F1

Hamilton fala em Ferrari “0s5 à frente”, mas prevê três equipes na briga pelo título da F1 em 2019

Lewis Hamilton concedeu a última entrevista antes do GP da Austrália, nesta sexta-feira (1), em Barcelona, último dia de testes da pré-temporada. O inglês avaliou o desempenho da Mercedes e da principal rival, a Ferrari, e entende que, “neste momento”, a equipe vermelha está meio segundo à frente
GRANDE PRÊMIO, de Barcelona / EVELYN GUIMARÃES, do Circuito da Catalunha
Lewis Hamilton se mostrou satisfeito com o progresso feito pela Mercedes ao longo da pré-temporada 2019 em Barcelona, mas acha que ainda resta espaço para a melhora até o GP da Austrália, que abre o campeonato no dia 17 de março. Falando pela última vez antes do início da disputa para valer mesmo, o pentacampeão ainda vê a rival Ferrari na frente. Ao menos por enquanto. 
 
O caso é que a escuderia vermelha apresentou um carro rápido na Espanha e, até agora, é dona da marca mais veloz de toda a sessão espanhola. Na manhã deste dia final de atividades, Sebastian Vettel virou 1min16s221 – pouco mais de 0s3 melhor que Valtteri Bottas. A Mercedes, por outro lado, vem esbanjando confiabilidade e só enfrentou um único problema: na abertura da segunda semana, o finlandês parou na pista com uma falha na pressão de óleo. O motor precisou ser trocado. 
 
“Estamos aprendendo mais sobre o carro a cada dia. Os últimos dias têm sido particularmente bons. Melhoramos todas as vezes em que fomos à pista. Mas testes são testes, não há um prêmio para quem é mais rápido”, disse Hamilton à imprensa, incluindo o GRANDE PRÊMIO
Lewis Hamilton confia na Mercedes para se aproximar da Ferrari (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
O britânico, entretanto, reconheceu a força da adversária e acha que a equipe prateada está prestes a enfrentar a temporada mais difícil desde que teve início a era híbrida na F1. “A Ferrari é a mais rápida. Teremos a mais difícil batalha de todas pela frente. O ritmo da Ferrari é realmente muito, muito bom no momento. É o nosso maior desafio dos últimos anos”, completou.
 
Embora acredite que a diferença para a Ferrari não é tão grande quanto os treinos sugerem, Hamilton disse que, no momento, a vantagem dos oponentes vermelhos gira em torno de 0s5. “Acho que a diferença para a Ferrari é potencialmente de meio segundo. Mas não sabemos ao certo, porque cada um anda com diferentes configurações de motor e carga de combustível. Penso que teremos de esperar por quatro corridas antes de sabermos onde estamos”, revelou o dono de cinco títulos mundiais na F1.
 
Por fim, Lewis foi questionado se prevê uma nova batalha exclusiva com o Vettel neste ano. E o #44 foi categórico: “Não”. Para o piloto da Mercedes, “três equipes devem entrar na briga.”
 
“Mas também outros times que estão crescendo e se aproximando, pelo que tenho percebido, o que é ótimo para a F1 e o campeonato”, encerrou.

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a pré-temporada da F1 em Barcelona com os repórteres Evelyn Guimarães, Vitor Fazio,  Eric Calduch e o fotógrafo Xavi Bonilla. Acompanhe tudo aqui.