava colocação de Valtteri Bottas. 

Assim, quem teve que externar todas essas emoções diferentes foi Toto Wolff, o chefe da equipe. Primeiramente, tal como Hamilton, deu os créditos do triunfo para seus comandados, que acertaram na estratégia vencedora.

"Na Áustria (país natal de Wolff), chamamos isso de 'atuação de cinema'", elogiou. "Foi uma virada inacreditável, não esperávamos que acontecesse. Acho que é por isso que amamos esse esporte, de alguma forma você oscila entre depressão e felicidade, e hoje passamos por tudo isso."

"Acontece quando as coisas ocorrem de maneira inesperada, e é por isso que a sensação é tão boa. Não acho que a gente deveria ter passado Max (Verstappen, que terminou em segundo após ser ultrapassado por Hamiklton a três giros do fim). Estou feliz pela estratégia criada por este grupo, porque na Alemanha fomos criticados por nosso plano, apesar do azar pelos quais passamos com aicdentes", seguiu.

Os elogios não cessaram: "De qualquer forma, hoje tomaram a decisão certa e, mesmo assim, não estávamos certos que daria para alcançar Max. Assim que percebemos que dava, sabíamos que Hamilton iria com tudo", completou.
Valtteri Bottas (Foto: Mercedes)
Paddockast #27
Schumacher e Vettel: UNIDOS POR UM RECORDE


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Já o outro lado dos sentimentos veio com Bottas. As críticas foram duras ao piloto - um dia após Wolff deixar claro que ou o finlandês, ou Esteban Ocon, estará no segundo carro da Mercedes em 2020.

"Estou realmente desapontado com Bottas, porque ele estava animado. Acho que ontem o desempenho dele na classificação foi ótimo (segundo) e ele poderia, facilmente, ter sido pole. Ele queria ter ido bem e tudo deu errado. O toque com Lewis, depois o toque com [Charles] Leclerc, e a partir daí mais ainda. Acho que ele simplesmente sabia que tudo tinhaacabado ali. Mas não vamos tornar isso (as chances para o ano que vem) dependentes de um dia só."

"Precisamos observar todos os dados e considerar muitos fatores para falar a favor dele e contra ele. Não quero ter essa discussão sobre ele ocntinuar ou não, não é o certo. Ele tem boas ideias para a equipe e vamos discutir isso em portas fechadas", finalizou Wolff.

Na briga pelo título, os pilotos da Mercedes seguem no top-2, mas Hamilton abriu boa vantagem: 250 contra os 188 de Bottas.

ASSISTA AO PRANCHETA GP

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.