Na Garagem: Hill erra, acerta Schumacher e tira ambos de agitado GP da Itália

Há exatos 25 anos, Damon Hill errou ao tentar uma manobra contra Michael Schumacher no GP da Itália e ambos abandonaram. O incidente, que já tinha acontecido em Silverstone, colocou o alemão mais próximo do bicampeonato e aumentou a tensão entre os dois rivais

Uma das grandes rivalidades dos anos 90 ganhou força após a morte de Ayrton Senna em 1994. Com a saída do tricampeão mundial da disputa, Michael Schumacher e Damon Hill viraram os principais candidatos à disputa dos títulos e alcançaram o ápice da tensão no GP da Itália de 1995. Mas para entendermos melhor, precisamos voltar alguns meses.

A corrida final de 1994, na Austrália, terminou com Michael Schumacher fechando a porta de Damon Hill. Ambos bateram, abandonaram e o título ficou com o alemão. Ali, naquele ponto, a rivalidade atingiu o ápice e fez com que 1995 tornasse um ano tenso na Fórmula 1.

Em 1995, Schumacher e Hill controlaram o campeonato desde o início, com o campeão mundial do ano anterior levando vantagem após a metade do calendário. Quando chegaram ao GP da Itália, em Monza, o alemão tinha 66 pontos contra 51 do rival — além de seis vitórias, enquanto o britânico apenas três.

O momento exato do toque entre Schumacher e Hill no GP da Itália de 1995 (Foto: Reprodução)

A pole no circuito italiano não ficou com nenhum dos dois postulantes ao título. David Coulthard, da Williams, partiria na posição de honra do grid, com Schumacher em segundo e Hill apenas em quarto. A prova, há exatos 25 anos, seria recheada de surpresas e incidentes curiosos.

O primeiro deles foi ainda na volta de apresentação. Coulthard escapou na curva Ascari enquanto aquecia os pneus e deixou a corrida. No fim da primeira volta, porém, um acidente envolvendo diversos pilotos — que causou os abandonos de Andrea Montermini e Roberto Moreno — trouxe a bandeira vermelha para a corrida. Com isso, Coulthard pode pegar o carro reserva e largar.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! Clique aqui.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Na segunda partida, Coulthard manteve a liderança, mas abandonou na 13ª volta com problemas em uma das rodas. Com isso, Berger assumiu a ponta, seguido de Schumacher e Hill. Agora, porém, a corrida mudaria de forma novamente.

Na caça do alemão, para buscar a vitória e diminuir a diferença no campeonato, Hill aproximava-se rapidamente do rival. Na volta 24, porém, viu uma chance quando Schumacher ficou preso atrás de retardários. Ao tentar uma ultrapassagem na segunda chicane de Monza, o britânico perdeu o controle da Williams, travou as rodas, bateu na Benetton e ambos foram para a caixa de brita. Fim da corrida para os dois.

Revoltado, Schumacher rapidamente saiu do carro e foi cobrar Hill, desolado dentro de sua Williams. A reclamação é porque o incidente não foi nenhuma novidade. Quatro etapas antes, em Silverstone, a dupla abandonou do mesmo jeito. Desesperado para ultrapassar o rival, Hill forçou uma manobra na volta 46, causou o toque e ambos encerraram a participação na prova.

Damon Hill e Michael Schumacher já tinham batido no GP da Inglaterra de 1995 (Foto: Reprodução/F1)

Na Bélgica, os dois também tiveram desavenças. Largando em 16º, Schumacher fez boa prova de recuperação quando a chuva começou a cair no longo circuito de Spa-Francorchamps. Hill, então líder, colocou pneus de chuva, mas o alemão manteve-se na pista com pneus slicks. Segurando-se de maneira agressiva, o piloto da Benetton manteve a liderança e venceu a prova.

Voltando à Itália, a Ferrari encaminhava uma histórica dobradinha, mas tudo deu errado. Uma câmera soltou do carro de Jean Alesi e acertou a suspensão de Gerhard Berger, causando o abandono. A 15 voltas do fim, foi a vez do francês sair da corrida. Como no GP da Inglaterra, a vitória em Monza caiu no colo de Johnny Herbert, da Benetton, após o abandono de Gerhard Berger. Mika Häkkinen foi o segundo e Heinz-Harald Frentzen terminou em terceiro, conquistando o primeiro pódio da carreira — e também da Sauber.

Já para os postulantes ao título, o GP da Itália foi um divisor de águas. Schumacher conseguiu três vitórias na sequência do campeonato, levando o título no GP do Pacífico. Damon, errático, conquistou apenas mais uma prova e precisou esperar até o ano seguinte para ser campeão, igualando o feito do pai Graham Hill.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube