Räikkönen melhora tempo da manhã e termina na frente último dia da semana de testes da F1 em Barcelona

A Ferrari protagonizou o último dia da primeira semana de testes de pré-temporada da F1 e terminou a quinta-feira com Kimi Räikkönen na ponta da tabela de tempos, melhorando a marca estabelecida pela manhã. A Mercedes dedicou o período da tarde para realizar simulações de corrida com Valtteri Bottas, que terminou apenas em oitavo em Barcelona. Felipe Massa não apareceu no circuito catalão

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Era para ser um teste para pneus de chuva, mas acabou sendo uma tarde em que a pista esteve seca na maior parte do tempo. No final, acabou sendo a mesma medição de força dos outros dias: nesta quinta-feira (2), Kimi Räikkönen colocou a Ferrari no topo da tabela ao anotar 1min20s872 com pneus macios.
 
O tempo de volta da Ferrari veio faltando uma hora para o fim da atividade. Na ocasião existia a expectativa de ver Max Verstappen colocar a Red Bull em primeiro lugar na pré-temporada 2017. A turma dos energéticos até foi combativa, mas o tempo de 1min21s769 não esteve nem perto de incomodar a Ferrari. Jolyon Palmer foi o terceiro, também com macios, ao anotar 1min21s778.
 
Atrás dos três primeiros, uma série de pilotos que usou pneus supermacios e ultramacios, mas que não foi capaz de transformar a borracha mais aderente em tempos de volta melhores. Romain Grosjean colocou a Haas em quarto, Antonio Giovinazzi foi quinto com a Sauber, enquanto Sergio Pérez alçou a Force India ao sexto posto. Stoffel Vandoorne, mesmo com ultramacios, só deixou a McLaren em sétimo. Todos deveram mais de 1s5 para o tempo de Räikkönen.
Kimi Räikkönen liderou mais um dia de testes (Foto: Twitter/F1)

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Como se percebe, a Mercedes não pintou entre os primeiros. Valtteri Bottas passou a maior parte do tempo andando com tanque cheio e fazendo simulação de corrida. Assim, o piloto que liderou o terceiro dia de testes completou o quarto em oitavo – também conhecido como penúltimo, considerando que a Williams nem treinou.

Foi um dia de poucos problemas mecânicos. Salvo a falha elétrica da Mercedes pela manhã e o problema grave no motor Renault da Toro Rosso, ninguém ficou pelo caminho.

A atividade encerrou a primeira semana de testes da F1 em 2017. Agora as equipes aproveitam alguns dias de descanso antes de retornar ao autódromo de Barcelona na próxima terça-feira (7).

Saiba como foi a tarde do quarto dia de testes de pré-temporada em Barcelona

Depois de um fim de manhã pra lá de intenso e com Kimi Räikkönen registrando a melhor marca do primeiro período, a organização do circuito de Barcelona levou novamente os caminhões-pipa à pista para encharcar novamente o asfalto visando a parte da tarde que marcou o fim da primeira sessão de pré-temporada da F1 2017. Ao todo, foram usados nada menos que 500 mil litros d'água para molhar a pista nesta quinta-feira.

Com a Mercedes disposta a recuperar o tempo perdido depois de completar apenas nove voltas pela manhã, Vatteri Bottas foi o primeiro a deixar os boxes nesta tarde, ainda que para realizar apenas algumas voltas de verificação. Outra equipe que também buscava acumular alguma quilometragem era a Toro Rosso, que trocou o motor no primeiro período do dia. 

Valtteri Bottas encarou o asfalto encharcado de Barceona nesta quinta-feira (Foto: Twitter/Sky Sports)

Com céu azul e sol, mas com a pista molhada, Romain Grosjean quebrava o silêncio em Barcelona e, pouco depois, ganhava a companhia de Bottas e Giovinazzi. Dentre eles, o piloto da Mercedes era o único que já rodava com os intermediários para cumprir seu primeiro stint, que durou 15 giros. Nico Hülkenberg, que tinha o maior número de voltas completadas ao longo do dia (51), ainda seguia nos boxes da Renault.

Aos poucos, o treino foi ganhando em intensidade com a presença de mais carros: Kimi Räikkönen e Sergio Pérez estavam na pista, e Giovinazzi voltava para abrir um novo stint com o novo C36 da Sauber. Mas não havia nem sinal de Daniil Kvyat e tampouco Carlos Sainz, já que a Toro Rosso ainda trabalhava no STR12 antes de tentar completar algumas voltas nesta tarde. Grosjean, com um estável stint, se tornava o piloto com maior quilometragem do dia ao completar 68 voltas.

Mas logo o silêncio voltava a vigorar em Barcelona, indicando pouco interesse por parte das equipes em rodar no molhado. Entre segunda e quarta-feira, as atividades de pista foram muito mais movimentadas. Depois de alguns minutos, Bottas voltava a acelerar seu novo carro e anotava a melhor marca da tarde: 1min34s553, mas ainda continuava em oitavo lugar, 12s mais lento que o tempo estabelecido por Räikkönen pela manhã.

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Não levou muito tempo para Bottas, aproveitando que a pista já estava bem mais seca, voltasse à pista, mas usando pneus macios. E com os compostos 'amarelos' o nórdico subia para quinto lugar ao marcar 1min24s850. O finlandês logo ganhava a companhia de Max Verstappen na pista. A Red Bull levou 90 minutos para levar o holandês à pista nesta tarde: culpa de um problema no escapamento do RB13. Além do jovem piloto taurino, que usava pneus intermediários, Stoffel Vandoorne retomava os trabalhos com a McLaren. E, no fim do seu stint, Bottas retornava aos boxes da Mercedes.

