Confira declarações dos pilotos após sexta-feira de treinos livres do GP da França de F1

Com pneus macios, Max Verstappen foi o mais rápido da sexta-feira (18) de atividades de pista em Paul Ricard, na França. Valtteri Bottas, com pneus médios, ficou só 0s008 atrás e terminou em segundo, logo à frente de Lewis Hamilton. A Alpine foi muito bem, enquanto a McLaren não conseguiu encaixar a melhor performance até o momento

Calor, céu azul, ventos fortes e uma sexta-feira (18) normal de treinos livres. Foi o que a Fórmula 1 viu neste primeiro dia de atividades de pista do fim de semana do GP da França. O tradicional circuito de Paul Ricard, próximo a Marselha, foi o palco de duas sessões de 60 minutos: a primeira, pela manhã, foi liderada pela Mercedes de Valtteri Bottas. No período da tarde, Max Verstappen foi o mais rápido, mas, mesmo com pneus macios, foi apenas 0s008 mais rápido que Bottas, que virou seu melhor tempo no TL2 com compostos médios.

Lewis Hamilton fechou o dia em terceiro lugar, enquanto a Alpine teve um excelente dia correndo em casa e colocou seus dois carros entre os seis primeiros: Fernando Alonso foi o quarto, com Esteban Ocon duas posições atrás. Entre os dois carros da equipe de Enstone se colocou a Ferrari de Charles Leclerc.

Em contrapartida, a McLaren não foi tão bem nesta sexta-feira. Lando Norris foi o décimo, enquanto Daniel Ricciardo terminou somente em 14º. Sebastian Vettel também não foi muito bem, assim como a Aston Martin de forma geral. O tetracampeão concluiu a sexta-feira em 15º, uma posição à frente de Lance Stroll.

Pierre Gasly, sempre bem com a AlphaTauri, foi o sétimo, enquanto Carlos Sainz, com o segundo carro da Ferrari, concluiu o dia em oitavo, à frente de um surpreendente Kimi Räikkönen, nono com a Alfa Romeo. A outra Alfa Romeo, de Antonio Giovinazzi, ficou em 11º, à frente inclusive da Red Bull de Sergio ‘Checo’ Pérez, vencedor do GP do Azerbaijão, há quase duas semanas.

MAX VERSTAPPEN; GO DA FRANÇA; TREINO LIVRE 2; F1; RED BULL;
Max Verstappen foi o mais rápido do TL2 em Paul Ricard nesta sexta-feira (Foto:Rudy Carezzevoli/Getty Images/Red Bull Content Pool)

Pela manhã, Roy Nissany, piloto israelense da Fórmula 2 e reserva da Williams, assumiu o carro de George Russell no treino livre 1 em Paul Ricard.

Os pilotos voltam a acelerar neste sábado em Paul Ricard. O treino livre 3 está marcado para 7h (de Brasília), enquanto a classificação que vai definir o grid de largada acontece às 10h. O GRANDE PRÊMIO segue AO VIVO e em TEMPO REAL todas as atividades de pista do GP da França de Fórmula 1. Siga tudo aqui.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Confira as declarações dos pilotos nesta sexta-feira:

Max Verstappen reclama de vento na França e espera briga “equilibrada e nada fácil”

Valtteri BottasMercedes “bem melhor” que em Baku e se empolga: “Confio no carro”

Lewis Hamilton prevê “sofrimento” com pressão dos pneus “mais alta que nunca” na França

Fernando Alonso: “Enfrentamos condições complicadas hoje com ventos fortes e temperatura alta, mas creio que podemos ficar bem satisfeitos com o que conseguimos nestes treinos de sexta-feira. Testamos alguns itens no TL1 e seguimos com nosso programa para o TL2, que terminamos com boa quilometragem atingida. Agora é analisar todas essas informações durante a noite, mas até agora eu acredito que parecemos bem competitivos aqui. Vamos ver amanhã”.

Charles Leclerc: “O foco principal hoje foi o equilíbrio do carro. O vento estava muito forte, o que tornou difícil a pilotagem, mas foi o mesmo para todo mundo, de forma que tivemos somente de tentar encontrar uma boa maneira de nos safarmos nestas condições. No geral, as coisas aqui parecem mais alinhadas ao que esperávamos na comparação com os dois últimos finais de semana, onde tivemos agradáveis surpresas. Nossa performance hoje não foi ruim, embora ainda tenhamos muito trabalho pela frente. Nos recuperamos bem após o primeiro treino e o carro estava melhor nesta tarde. Vai ser importante entender como encaixar os pneus na janela correta de funcionamento amanhã. Com o vento, também temos de encontrar o acerto correto para garantir que o carro seja fácil de pilotar na classificação. Se conseguirmos encaixar essas duas coisas, tenho certeza de que podemos ter um fim de semana decente.”

Esteban Ocon: “O treino de hoje foi bastante sólido. Voltamos ao top-10 no momento, mas sabemos que ainda está cedo. Os dois carros têm ritmo bom, o que é promissor, e a meta é seguir trabalhando duro para consolidar este ritmo. O carro está bom, e a equipe vem trabalhando duro nisso. Claro que há áreas em que devemos melhorar, existe desempenho a tirar ainda. É fantástico voltar a correr na França, entretanto, e melhor ainda ver fãs nas arquibancadas. Espero que tenhamos ainda mas fãs amanhã e no domingo. Estou ansioso para vê-los.”

LANDO NORRIS; MCLAREN; GP DA FRANÇA; PAUL RICARD; TL1; TREINO LIVRE 1;
A McLaren não foi tão bem assim neste início de fim de semana na França (Foto: Pirelli)

Pierre Gasly: “Hoje foi um dia ok, entretanto foi bem difícil com o vento, o que tornou o carro muito complicado para pilotar. Em termos de performance, acho que foi bom terminar as duas sessões entre os dez primeiros, mas, definitivamente, é muito mais difícil em relação aos dois últimos finais de semana. Nós trabalhamos no equilíbrio do carro hoje, então vamos analisar todas as informações hoje à noite e buscar algumas melhorias no acerto do carro para estarmos mais confiantes na pista amanhã. Estou correndo diante do meu público aqui e com o objetivo de alcançar novamente o Q3 na classificação. Então é muito bom ver muitas bandeiras da França nas arquibancadas aqui, quero muito fazer um bom trabalho para as pessoas que estão torcendo por mim neste fim de semana, então vamos buscar algo para comemorar no domingo.”

Carlos Sainz: “Hoje foi bastante complicado. Sabíamos que essa pista seria um desafio para nós na comparação com algumas das corridas anteriores, então hoje foi mais ou menos como o esperado. No entanto, não estamos tão longe e estamos razoavelmente satisfeitos com o equilíbrio do carro. O mais complicado foi o vento forte, que soprava nas piores direções possíveis, com vento de proa nas retas e de cauda nas curvas. Isso tornou o circuito desafiador e mais lento. Os pneus macios e duros parecem funcionar bem, então vamos seguir trabalhando hoje à noite para tentar tirar o máximo do carro amanhã.”

Kimi Räikkönen: “Não foi tão ruim, até sinto que poderia estar algumas posições acima com uma volta melhor. A esperança, claro, é que possamos estar em algum lugar nesta zona, entre os dez primeiros, quando estivermos na classificação. Como sempre, podemos tentar buscar algo mais nesta noite, com os engenheiros, e tirar um pouco mais de performance do carro, mas não é um começo ruim.”

Lando Norris: “Primeiro dia difícil, com as condições desempenhando o papel principal. A temperatura tornou difícil manter os pneus numa boa janela [de funcionamento]. Então, pilotar o carro tornou-se um pequeno desafio, especialmente com o vento. Acho que temos algumas coisas que definitivamente podemos melhorar, mas ainda temos um pouco de trabalho a fazer. Está muito apertado com o resto do pelotão, então cada detalhezinho vai ajudar, mas isso também vai tornar a classificação bem complicada amanhã. Espero que possamos encontrar um pouquinho mais para tornar nossas vidas um pouco mais fáceis.”

Antonio Giovinazzi: “Foi um bom começo de fim de semana para nós e estamos confiantes diante da classificação. As condições lá fora não foram fáceis, com muito vento e baixa aderência, mas isso é o que nós podemos esperar para amanhã também. Estar imediatamente fora do top (10) quando não estou 100% com o carro significa que podemos lugar para estar no Q3 se conseguirmos encontrar alguma melhoria nesta noite. Essa é nossa tarefa, e se fizermos um trabalho melhor que o dos nossos rivais, vamos poder ter um bom sábado. Vamos avaliar tudo agora e ver o que o amanhã vai trazer.”

Sergio Pérez: “Peguei um tráfego muito ruim hoje, então provavelmente parece pior do que realmente é nas tabelas de tempo. Esperamos estar lá [em cima], e Max teve um bom dia. Tentamos algumas mudanças entre as duas sessões, e hoje à noite vamos dar uma olhada nisso para ver o que funcionou e, com sorte, podemos encontrar algum ritmo para estarmos bem amanhã. Vindo de Baku, obviamente esta é uma pista muito diferente, mas seguimos com um bom impulso, o entendimento do carro está cada vez melhor e há muitos pontos positivos para tirar a partir de hoje.”

Yuki Tsunoda: “Foi um bom dia. Acho que a abordagem aqui na França, na comparação com as últimas corridas, é um pouco mais fácil, e já pilotei aqui em Paul Ricard. Tive uma rodada pela manhã, mas acho que fizemos um bom avanço ao longo das duas sessões hoje. Sofri um pouco com o acerto no treino livre 2, mas nos adaptamos muito bem e, no fim das contas, estou feliz com o comportamento do carro. Minha confiança no carro está definitivamente voltando, e meu resultado em Baku tem ajudado nisso. Ainda temos muito trabalho pela frente para a classificação, e o pelotão está muito apertado, então vai ser muito competitivo, mas o ritmo está lá.”

Daniel Ricciardo: “Primeiro dia completado. Quente demais! A manhã foi bem promissora. Tivemos um bom começo no primeiro treino, mas depois, no segundo treino, não parecia tão bom. Não tenho certeza do motivo agora, mas precisamos analisar isso. Não me senti tão bem e todos estavam muito próximos. Provavelmente simplesmente perdemos alguns décimos. Dito isso, não estou tão preocupado, precisamos trabalhar em cima disso à noite. No geral, o sentimento é de que não está tão ruim, então simplesmente vamos tentar encontrar um pouco mais de ritmo para amanhã.”

SEBASTIAN VETTEL; GP DA FRANÇA; PAUL RICARD; TREINO LIVRE 1; ASTON MARTIN;
Sebastian Vettel com o carro da Aston Martin no treino livre 1 do GP da França (Foto: Pirelli)

Sebastian Vettel: “As condições da pista estavam quentes e com muito vento, o que me surpreendeu nesta manhã, quando tive um pequeno problema. Isso nos custou algum tempo de vista, mas recuperamos bem à tarde. A simulação de corrida foi limpa e conseguimos encaixar algumas voltas seguidas, o que foi importante. Minha performance não foi a melhor e cometi um erro, mas hoje foi sobre como sentir o comportamento do carro e garantir que vamos render bem na classificação. Acho que sabemos onde podemos ganhar [performance] e onde estão as coisas para podemos fazer algo melhor, e é nisso onde vamos focar nossa energia nesta noite.”

Lance Stroll: “Esteve muito calor lá fora hoje, às vezes também com muitas rajadas de vento, o que tornou as condições um tanto difíceis porque o asfalto estava com baixa aderência. Ventou muito desde o começo do dia, mas conseguimos entrar no ritmo e trabalhar em cima do nosso programa. Aprendemos algumas coisas úteis sobre o equilíbrio do carro e fizemos algumas lições de casa importantes. Porém, acho que estamos perdendo um pouco de ritmo, então vamos dar uma olhada em tudo nesta noite e tentar voltar mais fortes amanhã. O pelotão do meio já parece muito próximo neste fim de semana, de modo que pequenos ganhos podem certamente fazer a diferença. E é isso o que pretendemos buscar para a classificação.”

George Russell: “É sempre complicado fazer apenas uma sessão, mas não sinto que perdi muito porque as condições foram difíceis nesta manhã e houve alguns erros na pista que mostraram como estavam fortes as rajadas de vento. No segundo treino, meu long run com tanque cheio parecia forte, entrei num bom ritmo nessas voltas, mas acho que ainda há mais por vir de mim com pouco combustível. Vamos embora nesta noite e tentaremos entender como podemos tirar mais do carro.”

Nicholas Latifi: “A pista estava muito verde no primeiro treino, e o vento jogou muitos pilotos para fora. No começo, o carro não parecia tão bom, mas fizemos algumas mudanças a caminho do treino livre 2 e aí ficou bem melhor para pilotar. Com tanque cheio, o carro andou melhor que o esperado, então isso definitivamente é positivo. Vamos embora e faremos nossa análise normal nesta noite e esperamos encontrar mais alguma performance para levar rumo ao sábado.”

Roy Nissany: “Foi uma sessão produtiva, embora entenda que poderia ter tirado um pouco mais do carro. Leva tempo para adquirir confiança depois de algum tempo longe, e Paul Ricard definitivamente é uma pista onde você precisa de muita confiança em razão das altas velocidades e curvas de raio longo. Foi uma sessão de busca por muitas informações e coletamos muitos dados, então aprendemos algumas boas lições. E estar no FW43B é sempre bom.”

Nikita Mazepin: “Não foi um dia fácil para nós. O calor e o aumento da pressão dos pneus talvez não sejam as melhores coisas para o carro, que não tem o melhor downforce. Mas, da minha parte, foi um treino livre 1 muito tranquilo. No segundo treino, completamos o plano, e acho que sabemos onde estamos para o domingo, mas há muito a melhorar para a classificação. Depois de Baku e Mônaco, vejo que é bem mais fácil [aqui], já que não tem um muro esperando por você na saída de cada curva, o que, para um novato, é algo positivo. Esse circuito tem seus desafios, o asfalto é muito complicado aqui, mas estou curtindo pilotar na França.”

Mick Schumacher: “Obviamente, tivemos alguns problemas no primeiro treino, infelizmente, e isso significou que não conseguimos fazer tudo o que queríamos. Fizemos todas as voltas que gostaríamos no treino livre 2, o que foi positivo e aprendemos a pista ainda melhor na comparação com o TL1, por isso agora é só finalizar todas as coisas que temos e tentar melhorar nos aspectos que precisamos e, com esperança, estaremos um pouco mais próximos das Williams. Sentimos a temperatura nos pneus e também tivemos algum aumento nas pressões, o que torna um pouco mais difícil manter os pneus inteiros, especialmente em ritmo de corrida, então agora é tentar acertar o carro para deixar tudo bem na classificação e na corrida. Espero que consigamos.”

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar