F1

Confira declarações dos pilotos após classificação do GP da Hungria de 2019

Com Max Verstappen na pole, o GP da Hungria vê Red Bull e Mercedes abrindo vantagem em relação à Ferrari. Na briga dos motores Renault, a McLaren fez o chamado 'lavar a cara' com o time francês

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
O GP da Hungria de Fórmula 1 terá Max Verstappen na posição de honra quando alinhar no grid de largada, na manhã do domingo. Neste sábado (3), em Hungaroring, o piloto holandês mostrou a força do pacote da Red Bull para cravar a primeira pole-position da carreira e para se tornar o 100º piloto da história a cravar uma pole.
 
Atrás dele, Valtteri Bottas ficou bastante próximo, apenas 0s018, e completa a primeira fila. Lewis Hamilton ficou com a terceira colocação, enquanto a Ferrari colocou Charles Leclerc em quarto e Sebastian Vettel em quinto. Os dois, entretanto, quase 0s5 em desvantagem.
 
Pierre Gasly completou a fila do top-6, ao passo que Lando Norris e Carlos Sainz colocaram a McLaren de mala e cuia como melhor do resto. Romain Grosjean e Kimi Räikkönen fecharam o top-10.
 
A segunda metade do pelotão teve Nico Hülkenberg, Alexander Albon, Danill Kvyat, Antonio Giovinazzi e Kevin Magnussen na turma que participou do Q2. Os eliminados no Q3 foram George Russell, Sergio Pérez, Daniel Ricciardo, Lance Stroll e Robert Kubica.
 
O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do GP da Hungria EM TEMPO REAL.
O top-3 do grid de largada na Hungria (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Paddockast #27
Schumacher e Vettel: UNIDOS POR UM RECORDE


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Confira as declarações:
 
 
 
 
 
Sebastian Vettel (Foto: Ferrari)
Pierre Gasly, sexto: "Estou despontado, porque não consegui dar uma volta limpa e cometi erros. Acho que podia lutar com a Ferrari pelo quatro ou quinto lugar. No fim, classificamos em sexto que ainda é decente, mas queríamos um resultado melhor. Amanhã nós largamos com pneus médios e vamos continuar forçando a mão. Espero que possamos fazer algo com a estratégia e recuperar posições. Parabéns a Max pela pole. Foi realmente merecido para ele e toda a equipe. Numa pista complicada como essa, em que ultrapassar é difícil, é uma boa vantagem e temos um carro bom. Tudo está em jogo. Nos treinos livres, ninguém fez simulações de corrida, então não sei quais os pneus usar durante as 70 voltas, o que pode tornar tudo bem interessante. 

Lando Norris, sétimo: Com 7° e 8°, Norris diz que meta da McLaren na Hungria é “manter posições”

Carlos Sainz, oitavo: "Foi uma boa classificação. Bom ver nós dois (ele e Lando Norris) sermos os melhores do restante. É bom, também, estarmos dois décimos mais rápidos do que [Romain] Grosjean e [Kimi] Räikkönen. Dei uma boa volta no Q3, mas um décimo abaixo de Lando. Não comecei o Q1 de forma confortável. Então alcançar essa marca foi uma boa evolução após o Q1."

Romain Grosjean, nono: "Minha velha garota (o carro) chegou ao Q3. Estava mancando um pouco no começo, mas chegou lá. Tem sido um final de semana difícil para ela até aqui,. Estamos com o mesmo downforce de Hockenheim, porque é o melhor que temos. Aqui, claro, não é o suficiente, é desafiador. O Q1 foi bastante difícil, no Q2 ascoisas melhoraram, e o Q3 tiramos o máximo que tínhamos. Estou preocupado para a corrida, estamos perdendo downforce para manter os pneus vivos por mais tempo. É uma pista em que é difícil ultrapassar, então veremos onde dá para terminar amanhã."

Kimi Räikkönen, décimo: "Um pouco decepcionado com o P10, mas, por outro lado, foi minha volta mais rápida do fim de semana quando importava, então não dá nem para reclamar. O carro estava muito bom, ainda que faltasse ritmo em comparação com as McLaren, que eram em quem mirávamos. Amanhã a história é outra, depois da falta de quilometragem na sexta-feira deixar interrogações sobre o ritmo de corrida geral."
Kimi Räikkönen (Foto: Alfa Romeo)
Nico Hülkenberg, 11°: "Largar em 11° certamente não é uma coisa ruim. Temos alguma flexibilidade na estratégia graças à escolha livre de pneus. A última volta no Q2 foi difícil, e a diferença na classificação é muito pequena entre as equipes do meio do grid. Não foi um dia ruim e acho que podemos ter um bom dia amanhã."

Alexander Albon, 12°: "Estou bem satisfeito com a P12 após a batida. O carro tinha potencial para ir ao Q3, mas constantemente faltava algo, o que é frustrante. No geral, estou feliz porque depois do TL3 eu estava sofrendo, não me sentindo conectado com o carro. Fizemos algumas mudanças após o Q3 e na classificação o carro pareceu melhor, então recuperei meu ritmo. Alcançar o Q3 teria sido bom, mas ficamos a dois décimos de entrar, o equilíbrio estava bom em algumas curvas e, em outros pontos, não. A posição na pista é a chave aqui, já que não há muitas ultrapassagens, então temos que pensar em juma boa estratégia. Estamos próximo da frente entre os que podem escolher os pneus e eu acho que a degradação será bem alta, então espero ter a chance de ultrapassar alguns carros."

Daniil Kvyat, 13°: "Tirando o pequeno desentendimento com a equipe na última tentativa, em que saímos à pista com a configuração errada no carro, foi uma classificação ok. Não havia muito a tirar mais do carro hoje, talvez um décimo, então ficamos onde deveríamos estar. Poderemos brigar a partir da P13 amanhã, mas é difícil de ultrapassar aqui e usualmente as corridas se tornam um pouco uma procissão. De qualquer forma, a corrida é longa, então veremos estratégias diferentes e podemos fazer a que nos ajude. O começo será bem importante, então veremos onde estamos e tentaremos dar nosso melhor."

Kevin Magnussen, 14°: "Estávamos em P4 no Q1, e depois P15 no Q1. Não sei o que acontece, mas o carro muda demais, para cima e para baixo. A janela é pequena, mesmo na classificação. Vimos isso na Áustria. Estava sofrendo para sair do Q1, mesma coisa no Q2. Depois no Q3 fui terceiro. O carro dá o máximo e o mínimo na mesma sessão. É muito difícil. Funcionou perfeitamente no Q1 de hoje, aí no Q2 não havia grip. PEguei um pouco de tráfego na minha volta, mas isso não deveria afetar tanto. Precisamos muito aprender com essas sessões, mas é duro. Largarei em 15° numa pista em que é muito difícil ultrapasar.

George Russell, 15°: Com melhor posição na carreira, Russell diz que Williams “pode sair de férias bem feliz”
George Russell (Foto: Williams)
Sergio Pérez, 16°: "Foi um dia difícil. Podíamos passar ao Q2 para ser honesto: precisaríamos de uma boa volta, mas não conseguimos. Minha última saída à pista foi comprometida quando todos os carros tentaram encontrar espaço na curva final. Foi onde Ricciardo tentou fazer algo louco e me ultrapassar. Ele atrapalhou a volta dele e a minha, porque acabei perto de Norris e Daniel atrás de mim. Sabemos que tinha muito tráfego, algo que é um problema no Q1. Falamos sobre isso no briefing dos pilotos e a importância de ser respeitoso um com o outro. Para mim, foi bastante desrespeitoso. É um piloto experiente e não esperava isso dele. Sabemos que essa pista não é a melhor para nós, mas nossa situação de amanhã está bem difícil. Foi um dia ruim, então esperamos que melhore na corrida."

Antonio Giovinazzi, 17°: "Foi uma classificação complicada, eu saí da pista na curva 11, no Q1, e o carro não parecia bem depois disso. Precisamos checar se alguma coisa aconteceu. O pelotão intermediário está apertado, os detalhes farão toda a diferença e hoje ficamos abaixo. Não vamos largar onde gostaríamos, especialmente com a punição, mas temos muito a analisar antes da corrida. É difícil dizer onde estamos quando a questão é o ritmo de corrida, mas espero que sejamos competitivos."

Daniel Ricciardo, 18°: Eliminado no Q1, Ricciardo assume: “Não fico irritado assim há muito tempo”

Lance Stroll, 19°: "Foi um dia frustrante. Sabemos que esse circuito não se encaixa muito com nosso carro, e isso está aparecendo no resultado final. Realmente tivemos dificuldades nos treinos pela manhã e que nos coloca com pé atrás no resultado. Fui bloqueado em uma das minhas voltas e cometi erros que foram custosos, porque poderia ser melhor. Não era nosso dia, mas vimos no fim de semana passado que tudo pode acontecer nas corridas."

Robert Kubica, 20°: "Tivemos sorte com o clima e com o apoio da torcida hoje, mas infelizmente o ritmo é esse... Me senti bem com o carro e com o equilíbrio, mas em geral faltou grip. Faltou meio segundo, tentamos algumas coisas de maneira desesperada e, como todos podem ver, não funcionou."


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.