Depois de voltar aos boxes, a Red Bull fez a troca de pneus e calçou o carro #33 de Verstappen com os macios. E tão logo começou seu stint, o piloto de 19 anos subiu para terceiro lugar ao anotar 1min22s949, ficando só atrás dos tempos de Räikkönen e Romain Grosjean. Parecia mesmo questão de tempo para que a marca estabelecida pelo veterano da Ferrari fosse batida. Tanto que, em seguida, era a vez de Bottas abrir um novo stint, mas desta vez usando pneus supermacios. Logo, o novo piloto da Mercedes subia para quarto, logo atrás de Verstappen, ao registrar 1min23s590. Ainda restavam 2h10 para o fim da sessão.

Grosjean tinha êxito na sua tarefa de acumular quilometragem com a Haas e chegava às 71 voltas completadas ao longo do dia, já ultrapassando a distância de um GP da Espanha, que é de 66 giros. Na Renault, Hülkenberg encerrava os trabalhos e deixava o cockpit do novo R.S.17 livre para Jolyon Palmer completar algumas voltas no fim desta tarde. Quem também estava na pista era Pérez, que cumpria a programação da Force India e, com pneus macios, subia para o quarto lugar, desbancando o tempo de Bottas, que continuava na pista.

Sergio Pérez calçou pneus para pista seca na fase fina da tarde desta quinta-feira (Foto: FIA)

Só que Pérez queria mais. O mexicano voltou aos boxes da Force India e fez a troca dos macios pelos supermacios. Com os compostos vermelhos, 'Checo' ficou muito perto do tempo de Räikkönen e cravou 1min22s583, subindo para segundo. O 'Homem de Gelo' continuava na pista, mas realizando simulação em ritmo de corrida. Contudo, havia outro piloto bem mais rápido na pista. Com pneus macios, Verstappen finalmente destronou a marca de Kimi ao registrar 1min21s839, 0s466 mais rápido que o finlandês.

Kimi, entretanto, não quis saber de ficar em desvantagem na tabela de tempos. Depois de encerrar sua simulação de corridas, o finlandês voltou à pista com sua SF70H calçada com pneus macios. No começo da sua sequência de voltas, Räikkönen fez o bastante para voltar à liderança do treino ao cravar 1min21s324. Na volta seguinte, o veterano de 38 anos foi ainda melhor e completou seu giro em 1min21s263, enfiando quase 0s6 de frente para Verstappen quando restava uma hora para o fim da primeira semana de pré-temporada. Vandoorne, acelerando sua McLaren com pneus ultramacios, pulava para quarto, enquanto Bottas se encaminhava para encerrar uma tarde movimentada e com 68 voltas completadas.

Como era de se esperar, a última meia hora de atividade foi agitada. A pista estava cada vez mais seca, o que permitia tentativas de voltas rápidas para as equipes. Foi assim que Räikkönen voltou a melhorar seu tempo de volta, registrando 1min20s872, quase 1s melhor do que a marca de Verstappen.

No meio do pelotão o movimento foi semelhante. Palmer colocou a Renault em terceiro ao usar um novo set de macios. Giovinazzi, apelando para os ultramacios, pintou em quarto. Os dois derrubaram Pérez, que não estava voando com a Force India, para quinto.

F1, Barcelona, Testes de pré-temporada, Dia 4, tarde:

1 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI 1:20.872   93
2 33 MAX VERSTAPPEN HOL RED BULL TAG HEUER 1:21.769 +0.897 85
3 30 JOLYON PALMER ING RENAULT 1:21.778 +0.906 39
4 8 ROMAIN GROSJEAN FRA HAAS FERRARI 1:22.309 +1.437 118
5 36 ANTONIO GIOVINAZZI ITA SAUBER FERRARI 1:22.401 +1.529 84
6 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES 1:22.534 +1.662 82
7 2 STOFFEL VANDOORNE BEL McLAREN HONDA 1:22.576 +1.704 67
8 77 VALTTERI BOTTAS FIN MERCEDES 1:23.443 +2.571 68
9 27 NICO HÜLKENBERG ALE RENAULT 1:24.974 +4.102 51
10 26 DANIIL KVYAT RUS TORO ROSSO RENAULT     1

Os pneus são…

ultramacios | supermacios | macios | médios | duros

PADDOCK GP #67 RECEBE OZZ NEGRI E DEBATE TESTES DA F1 EM BARCELONA

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

fechar

function crt(t){for(var e=document.getElementById(“crt_ftr”).children,n=0;n80?c:void 0}function rs(t){t++,450>t&&setTimeout(function(){var e=crt(“cto_ifr”);if(e){var n=e.width?e.width:e;n=n.toString().indexOf(“px”)<0?n+="px":n,cc.style.display="",s2.width=n,window.frameElement&&(s1.height=c2.offsetHeight+5+"px"),t=500,s1.width="100%"}rs(t)},200)}var c1=window.frameElement?window.frameElement:document.getElementById("crt_ftr"),c2=document.getElementById("crt_ftr"),s1=c1.style;s1.position="fixed",s1.bottom="-4px",s1.left="0px",window.frameElement&&(s1.height="0"),c2.style.textAlign="center",s1.zIndex="60000";var cc=document.getElementById("crt_cls"),s2=cc.parentNode.style;cc.onclick=function(){s1.display="none"};var t=0;rs(0);

var zoneid = (parent.window.top.innerWidth < 970) ? 302357 : 302359;
document.MAX_ct0 = '';
var m3_u = (location.protocol == 'https:' ? 'https://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?' : 'http://cas.criteo.com/delivery/ajs.php?');
var m3_r = Math.floor(Math.random() * 99999999999);
document.write("”);

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube