Ricciardo lamenta não ter feito pit-stop “uma volta antes” na chuva em Sóchi: “Daria certo”

Daniel Ricciardo terminou em quarto lugar no GP da Rússia deste domingo. No fim das contas, diante das circunstâncias e por ter tocado no muro quando a pista estava bem molhada, foi um bom resultado, mas o australiano entende que até daria para ter ido além

HAMILTON, 100 VITÓRIAS NA F1! VERSTAPPEN, 2°! NORRIS, PECADO! A ANÁLISE DO GP DA RÚSSIA | Briefing

Definitivamente, o domingo (26) de GP da Rússia de Fórmula 1 para a McLaren foi amargo, muito diferente do gosto que a lendária equipe britânica experimentou há duas semanas, na Itália. Se em Monza o doce sabor do champanhe banhou Daniel Ricciardo, Lando Norris e Zak Brown, desta vez a decepção deu o tom na garagem. Norris liderou 30 voltas e estava na frente quando a chuva desabou e colocou tudo a perder. O prodígio britânico arriscou na pista até onde deu, mas o temporal apertou no fim da corrida e o fez terminar só em sétimo. Ricciardo, desta vez, foi coadjuvante, mas esteve entre os primeiros colocados. Só que o australiano entende que haveria uma chance até de buscar algo além do quarto lugar na corrida se tivesse parado mais cedo para colocar pneus intermediários no desfecho da jornada em Sóchi.

Ricciardo fez seu pit-stop derradeiro na corrida na volta 48, quando o asfalto já estava bem encharcado. O piloto entende que, se tivesse parado mais cedo, como George Russell, Kimi Räikkönen ou mesmo Valtteri Bottas, que fizeram seus pit-stops na volta 47, poderia ter obtido resultado ainda melhor neste domingo.

LEIA TAMBÉM
+ANÁLISE: De Montreal a Sóchi: Hamilton escreve página inédita com 100ª vitória na Fórmula 1

Daniel Ricciardo achou o resultado bom na Rússia, mas entende que dava para ter ido além (Foto: McLaren)

Quando falou à emissora britânica Sky Sports, Daniel foi bastante perguntado sobre a decisão de Norris de esticar ao máximo seu tempo na pista com pneus slicks. A parada do britânico aconteceu somente na volta 51, quando a maior parte dos pilotos já tinha feito seus respectivos pit-stops.

“Falo com sinceridade, só ouvi falar na imprensa sobre a corrida do Lando. Consigo só falar sobre minha corrida ou meu sentimento. Perguntei ao pit-wall se a chuva estava ficando forte porque nesta última parte da pista [no último setor] a pista estava mais ou menos seca”, explicou.

“Foi na parte mais distante que ficou encharcada, e nós somos as melhores referências para isso. Disse nas curvas 5 a 7 que não dava mais pra continuar na pista. Então, para mim, precisava entrar com os intermediários. Na curva 7, escapei e toquei no muro, então os intermediários não eram uma questão’, contou Ricciardo.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

“Normalmente, somos os melhores juízes para isso porque estamos sentindo a pista, mas, novamente, não estou falando sobre a situação de Lando. Uma volta antes, daria certo, mas ainda assim é um bom resultado”, disse o quarto colocado em Sóchi.

No fim das contas, mesmo com um resultado que talvez não fosse o esperado pela equipe depois da grande classificação no sábado, Ricciardo entende que há pontos positivos a tirar, sobretudo com evolução da performance do MCL35M em qualquer tipo de condição.

“Alguns bons momentos e outros, não. Quero logo trabalhar em cima disso. Do ponto de vista da equipe, quanto mais falo com vocês, mais entendo que a corrida do Lando foi um desastre. Quanto à equipe, há um encorajamento sobre a performance. Estou ansioso para encontrar ritmo no carro”, concluiu.

Felipe Drugovich bateu muito forte ainda na volta de alinhamento para o grid da Fórmula 2 na Rússia (Vídeo: Reprodução)

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar