Com pista seca, Alonso lidera terceiro treino livre na Bélgica. Massa termina em sexto

Pela primeira vez no fim de semana a F1 pôde andar em Spa-Francorchamps com pista seca. E em condições normais, deu Fernando Alonso, mostrando a força da Ferrari. Kimi Räikkönen, que venceu sua última corrida na categoria justamente em Spa, foi o segundo. Felipe Massa foi o sexto, enquanto Bruno Senna, que liderou o início da sessão, fechou em 17º

► Quer concorrer a 2 prêmios da Mercedes? Participe já da promoção


No primeiro treino livre em condições normais desde o começo do fim de semana do GP da Bélgica de F1, Fernando Alonso deu mais uma amostra de que está em um patamar acima dos demais. O líder do campeonato e grande favorito ao título de 2012 liderou o terceiro treino livre em Spa-Francorchamps, na manhã deste sábado (1). Com tempo de 1min48s542 na melhor das suas 18 voltas, Alonso mostrou a força da Ferrari no tradicional circuito belga.

No fim do treino, Kimi Räikkönen fez volta voadora, superou Sergio Pérez e subiu para segundo lugar em uma pista que lhe traz boas recordações. Foi em Spa que o finlandês da Lotus conquistou a sua última vitória como piloto de F1, quando bateu Giancarlo Fisichella, da Force India, no GP da Bélgica de 2009. Pérez, Kamui Kobayashi e Jenson Button fecharam o rol dos cinco primeiros.

Felipe Massa teve um desempenho bastante consistente no treino desta manhã. O brasileiro terminou em sexto lugar, 0s550 atrás de Alonso. Bruno Senna liderou boa parte da tomada de tempos, mas encerrou a sessão em 17º, enquanto seu companheiro de Williams, Pastor Maldonado, foi o 11º.

Em condições normais na Bélgica, Alonso foi o mais rápido da manhã (Foto: Divulgação)

Saiba como foi o terceiro treino livre do GP da Bélgica de F1

O terceiro e último treino livre antes da definição do grid de largada, em Spa-Francorchamps, foi, na prática, o primeiro do fim de semana. Como ninguém conseguiu guiar no circuito belga em condições normais, todos os pilotos foram à pista logo no início da sessão para verificar o asfalto, seco em muitos pontos, mas apresentando mais umidade em outros setores do traçado, como na grande reta após a Eau Rouge.

De cara, nos primeiros minutos, vários pilotos marcaram tempo cronometrado. Senna, em sua quarta volta rápida, marcou 1min53s647. Mas, evidentemente, sua marca ainda era muito alta e fatalmente seria batida mais tarde. Dentre as equipes do topo do grid, McLaren e Ferrari ainda não haviam levado seus pilotos à pista para volta rápida nos primeiros minutos do treino.

Com a pista livre, Senna seguiu baixando a sua marca, reduzindo para 1min52s562 no giro seguinte. O segundo colocado era, nos dez primeiros minutos da sessão, Nico Hülkenberg, 2s535 atrás do brasileiro da Williams, com Sebastian Vettel completando o top-3.

Ainda no começo da sessão, Nico Rosberg enfrentou problemas mecânicos no seu Mercedes W03, parou na grama e encerrou ali, na entrada da curva Fagnes, a sua jornada na sessão matinal da F1 em Spa. Lá na frente, Senna seguia soberano na frente com 1min51s741 como melhor tempo, mas surpreendentemente, era seguido pelas Marussia de Timo Glock e de Charles Pic.

Setembro começou com pista seca em Spa-Francorchamps (Foto: Divulgação)

Até que, finalmente, a Ferrari levou seus carros para a pista. E logo nas primeiras voltas, Massa e Alonso fizeram bons tempos, subindo para segundo e terceiro, respectivamente. Naquele momento, após 21 minutos de treino, acontecia uma rara dobradinha brasileira no treino, mas o 1-2 tupiniquim foi quebrado quando Fernando cravou 1min50s936, 0s805 mais rápido que Senna, subindo para a ponta. Em seguida, foi a vez de Massa ultrapassar o compatriota e subir para segundo. Pic e Glock seguiam surpreendendo e estavam em quarto e quinto, respectivamente.

Alonso melhorou seu tempo de volta e, com pneus macios, cravou 1min50s690, 0s409 mais rápido que Massa, que fez sua melhor marca com os compostos duros. A grande surpresa do treino ainda era o ótimo desempenho da Marussia. Em contrapartida, a McLaren estava muito atrás, com Jenson Button em 20º e Lewis Hamilton vindo logo atrás. Schumacher, no fim de semana do seu GP de número 300, era apenas o 16º.

Os tempos começaram a despencar e a marca de Alonso virava fumaça. O espanhol foi batido por quatro pilotos, dois da Sauber e dois da Williams. Destaque para Sergio Pérez, que vinha apagado no treino, mas foi o primeiro a andar abaixo de 1min50s, anotando 1min49s637, subindo para a ponta, 0s550 mais rápido que Kamui Kobayashi, seu companheiro de equipe e o mais rápido da sexta-feira. Maldonado e Senna vinham na sequência, indicando um bom rendimento dos FW34 em Spa.

Mas o mexicano não durou muito tempo na liderança. Primeiro, porque foi batido por Kobayashi. Em seguida, Romain Grosjean, e depois, Mark Webber, assumiram a ponta da tabela. Com pneus médios, o australiano anotou 1min49s164 e colocou a Red Bull no topo pela primeira vez no fim de semana. Senna, por sua vez, caiu para oitavo, seguido por Alonso, Hülkenberg e Massa. Na sequência, o líder do campeonato reagiu, fez boa volta e pulou de nono para segundo, ficando a 0s316 de Webber.

Nos últimos 20 minutos, a dupla da McLaren finalmente saiu da rabeira do grid, com Button ocupando o nono lugar, 0s978 atrás de Webber, e Hamilton no 14º posto. Quem decepcionava era a Mercedes, que tinha as duas últimas colocações do treino, com Schumacher em 23º e Rosberg, sem ter como treinar, em último. Mas em seguida, o heptacampeão mundial fez volta razoável e subiu para 17º. Dessa forma, as Marussia, vedetes da primeira parte da sessão, voltavam às habituais últimas posições.

Vettel, que vinha bem discreto no treino, era apenas o 20º quando marcou 1min49s292 e subiu para segundo, completando a momentânea dobradinha da Red Bull na ponta, colocando Alonso em terceiro, seguido por Kimi Räikkönen, cuja última vitória como piloto de F1 foi exatamente em Spa, três anos atrás.

A Sauber começou bem o fim de semana do GP da Bélgica (Foto: Sauber)

Só que a dobradinha taurina durou apenas alguns minutos. Isso porque Pérez voltou à ponta do treino após marcar 1min48s850. Com o C31 configurado para classificação, Kobayashi veio logo atrás, com 0s013 de desvantagem para o mexicano. Webber caiu para terceiro, seguido por Vettel, Di Resta, Alonso, Räikkönen, Maldonado, Grosjean e Michael Schumacher. Mas a ordem do treino ainda mudaria bastante nos cinco minutos finais.

Alonso fez volta voadora e destruiu o tempo de Pérez em 0s308, assumindo a liderança para não mais perdê-la. O mexicano ainda caiu para terceiro depois que Räikkönen, mostrando que está entre os favoritos à vitória, anotou 1min48s683, subindo para o segundo posto. Kobayashi e Button completaram a relação dos cinco mais rápidos no tradicional circuito belga.

Leia também:



 A análise completa da temporada 2012 da F1 e a previsão de Flavio Gomes para o restante do Mundial na REVISTA WARM UP. Clique aqui

F1, GP da Bélgica, Spa-Francorchamps, treino livre 3:

 

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube