Magnussen celebra jogo de equipe da Haas por ponto em Jedá: “Mostramos bom ritmo”

Depois de desempenhar um papel fundamental para Nico Hülkenberg terminar no top-10, Kevin Magnussen celebrou o bom ritmo de corrida da Haas na Arábia Saudita

A Haas conseguiu somar um ponto no GP da Arábia Saudita com o décimo lugar de Nico Hülkenberg, mas o resultado foi alcançado graças ao trabalho em equipe com Kevin Magnussen. O dinamarquês, que segurou a pressão dos rivais para o companheiro terminar no top-10, celebrou o bom começo de temporada do time liderado por Ayao Komatsu e reconheceu que a VF-24 teve um ritmo de corrida consistente.

A prova de Magnussen, no entanto, foi um tanto turbulenta. Antes de conseguir ajudar o companheiro de equipe, o #20 teve problemas ao tentar fazer duas ultrapassagens. A primeira aconteceu contra Alexander Albon, quando acidentalmente tocou no piloto da Williams. A outra foi quando passou Yuki Tsunoda, mas colocou as quatro rodas para fora da linha branca e excedeu os limites de pista.

Relacionadas


Cada manobra rendeu uma punição de 10s para o piloto dinamarquês, que embora tenha se decepcionado com a decisão dos comissários, reconheceu que as regras devem ser seguidas.

“Primeiro tive um toque com Albon, não foi minha intenção, mas eles aplicaram uma punição por isso. Justo. Na segunda, ultrapassei Tsunoda e saí da pista. Regras são regras, mas não estou feliz por receber essas duas punições”, disse Kevin.

O ponto de Nico Hülkenberg levou a Haas para o sétimo lugar entre os construtores (Foto: Haas F1 Team)

Por outro lado, Magnussen celebrou o bom ritmo da VF-24 e o trabalho em equipe que rendeu um ponto para a Haas no Mundial de Construtores.

Depois de Lance Stroll acionar o safety-car na volta sete, a maioria dos pilotos foi para os boxes fazer a troca dos pneus médios para os duros. Porém, Hülkenberg, que no momento era 13º, permaneceu na pista e pulou para o oitavo lugar quando a corrida recomeçou. 

Enquanto isso, lá atrás, Magnussen segurava a pressão de Esteban Ocon, Tsunoda e Albon. A resistência permitiu que Nico voltasse para a pista na décima posição depois de parar nos boxes no giro 34 para calçar o composto mais duro. A colocação foi mantida até o fim da prova

“Pelo menos consegui ajudar a equipe a criar uma vantagem para que Nico pudesse ir aos boxes e conseguir um ponto. Então mostramos um bom ritmo hoje e um bom trabalho em equipe. Pelo menos há alguns pontos positivos muito bons para apresentar”, disse Kevin.

“Tentei me manter dentro das linhas brancas e não consegui. No final das contas, é o que é. Preciso fazer um trabalho melhor e evitar essas punições. Normalmente não recebo muitas delas, mas hoje consegui duas e, por esse lado, hoje não foi um bom dia”, finalizou. 

Com o ponto somado na Arábia Saudita, a Haas supera a Williams, RB, Sauber e Alpine e avança para o sétimo lugar no Mundial de Construtores.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube:GP | GP2
▶️Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!

Chamada Chefão GP Chamada Chefão GP 🏁 O GRANDE PRÊMIO agora está no Comunidades WhatsApp. Clique aqui para participar e receber as notícias da Fórmula 1 direto no seu celular! Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.