Chefes de equipes evitam “pré-julgamento” de presidente da FIA: “Caso está em revisão”

Christian Horner pediu que não houvesse julgamento precipitado sobre o presidente da FIA, Mohammed Ben Sulayem, acusado de tentativa de manipulação de resultado. Já Mike Krack, parte interessada no caso envolvendo Fernando Alonso, garantiu que o assunto está "encerrado" para a Aston Martin

A investigação sobre o presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Mohammed Ben Sulayem, também foi pauta da coletiva de imprensa com os chefes das equipes nesta quinta-feira (7), na Arábia Saudita, porém o que se viu foi a cautela na hora de comentar o caso. Christian Horner, por exemplo, pediu que não fosse feito nenhum pré-julgamento, enquanto Mike Krack, da Aston Martin, assegurou que o caso a respeito de uma suposta manipulação de resultado envolvendo Fernando Alonso estava “encerrado”.

Ben Sulayem ficou na mira no departamento de compliance da FIA por duas razões. A primeira foi por uma suposta tentativa de interferência na punição aplicada a Alonso no GP da Arábia Saudita de 2023. Na ocasião, a Aston Martin recorreu da decisão e reverteu 10s aplicados ao espanhol durante a corrida, porém fontes ligadas à emissora britânica BBC confirmaram que o mandatário ligou para o xeique Abdullah bin Hamad bin Isa Al Khalifa, atual vice-presidente esportivo da FIA na região do Oriente Médio e Norte da África, deixando claro que a punição de Alonso deveria ser revogada.

Relacionadas


A segunda investigação tem a ver com o GP de Las Vegas — curiosamente, o único promovido pelo Liberty Media, grupo detentor dos direitos comerciais da Fórmula 1. Ben Sulayem foi acusado de tentar barrar propositalmente a aprovação do circuito de rua americano.

A FIA, então, confirmou por meio de nota oficial que o “departamento de compliance está avaliando a situação, como é comum neste assunto, para garantir que o processo seja seguido meticulosamente”. Na coletiva em Jedá, Horner, Krack e James Vowles, chefe da Williams, manifestaram-se sobre o assunto.

FORMULA 1 2023 - GP DA ARÁBIA SAUDITA - DOMINGO - CORRIDA - CHRISTIAN HORNER
Horner pediu cautela ao analisar acusações contra Ben Sulayem (Foto: AFP)

“É preciso haver uma investigação. Tenho certeza de que as partes relevantes, e, novamente, o processo que elas têm dentro dos estatutos da FIA serão seguidos. Tudo o que eu gostaria de pedir é que não houvesse pré-julgamento”, salientou o líder dos taurinos.

“Aguardem os fatos. Espere para ver qual é a realidade antes de chegar a um julgamento”, acrescentou Christian, que também foi recentemente alvo de investigação interna, porém inocentado das acusações por “conduta inapropriada” com uma funcionária da Red Bull.

Vowles seguiu a fala do colega taurino. “Estou satisfeito em ver que existe um processo de revisão, e acho que devemos ser julgados não pelo momento em que estamos agora. Acho que, por enquanto, pelo que entendi, está em revisão, o que é o certo”, frisou.

Parte interessada na história por ter sido uma punição envolvendo um piloto seu, Krack garantiu que do lado da Aston Martin, “o tema está claro e encerrado”, já que o time de Silverstone ganhou o processo de direito de revisão na época e anulou a punição de 10s.

“Fomos uma das partes envolvidas. A forma como todo o processo correu pode ser relida no relatório dos comissários. Executamos o direito de revisão. Trouxemos novas provas e a punição foi retirada. Então, acho que do ponto de vista deles, para nós, todo o assunto está claro e encerrado”, concluiu Krack.

:seta_para_frente: Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
:seta_para_frente:Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.