Red Bull diz que se der para bater Mercedes na França “é possível em qualquer lugar”

Christian Horner, chefe da Red Bull avalia que superar a Mercedes numa de suas fortaleza manda recado. E volta a instigar guerra das asas

Yuki Tsunoda bate carro da AlphaTauri durante classificação na França (Vídeo: F1)

A Red Bull larga na pole do GP da França! Na classificação, realizada no fim da manhã deste sábado (19) em Paul Ricard, Max Verstappen controlou as ações para superar a dupla da Mercedes e garantir a dianteira, com direito a Sergio Pérez em quarto. O chefe da equipe austríaca, Christian Horner, ficou animado: se der para bater a rival na pista francesa, então é possível vencer em qualquer lugar.

Após duas corridas totalmente dominadas pela Red Bull em Mônaco e no Azerbaijão, voltar às pistas tradicionais, especialmente numa Paul Ricard em que Lewis Hamilton dominou em 2018 e 2019 – a corrida de 2020 foi cancelada -, e levar a melhor por tão boa margem na classificação, quase 0s3, é representativo.

“Nossa primeira pole na França. Grande performance de Max. Foi rápido na maioria dos treinos e foi melhorando em cada um. É bom ter Checo lá em cima mantendo a forma de Baku. Grande desempenho da equipe”, disse.

CHRISTIAN HORNER; TOTO WOLFF; MERCEDES; RED BULL;
Christian Horner não perdeu a chance de cutucar Toto Wolff (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Paddockast #108: As ‘asas da discórdia’ na briga pelo título da F1

“Tiramos um pouco de downforce do carro, provavelmente deu para ver a diferença da asa traseira para a da Mercedes. Estamos usando menos energia no setor dois e indo mais rápido nas retas, porque tem menos resistência do ar, mas ainda conseguimos um bom setor três. Isso nos ajuda a gerar voltas competitivas e espero que seja o mesmo amanhã”, afirmou.

“Este circuito tem sido uma fortaleza da Mercedes nos últimos anos. Então, se pudermos batê-los aqui, podemos realmente batê-los em qualquer lugar”, garantiu.

Ainda antes de terminar, Horner colocou pressão na FIA. Se a federação se mexeu para cuidar de perto das asas traseiras flexíveis da Red Bull, tende a fazer a mesma coisa com as dianteiras da Mercedes. O inglês insiste que o componente dos rivais também é de flexibilidade suspeita.

“Como eu disse há algumas semanas, se dá para aplicar para as asas traseiras, por que não para as dianteiras? Isso é com a FIA. Eles apresentaram novos testes para as asas traseiras, então, imaginamos, farão o mesmo com a parte da frente dos carros”, finalizou.

O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do fim de semana do GP da França, em Paul Ricard, AO VIVO e EM TEMPO REAL. A corrida está marcada para as 10h (de Brasília) do domingo.

Briefing: Tudo sobre a classificação da F1 na França

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar