F1

‘Dominó’ de Stroll na Force India ameaça tirar Ericsson da F1 já a partir do GP da Itália

Parecia consenso que o grande perdedor no efeito dominó causado por Lance Stroll era Stoffel Vandoorne, próximo de perder vaga para Esteban Ocon. Parecia: de acordo com o ‘RaceFans’, o belga virou forte candidato para substituir Marcus Ericsson na Sauber

Warm Up / Redação GP, de Porto Alegre
Se antes parecia que Stoffel Vandoorne seria a grande vítima da já esperada ida de Lance Stroll para a Force India, agora parece que o demitido vai ser outro. De acordo com o site ‘RaceFans’, o efeito dominó gerado pela transferência do canadense passa a colocar em risco a permanência de Marcus Ericsson na F1.
 
Para entender o risco de Erisccon é preciso recapitular as mudanças previstas para os próximos dias. Stroll está próximo de ir para a Force India, agora de posse do pai Lawrence. Para o lugar do canadense, a Williams tem Robert Kubica de prontidão, deixando a condição de reserva para virar titular. Enquanto isso, Esteban Ocon – sem vaga por causa de Lance – vira favorito para a McLaren, onde é visto como um bom substituto para Stoffel Vandoorne.
 
O ‘RaceFans’ indica que a última reviravolta é o interesse da Sauber em Vandoorne. A equipe suíça tem como chefe Frédéric Vasseur, que trabalhou com o piloto belga nos dias de GP2, na ART. Vasseur atuou nos bastidores para convencer os donos da Sauber de que despedir Ericsson para trazer Stoffel seria um bom negócio. O site ainda não confirma que tal mudança vá acontecer, mas indica que o piloto sueco é o que corre maior risco no momento.
Marcus Ericsson (Foto: Sauber)
A possibilidade de demissão de Ericsson surpreende. O sueco caiu no gosto do grupo empresarial que comprou a Sauber em meados de 2016, o que trouxe estabilidade. Para a temporada 2017, quem foi demitido foi Felipe Nasr. Para 2018, Pascal Wehrlein. Tanto o brasileiro quanto o alemão somaram mais pontos do que Marcus, mas ficaram sem emprego da mesma forma.
 
Ainda não se sabe ao certo quando a série de mudanças seria aplicada. O ‘RaceFans’ noticia a possibilidade de tudo se concretizar já no GP da Itália, o próximo do calendário da F1. É possível também que, por causa dos prazos apertados, os pilotos tenham suas novas casas no GP de Singapura, o seguinte.