Mercedes critica ataques da Red Bull após GP da Inglaterra: “Nível que nunca vimos antes”

Toto Wolff, chefe da Mercedes, entende que a Red Bull empregou um linguajar pesado ao reagir sobre o polêmico GP da Inglaterra e o acidente sofrido por Max Verstappen após disputa pela liderança com Lewis Hamilton na primeira volta em Silverstone. O dirigente disse também que pretende, de alguma forma, restaurar o relacionamento profissional com os taurinos

Abertura oficial da ARL7 (Vídeo: ApexGT)

O polêmico GP da Inglaterra e o acidente sofrido por Max Verstappen após disputa com Lewis Hamilton na primeira volta da corrida do último domingo (18) em Silverstone implodiu de vez a relação entre Mercedes e Red Bull na Fórmula 1. Se antes o clima já não era dos mais amistosos, com acusações dos dois lados, sobretudo com suspeitas sobre peças como a asa traseira, dos taurinos, e da asa dianteira, da Mercedes, as consequências do GP da Inglaterra levaram Verstappen, Christian Horner, Helmut Marko, e até o pai de Max, Jos Verstappen, a reagir com palavras duras contra Hamilton e a Mercedes. Toto Wolff entende que o nível dos ataques dos rivais foi pesado demais e levado para o aspecto pessoal.

Antes mesmo do fim da corrida, Helmut Marko, conhecido por não ter papas na língua, disparou contra Hamilton, considerou a manobra do heptacampeão imprudente e perigosa e pediu a suspensão do piloto por uma corrida. Depois, o chefe da Red Bull, Christian Horner, disse que a vitória de Lewis foi “vazia”. “É perigoso, desesperado. Mandou um concorrente para o hospital”.

Nas redes sociais, Verstappen criticou a comemoração de Hamilton após vencer o GP da Inglaterra e classificou a celebração como “desrespeitosa e antidesportiva”.

LEIA TAMBÉM
+Red Bull mostra lado irracional com Horner e Marko, comenta Gabriel Carvalho

TOTO WOLFF; GP DA ÁUSTRIA;
Toto Wolff criticou a postura da Red Bull diante da polêmica em Silverstone (Foto: Steve Etherington/Mercedes)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

As reações do público em geral, sobretudo nas redes sociais, trouxeram de volta à tona um grave problema da sociedade como um todo: o racismo. Desde a primeira postagem de Hamilton depois da corrida, inúmeros foram os ataques racistas nas suas redes sociais.

A Mercedes, em comunicado conjunto com a Fórmula 1 e a FIA (Federação Internacional de Automobilismo), se solidarizou a Lewis e repudiou os ataques. Depois, a Red Bull e Christian Horner também vieram a público e repudiaram os abusos racistas, assim como equipes como Aston Martin, Williams, McLaren e AlphaTauri.

Mas as críticas, por parte da Red Bull contra a Mercedes, não cessaram depois disso. Helmut Marko disse que os taurinos não vão se vingar. “Não vamos nos rebaixar ao nível da Mercedes”. Jos Verstappen, pai de Max, afirmou que Hamilton “deveria ter sido desclassificado após batida”.

No entendimento de Toto Wolff, chefe da equipe heptacampeã do mundo, as reações, todas, por parte da Red Bull, foram pesadas demais. “Acho que você pode entender que, do ponto de vista dos concorrentes, a situação era perturbadora. Posso entender isso”, disse o dirigente austríaco em entrevista veiculada pela revista britânica Autosport. “No entanto, o linguajar que foi usado, de forma tão pessoal, foi num nível que nunca vimos neste esporte antes”, comentou.

Jos Verstappen também veio a público para reclamar da atitude de Wolff. O ex-piloto holandês criticou o chefe da Mercedes por não ter ligado para Max para saber da sua condição clínica. Wolff relativizou a reação por entender que Jos estava de cabeça quente, mas criticou as palavras como um todo usadas pelo pai do competidor da Red Bull. “Eu entendo as reações sobre o acidente em si e as emoções de um pai, e provavelmente seria o mesmo [para mim], mas eu usaria um linguajar diferente”.

Wolff avisou que, depois que a poeira baixar, pretende voltar a conversar com a Red Bull, mas de forma estritamente profissional e nada além. “Acho que, assim que as emoções baixarem, tentaremos restaurar nosso relacionamento profissional em prol da Fórmula 1. Mas, além disso, não houve conversas e nem precisa ter”.

Questionado sobre a Red Bull contratar até um advogado para levar o acidente entre Hamilton e Verstappen à esfera jurídica, Wolff minimizou. “Esta é a Fórmula 1. Nada disso me preocupa”.

O chefe da Mercedes também falou sobre Hamilton e garantiu que o heptacampeão está bem. “Acho que ele está bem tranquilo sobre isso, sinceramente. É uma história muito polarizada, e alguns dos comentários que foram feitos foram muito pessoais e provavelmente inflamaram ainda mais a situação. Mas, no geral, ele está bem”, salientou.

No fim das contas, Wolff entende que polêmicas e uma rivalidade como a de Hamilton e Verstappen é boa para o esporte, desde que não ultrapasse os limites do bom senso. “Acho que a polêmica e polarização são uma boa narrativa e um bom conteúdo para o esporte. Onde isso se transforma, em animosidades pessoais, é aí onde se ultrapassa o limite. Mas, novamente, todos precisam julgar sobre como querem fazer isso”.

Por fim, a vitória em Silverstone, que quebrou uma sequência de cinco triunfos da Red Bull, deu uma nova motivação para a Mercedes em termos de luta pelo título em 2021. “Ainda há um longo caminho a percorrer no campeonato e há muitos e muitos pontos para somar. Só precisamos olhar para nós mesmos e tentar recuperar alguma performance para lutarmos pelas vitórias com um bom ritmo. A polêmica é mais uma coisa externa e não algo que impacta a organização internamente”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar