carregando
F1

Livres do coronavírus, funcionários da McLaren deixam Melbourne e voltam para casa

Todos os funcionários da McLaren que estavam em quarentena em Melbourne desde a quinta-feira que antecedeu o que seria o GP da Austrália deixaram o país e estão a caminho de casa no Reino Unido. O resultado positivo para coronavírus de um dos profissionais foi determinante para o cancelamento da prova

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
COMO SE PREVENIR DO CORONAVÍRUS:
 
☞ Lave as mãos com água e sabão ou use álcool em gel.
☞ Cubra o nariz e boca ao espirrar ou tossir.
☞ Evite aglomerações se estiver doente.
☞ Mantenha os ambientes bem ventilados.
☞ Não compartilhe objetos pessoais.

Os funcionários da McLaren que estavam de quarentena em Melbourne desde que um deles testou positivo para coronavírus, em 12 de março, às vésperas do que seria o GP da Austrália, finalmente estão no caminho de volta para casa no Reino Unido. A informação foi publicada nesta manhã de terça-feira (24) pela jornalista britânica Jennie Gow, repórter e apresentadora da emissora BBC, em sua conta no Twitter.
 
A confirmação do resultado positivo para um dos funcionários da equipe de Woking, que trabalha na montagem da garagem, foi crucial para que a F1, em decisão conjunta com a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) e da empresa que promove e organiza o GP da Austrália, cancelar a prova que abriria a temporada 2020.
Parte dos profissionais da McLaren já voa de volta para a Inglaterra (Foto: McLaren)
O funcionário foi colocado em quarentena no hotel em que estava hospedado em Melbourne, assim como outros 15 profissionais da equipe que tiveram contato com o infectado. Mesmo depois da confirmação do cancelamento do GP da Austrália, membros do alto escalão da McLaren, como Andreas Seidl, chefe de equipe, e Andrea Stella, diretor de performance, preferiram ficar na Austrália para dar todo o suporte aos demais.
 
Ao longo da quarentena, a McLaren informou que nenhum dos outros funcionários reclusos na Austrália acusou sintomas da Covid-19. E o profissional outrora infectado com o coronavírus já se encontrava bem e livre da enfermidade.
 
Segundo a escuderia, os demais funcionários da McLaren também estão em regime de quarentena desde que voltaram à Inglaterra e, por um período de 14 dias, ficaram longe da sede da equipe em Woking por medida de precaução.

Paddockast #53
TÉO JOSÉ - O HOMEM QUE 'NÃO PERDE MAIS'


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.